Posts by "poemese"

As 10 bibliotecas mais divertidas para levar sua criança

As 10 bibliotecas mais divertidas para levar sua criança

Para você que acredita que livro é vida e está procurando um lugar para levar seu pimpolho no dia das crianças, separamos 10 bibliotecas incríveis que super incentivam deixar solta a imaginação dos pequenos.

1. Biblioteca Hans Christian Andersen – São Paulo

Com a temática “Conto de Fadas”, essa biblioteca fantástica tem uma agenda diversificada indo desde contação de histórias a shows, passando por rodas de conversa e cursos.

O que vestir nesse lugar mágico? Veja aqui.

2. Biblioteca Infantojuvenil Maria Mazzetti-BIMM – Rio de Janeiro

É uma área irresistível dentro da Casa de Rui Barbosa. Mais de 10 mil títulos à disposição para os pequenos se esbaldarem.

Para quem acredita que #lugardecriança é na biblioteca!

3. Biblioteca Pública Infantil e Juvenil – Belo Horizonte

Em BH a melhor pedida é essa biblioteca da terrinha do pão de queijo. Por lá os pequenos encontram pelo menos 20 mil livros e mais de 25 mil revistas em quadrinhos. Tudo que uma pessoa pode imaginar!

4. Biblioteca Infantil 104 304 Sul – Brasília

Com uma escola de criação para crianças de 5 a 10 anos, a biblioteca do Distrito Federal tem por volta de 12 mil títulos e muito amor em forma de histórias, livros e músicas.    #ocupeabiblioteca

5. Biblioteca Pública Estadual Adonay Barbosa dos Santos  – Acre

Acesso livre à internet, filmoteca, espaço HQ. A Biblioteca Pública do Estado do Acre possui um espaço totalmente ambientado para o atendimento infantil com dinamização do acervo. Um lugar de sonho para chamar de seu.

6. Biblioteca Pública Infantil – Curitiba

Com mais de 27 mil exemplares, a biblioteca possui oficinas criativas, gibiteca e até mesmo uma sala de xadrez. Um lugar cativante para a vida ter mais poesia!

7. Biblioteca Monteiro Lobato – Salvador

Essa biblioteca possui uma sala destinada ao escritor Monteiro Lobato, com objetos doados por sua família e um espaço exclusivo dedicado a gibis com fascículos de gibis históricos.

8. Biblioteca Infantil Aglaé Fontes de Alencar – Aracaju

Almofadas, oficinas de artes, livros, gibis, contação de histórias. A biblioteca de Sergipe é cheia de poesia e sorrisos.

9. Biblioteca Municipal Professor Barreiros Filho – Florianópolis

Além de cerca de 7,2 mil obras, a biblioteca possui espaços de leitura e brinquedos. Ótimo cantinho para se aconchegar.

10. Biblioteca Lucília Minssen – Porto Alegre

Rodas de leitura, teatro, oficinas, jogos e mais de 33 mil livros na capital gaúcha.  Essa biblioteca com certeza incentiva o “lê para mim” porque ler é a maior viagem!

 


Conhece uma biblioteca incrível que não foi mencionada? Conta para a gente!


Hanny Saraiva

8 motivos para ler Pablo Neruda durante a vida inteira

8 motivos para ler Pablo Neruda durante a vida inteira

 

Todo mundo carrega um poeta no peito. Todo mundo tem um verso guardado no coração. Pablo Neruda é um desses poetas que cheira a alma lavada, que você tem ali, guardadinho para toda hora consultar, sorrir e refletir. Pensando em sempre florir seu dia, separamos 8 motivos para você ler Neruda durante a vida porque ela, pelos olhos do poeta, é sim inteira.

