4 autores africanos que você precisa conhecer

1. Chimamanda Ngozi Adichie (Nigéria)

 

Chimamanda Ngozi Adichie
Autora de “Hibisco Roxo” (2003), “Meio sol amarelo” (2006), “Americanah” (2013) e a coletânea de contos, “No seu pescoço” (2017), a nigeriana é uma das mais fortes potências feministas da atualidade. Sua palestra no TED “Todos devemos ser feministas” é uma ode à discussão do papel da mulher e “O perigo de uma história única” uma reflexão sobre identidades múltiplas. Adichie, ao escrever sobre diversidade, amor, dor, resistência nos presenteia não com uma literatura de nicho, mas com um claro espelho contemporâneo acerca da heterogeneidade.
Chimamanda é inspiração e faz parte da coleção Mulheres na literatura, confira em nosso site >> https://www.poemese.com/1169_t-shirt_mulheres_na_literatura/p <<

 

2. Mia Couto (Moçambique)

 

Mia Couto
O mestre da linguagem, o encantador de palavras, autor de seu país mais traduzido no mundo. O criador de “Terra Sonâmbula”, eleito um dos 12 melhores livros de toda a África no século XX,  nos brinda com uma África multifacetada, com ênfase nas margens, no absurdo, no popular, no fantástico que nada mais é do que um olhar poético sobre a realidade deslocada. Destaque para os livros “A menina sem palavra”, “Mulheres de cinza” e “Antes de nascer o mundo” se quiser refletir sobre a vida 100% poesia do autor. E se quiser vestir poesia com a atmosfera de Mia >> https://www.poemese.com/1173_t-shirt_era_uma_vez/p <<

 

3. José Eduardo Agualusa (Angola)

 

José Eduardo Agualusa
Um defensor de raízes, o autor angolano usa e abusa de inovação semântica e estilística em suas narrativas (tipo a gente que adora camisetas poéticas como essa aqui >> https://www.poemese.com/1133-bata-ritmos–metrica–rima/p <<) e se debruça sobre história e identidade em sua ficção. Destaque para “A sociedade dos sonhadores involuntários” que fala sobre sonhos e política angolana que o autor afirma ter escrito com “materiais de poesia” e “Estação das chuvas”, que problematiza a identidade nacional e o cenário violento e inquietante de um país repleto de beleza e horror.

 

4. Ngũgĩ wa Thiong’o (Quênia)

 

Ngũgĩ wa Thiong’o
Após ser perseguido por ditadores em seu país, o autor, que exilou-se nos Estados Unidos, ensinou Literatura na Universidade de Yale e na Universidade de Nova York. Ngũgĩ publicou várias obras em inglês devido seu exílio, mas destacamos “Um grão de trigo” que tem como pano de fundo o processo de independência do Quênia e “das dúvidas e lealdades que cada um leva consigo.” Quando o autor esteve em 2015 na FLIP foi ovacionado em sua palestra. Se você gosta de escrever e semear, vai adorar >> https://www.poemese.com/422-t-shirt-poesia-em-mim/p <<

 


Estamos doidos para saber se conhece algum outro autor africano. Compartilhe com a gente sua descoberta! =)


Hanny Saraiva

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *