Autoria, poesia e um amigo virtual




Poesia Visual de Thiago Cervan. Foto de Moises Patricio



Recentemente postamos uma poesia visual em nossa página do Facebook achando que era uma ação poética urbana anônima. Mas, qual não foi nossa feliz surpresa quando descobrimos que o trabalho pertencia ao Thiago Cervan – poeta de São Paulo e amigo da Poeme-se de longa data.

Sabendo que atuamos nesse cyber mundo tão cheio de (des)informações, falsas autorias e pessoas brilhantes que são negligenciadas, resolvemos mostrar então um pouquinho do Poeta Thiago Cervan, sua obra e suas ações poéticas.

 

Equipe Poeme-se: Quando foi que a obra “amarcura”  foi criada? Em que local?

 Cervan:Em 2010, aconteceu na Galeria Mutante (Atibaia/SP) uma oficina de stencil com Celso Gitahy (um dos precursores  do grafite no Brasil) e Matias Picon (uruguaio radicado em SP).  Comecei a fazer a oficina e uni meu trabalho de poesia experimental com o stencil. Nessa época fiz várias experiências poéticas e tenho uma porção de poemas visuais e/ou concretos espalhados por algumas cidades. O amarcura surgiu durante uma dessas oficinas.

 Equipe Poeme-se: Você ficou surpreso com a viralidade dessa obra?

Cervan: Fiquei surpreso sim. Tenho outros poemas concretos realizados com trocadilhos (que ao meu ver só funcionam no espaço urbano) como, por exemplo, o “Abra-se: Abrace”.

Coincidentemente, depois que ele foi parar na internet (a foto é de um amigo artista plástico, o Moises Patricio), algumas versões toscas da obra apareceram sem referência nenhuma ao autor. Não acho difícil duas, três ou quatro pessoas pensarem no mesmo texto, ainda mais se tratando de um simples trocadilho. Mas pensarem ao mesmo tempo, acho estranho mesmo. Mas é o preço que se paga, Leminski em seu texto crítico “O boom da poesia fácil” já alertava sobre esses perigos.

 Equipe Poeme-se: Qual a importância da internet para a literatura? E para você como escritor?

Cervan:Acho bem importante a internet não só para a literatura mas para todas as relações sociais, porém ela tem que ser encarada como um meio (como de fato é) e não como um fim. Juntamente com os saraus e outros eventos literários que frequento a internet é a minha principal forma de divulgação da minha poesia, ou seja, é fundamental.

 Sobre o Poeta:

Thiago Cervan desenvolve um trabalho voltado à experimentação poética em diversos meios. É um dos idealizadores do Sarau do Manolo, evento de resistência cultural que acontece em Atibaia/SP.  Em 2012, publicou o livreto “Sumo Bagaço” pelas Edições Maloqueirista e está preparando segundo livro de poemas, “Dentro da Betoneira”. 

Faça o download do livreto Sumo Bagaço >> Download <<

Conheça o blog do Thiago: >> Blog Thiago Cervan<<

 

 

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *