Novos Poetas

19.11.2014

A Poeme-se nasceu da ideia de colocar a poesia em movimento. Vislumbramos um mundo onde as pessoas são apaixonadas por versos, se comovem com a força das palavras, sentem a poesia como estilo de vida.  Desse desejo, criamos a primeira grife poética do país com estampas em camisetas que traduzem um pouco da obra de grandes artistas. Mas ao longo do trabalho das redes sociais – pra curtir a gente no Facebook e seguir no Instagram – a gente descobriu que você aí do outro lado também tem muita poesia para mostrar. E por isso, criamos a ação Novos Poetas! Vem descobrir como divulgar sua produção poética:

camisetas com estampas criativas

A ação Novos Poetas vai funcionar assim: você envia seu poema e ele passará por um filtro de nossa equipe. Se ele for aprovado, vamos publicar em nossa página, dando o crédito para o autor. Para facilitar, dividimos vocês em duas categorias:

1ª opção – sou poeta amador e/ou profissional 
Envie sua poesia via mensagem inbox em nossa página do Facebook, contendo seu nome completo e cidade onde reside.

Se o seu verso for selecionado, você ainda vai ganhar um cupom de 10% de desconto para aproveitar em toda a nossa loja.

2ª opção – sou poeta amador e/ou profissional e possuo uma página no Facebook e/ou blog 
Envie sua poesia via mensagem inbox em nossa página do Facebook, indicando o nome do autor dos versos e o endereço do blog e/ou página no Facebook.
A Poeme-se vai publicar sua produção e ainda dar uma força na divulgação da sua página e blog. Em troca, você deve publicar a imagem acima em sua página do Facebook.

Já se você tiver um blog, você deve se cadastrar em nosso Programa de Afiliados da Poeme-se (veja aqui).

Curtiram a novidade? Já estamos esperando para receber sua poesia!

Quem foi Paulo Leminski?

14.11.2014

Um dos reprints mais aguardados é sempre o da Camiseta Leminski-se. O poeta tem uma multidão de admiradores devido a originalidade de seus versos.

Quem foi Paulo Leminski?
Poeta, escritor, crítico literário, letrista, tradutor e professor de História e de Redação em cursos pré-vestibulares. Sua poesia é marcante porque Leminski inventou um jeito próprio de escrever, com trocadilhos, brincadeiras com ditados populares e influência do haicai, além de abusar de gírias e palavrões, tudo de forma bastante instigante.

Vida
Em 24 de agosto de 1944 nascia Paulo Leminski Filho, em Curitiba. Era mestiço de pai polonês com mãe negra.
Viveu uma vida intensa, quando aos 14 anos foi para São Paulo, capital, morar sozinho. Aos 18 começava sua paixão pela poesia, participando de alguns concursos. Chegou a iniciar os cursos de Letras e Direito, mas abandonou ambos. Em 1964 teve seus poemas publicados pela primeira vez na Revista Invenção. Casou-se com Alice Ruiz, também poetisa, tendo três filhos. Em 1970, de volta à Curitiba, trabalhou como redator publicitário e professor. E na década de 1980 volta para São Paulo, onde trabalhou na Folha de S. Paulo e Revista Veja.
Faleceu em 1989, em decorrência de uma cirrose epática.

Obras
Seus textos tiveram influência da cultura japonesa, mais precisamente a forma do haicai, de Matsuo Basho, que significa  “hai = brincadeira, gracejo e kai = harmonia, realização”, nessa forma poética, o destaque é para a concisão e objetividade, com textos curtos. Leminski era tão influenciado pela cultura japonesa que além de faixa preta em judô, escreveu uma biografia de Basho.

A insônia

Furo a terro fria.
No fundo, em baixo do mundo,
trabalha-se: é dia.

(exemplo de haicai de Leminski)

Além dos haicais, ele também escreveu romances como “Catatau”  e “Agora é que são elas” e obras poéticas como “Caprichos e relaxos” e “Não fosse isso e era menos/ não fosse tanto e era quase.”

Letrista
Um artista versátil como era, Leminski ainda encontrou tempo para outra paixão: a música. Suas cações forma gravadas por nomes como Caetano Veloso, com a música “Verdura”, além de Guilherme Arantes e Moraes Moreira.

Pra quem ainda não conhecia seus versos, vai querer saber ainda mais sobre Leminski. E quem já curtia, virou ainda mais fã depois de saber um pouco mais de sua história. Agora é só aproveitar a  Camiseta Leminski-se.

quem foi paulo leminski

Reprint de respeito: Camiseta Victor Hugo

05.11.2014

A camiseta Victor Hugo é o mais novo reprint da nossa coleção, um reprint cheio de respeito que nos lembrou que estávamos devendo a vocês um post só dela aqui no blog. 

É de se admirar a poesia do autor de “Les Misérables”, poeta francês e ativista pelos direitos humanos. Para representar um dos maiores nomes da literatura mundial, que também escreveu “O Corcunda de Notre Dame”, nós da Poeme-se escolhemos a seguinte frase para estampar a camiseta poética:

“E não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã…”

A frase é na verdade um trecho do célebre romance “Les Misérables”. A história traz como pano de fundo a batalha de Waterloo em 1815 e os motins que a França vivia em 1832. Victor Hugo deu vida então a Jean Valjean e outros inesquecíveis personagens como Fantine, Cosette, Marius, Javert e tantos outros. A grande obra denunciava as injustiças sociais e a grande miséria do povo daquela época. E ganhou diversas adaptações para o teatro e cinema, sendo uma das versões mais famosas a que premiou Anne Hathaway com um Oscar, no papel de Fantine. 

Para quem quer vestir a poesia de Victor Hugo, chega mais e aproveita. Garanta a sua aqui!

camiseta poesia

victor hugo

camiseta victor hugo

Amor Touchscreen: a camiseta poética vencedora da ação Inverso do Avesso

27.10.2014

Colocar a poesia em movimento é um sonho antigo que nós da Poeme-se estamos conquistando junto com vocês que nos acompanham. Nesse ano, em uma ação inédita com nossos parceiros do Plástico Bolha, resolvemos dar vez e voz a vocês, criando o Concurso Cultural Inverso do Avesso, onde todos puderam enviar seus versos e o grande ganhador, daria vida a uma camiseta da Poeme-se.

Hoje, é com imenso orgulho que apresentamos como o verso da ganhadora, a jornalista Germana Zanettini, de 29 anos, virou poesia em forma de estampa. Para traduzir todo o afeto e graça da poesia de Germana, o poema  “não tire/ teus dedos/ de mim/ baby,/ o amor/ é touchscreen” ganhou cores, contornos e agora você pode encomendar a sua Camiseta Amor Touchscreen aqui na loja.

E para vocês conhecerem um pouquinho sobre a ganhadora, batemos um papo com a Germana. A jovem escritora já planeja o lançamento de um livro e revela que a inspiração para compor o verso vencedor veio de seu namorado. Confira o papo aqui no blog!

nao-tire-teus-dedos-de-mim-baby-o-amor-e-touchscreencamiseta-literaria_poemese

 

Poeme-se: De onde surgiu sua paixão por poesia? Você sempre escreveu?

Germana: Sempre gostei de poesia, desde a infância. Pegava os livros didáticos de Português no início do ano letivo e ficava passando folha por folha, procurando por trechos de poemas e letras de música… Lembro de ter as redações escolares elogiadas pelos professores na escola, de gostar de brincar com as palavras… Mas eu não escrevia, eu desenhava. Sempre achei que a minha praia era o desenho, que essa era a minha forma de expressão artística, e nunca pensei em escrever. Mas sempre li muita poesia, por iniciativa própria, por prazer. Até chegar num ponto em que as palavras começaram a brotar de mim. Foi uma coisa muito espontânea. Mas ainda é bem recente: comecei a escrever há pouco mais de três anos. Ainda estou me acostumando com a ideia (risos). De lá pra cá, venci alguns concursos, participei de algumas antologias e meu primeiro livro individual já está sendo gestado pela editora e em breve será lançado. A poesia só me traz coisas boas. Através dela, conheci pessoas fantásticas, tanto leitores quanto colegas de escrita, que viraram amigos de verdade.

Poeme-se:  Como conheceu a Poeme-se? E como ficou sabendo do concurso?

Germana: Conheci a Poeme-se na internet. De cara, me encantei com o trabalho da marca. Como não amar a ideia de vestir poesia? Para uma escritora isso é tentador demais. Dá vontade de sair comprando todas as camisetas! (risos). Quando li nas redes sociais sobre o Concurso Inverso do Avesso, não tive dúvidas de que iria participar.

germana

Germana Zanettini – Foto: Marco Prass

Poeme-se:  De onde veio a inspiração para criar o verso que veio a ser o vencedor do Concurso Cultural Inverso do Avesso?

Germana: Fiz o poema para o meu namorado. Ele é engenheiro, trabalha com tecnologia… Um universo bem diferente do meu, que sou das letras, da comunicação. Daí veio a inspiração para eu compor o poema. Percebi que o amor também é um dispositivo touchscreen, altamente sensível ao toque! (risos). Aí vi que isso daria um poema. Escrevi e mandei direto pra ele, por WhatsApp mesmo. Depois, quando soube do concurso, achei que esse poema caberia bem na proposta, que ficaria legal escrito em uma camiseta. E deu certo. Ele já anda sendo até plagiado por aí, então deve ser bom mesmo, né? (risos).

Poeme-se:  O que está achando de ter seu verso estampado em uma camiseta da Poeme-se?

Germana: Meu objetivo sempre foi levar a literatura para as ruas. Tirar a poesia dos ambientes acadêmicos e torná-la mais acessível, popularizá-la. Já tenho poemas meus pegando a estrada todos os dias, nas paredes de ônibus e trens de Porto Alegre, resultado de outro concurso que participei. Agora vou levar minha poesia pra passear no peito de muita gente. Estou muito feliz.

Poeme-se:  Para finalizar, conte pra gente qual é o seu poema preferido, mandando um trechinho dele.

Germana: Olha, é extremamente difícil escolher apenas um. Neste momento da minha vida, ando lembrando com mais frequência de um poema do Lau Siqueira, que sempre me tocou bastante. Teria muita gente boa pra citar, mas hoje fico com o Lau:

AOS PREDADORES DA UTOPIA
(Lau Siqueira)

dentro de mim
morreram muitos tigres

os que ficaram
no entanto
são livres

Parabéns, Germana! Que você continue seguindo nesta brilhante carreira e colha os frutos de levar a poesia para todo o canto.

E conheça a camiseta vencedora em detalhes aqui: Camiseta Amor Touchscreen.

Poesia: Um Santo Remédio!

22.10.2014

Já pensou que as palavras têm o dom de curar? Uma dor de cotovelo, um jeito de matar a saudade, para fazer sorrir, para celebrar a amizade ou até mesmo para se apaixonar! Foi pensando em fazer um carinho e levar o bem através dos versos, que a artista cênica e escritora Larissa Minghin criou o projeto Santo Remédio.

São poesias em cápsulas, que podem ser usadas a qualquer hora que você precisar de inspiração.

poesia um santo remedio

A caixinha contém: Um receituário (tipo cartão, para dedicar ao presenteado), uma bula e um frasco com 15 cápsulas de uso visual com poesias, frases e haikais sobre o tema escolhido.

Importante: Poesia pode causar vício. Consulte um livro, leia de tudo e Poeme-se sem moderação! Escolha a sua:

Um Santo Remédio para Amar.

Um Santo Remédio para se Apaixonar.

Um Santo Remédio para Matar a Saudade.

Um Santo Remédio Para se Sentir Bem.

Um Santo Remédio para Amigos.