 

1. Ele era um apaixonado pela leitura

O poeta fez uma doação com mais de cinco mil livros à Universidade do Chile. Quer amor maior pelos livros do que esse? “Tanto corria pelo mundo que minha biblioteca cresceu desmedidamente, ultrapassando as condições de uma biblioteca particular. Certo dia presenteei a grande coleção de caracóis que levei vinte anos para juntar e aqueles cinco mil volumes escolhidos por mim com o maior amor em todos os países. Presenteei-os à universidade de minha pátria.” – Confesso que vivi

 

2. Sua poesia é repleta de lirismo e maestria sobre a linguagem

O poeta chileno foi uma das mais importantes vozes poéticas dos últimos tempos e combinava com destreza pensamento político, lirismo, musicalidade e uma habilidade primorosa sobre a linguagem.

“Não te enganou a primavera com beijos que não floresceram?” – Livro das perguntas

 

3.  Ele era um amante do mar

O mar era uma de suas paixões. Esse fascínio pelas águas salgadas está na beleza de seus versos e na arquitetura de seu lar, em um misto de companheirismo e inspiração.

“De tantas coisas que tive, andando de joelhos pelo mundo, aqui, despido, não tenho mais que o duro meio-dia do mar, e um sino. Eles me dão sua voz para sofrer e sua advertência para deter-me. Isto acontece para todo o mundo, continua o espaço. E vive o mar.” – O mar e os sinos

 

4. Ele também era um poeta do amor

As experiências amorosas do poeta chileno refletiam seu prazer pela vida e as mulheres são temas recorrentes, misturadas a palavras de sensualidade única.
“Em torno de mim estou vendo tua cintura de névoa e teu silêncio me acusa minhas horas perseguidas, e tu és como teus braços de pedra transparente donde meus beijos perdem e minha úmida ânsia abriga.” – Vinte poemas de amor e uma canção desesperada

5. Ele foi vaiado, mas seguiu adiante

Neruda já teve seus dias ruins. Ao ler suas poesias para um grupo seleto de pessoas importantes, a reação do grupo não foi muito positiva e ele foi zombado com frases do tipo “Poetas famintos! Fora! Não estraguem a festa!” – Confesso que vivi

 

6. Ele era um viajante

Neruda era um viajante e, como todo bom viajante, seus olhos eram encantados.

“O vento é um cavalo. Ouça como ele corre pelo mar, pelo céu. Quer me levar: escuta como recorre ao mundo para me levar para longe.” – Antologia poética

 

7.  Ele era um artista engajado na política do Chile

É dele a frase“Toda literatura é engajada.”O poeta teve cargos políticos importantes, foi militante e fugiu do país depois de fazer um discurso que era oposto à posição do Senado. Sua poesia é recheada de consciência política. Saiba mais em > http://blog.poemese.com/quem-foi-pablo-neruda/

 

8. Ele é um autor premiado e pioneiro

Além de ganhar o prêmio Nobel de 1971, Neruda foi o primeiro autor latino-americano a receber o título de Doutor Honoris Causa de Filosofia e Letras da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

“Tem coisa mais boba na vida que chamar-se Pablo Neruda?” – Livro das perguntas

 

 


O que te encanta mais em Neruda?


Hanny Saraiva

7 músicas inspiradas em livros

7 músicas inspiradas em livros

O Rock in Rio passou e quem já ficou com saudade daquele gostinho de festival? o/ Como música e literatura andam coladas e continuam movendo nosso mundo, selecionamos as sete músicas mais divertidas inspiradas em livros para você ter um dia Poeme-se! Porque “depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é a música”.

1. Soma, The Strokes e Admirável Mundo Novo

O nome da música e letra são inspiradas na pílula Soma que cura qualquer dor e sofrimento no livro Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley.

2. For whom the bell tolls, Metallica e Por quem os sinos dobram

O romance de Ernet Hemingway inspirou uma das mais famosas músicas do Mettalica. A música faz referência à guerra, à morte e à montanha onde os personagens do livro se escondem.

3. The Resistance, Muse e 1984

A obra de George Orwell inspirou muita gente, mas a banda britânica fez uma ode ao dedicar o álbum inteiro à sociedade distópica da narrativa de Orwell, como se fosse uma síntese musical do livro.

4. Busca vida, Paralamas do Sucesso e O Pequeno Príncipe

O vídeo da banda de Brasília ganhou várias premiações da MTV Brasil e a música é inspirada no clássico livro de Antoine de Saint-Exupéry. Para você se perder entre as estrelas. =D

5. A hora da estrela, Pato Fu e A hora da estrela

Clarice Lispector inspirou a banda mineira que acredita que “toda arte é alimento pra criar”, com referências explícitas à personagem do livro.

6. Firework, Katy Perry e On the road

Parcialmente inspirada na obra de Jack Kerouac, a música de Katy Perry faz referência à uma passagem do livro que seu esposo havia lido para ela: “como ele queria estar próximo de pessoas que estavam zumbindo e efervescendo”. De acordo com a cantora: “Acho que é por isso que escrevi, é porque eu realmente acredito nas pessoas e acredito que elas têm uma faísca que pode ser um fogo de artifício.

7. Save Ginny Weasley, Harry and the Potters e Harry Potter e a Câmera Secreta

Sim, existe o estilo Wizard Rock, criado por bandas que se inspiram no universo potteriano de J. K. Rowling. Destaque para a banda Harry and the Potters, a primeira do gênero, com divertidas e despretensiosas performances.


Qual sua preferida? Conta pra gente nos comentários! <3


Hanny Saraiva

5 escritores que casaram com suas primas!

5 escritores que casaram com suas primas!

Todo mundo já fez muita coisa divertida, vergonhosa ou marcante com algum primo, né? Eles são nossos primeiros amigos, primeiros confidentes, primeiros amores. Aqueles que dividimos a culpa, a lembrança, o doce, a vida e muitas vezes, a paixão! Até Jane Austen abordou o amor entre os primos Fanny Price e Edmund Bertram no romance “Mansfield Park”. Mas para além da ficção, quais foram os casamentos entre primos mais conhecidos da literatura mundial?

Edgar Allan Poe

Edgar Allan Poe

O autor de “O corvo” e “A máscara da morte escarlate” casou-se com sua prima de primeiro grau, Virginia Eliza Clemm quando Poe tinha 27 anos e a prima 13. Alguns pesquisadores afirmam que os dois mantinham um relacionamento fraternal e não carnal, mas eles ficaram juntos até a morte de Virginia, aos 24 anos.

*Curiosidades: Quem foi Edgar Allan Poe

H. G. Wells

O criador de “A ilha do Dr. Moreau” e “A guerra dos mundos” casou-se com sua prima de primeiro grau Isabel Mary Wells, mas o casório durou apenas 3 anos, pois o compatriota de Lewis Caroll se envolveu com uma de suas alunas.

Mario Vargas Llosa

O autor peruano, vencedor do Prêmio Nobel de 2010, casou-se com sua prima de primeiro grau Patricia e em 2015 eles comemoraram bodas de ouro.Conheça outro ganhador do Prêmio Nobel de Literatura.

Andre Gide

O autor francês de “Os frutos da Terra” e também vencedor do Prêmio Nobel de literatura casou-se com sua prima Madeleine, mas o casamento nunca foi consumado. O admirador de Oscar Wilde certa vez escreveu: “Eu esqueço que ela não é minha mãe”.

José Lins do Rego

O autor brasileiro de “Fogo morto” e “Menino de engenho”, considerado um dos romancistas regionalistas mais prestigiosos da literatura nacional, casou-se com sua prima Philomena (Naná) Massa Lins, filha do senador Antônio Massa em 1924, mesmo ano que Oswald de Andrade escreveu o “Manifesto da Poesia Pau-Brasil”.

 


Conhece alguma outra história entre primos na literatura? Conta pra gente!


 

 

Hanny Saraiva