No Mês da Poesia, o blog vem celebrar Castro Alves. Sua contribuição para o cenário nacional foi tão intensa e importante que em sua data de nascimento, 14 de março, comemoramos o Dia Nacional da Poesia.

Um mergulho na época em que Antônio Frederico de Castro Alves nasceu nos faz vislumbrar um período fértil para aflorar ideias e questionamentos sobre a sociedade. Nascido na Bahia em 1847 e tendo falecido em 1871, com apenas 24 anos, Castro Alves vivenciou no Brasil a queda da monarquia e fez parte do movimento abolicionista. No mundo, lutas operárias, a Teoria da Evolução de Charles Darwin e o Socialismo crescente.

poesia de Castro Alves

Talvez por isso a própria história das obras de Castro Alves tenha sido tão marcante para a sociedade. Foi considerado o último grande poeta do romantismo por ser o autor de maior destaque da 3ª fase romântica – período em que os poetas escreviam sobre questões políticas e sociais, conhecido como Poesia Social.

Em “Navio Negreiro” e “Vozes d’África” fica clara a revolta de Castro Alves com as injustiças e o desejo de libertar os escravos. Mais tarde, ficou conhecido como o poeta dos escravos, justamente pela força política com que defendia a causa em seus versos. Além destas obras, escreveu: “Gonzaga ou a Revolução de Minas”, “Espumas Flutuantes”, “A Cachoeira de Paulo Afonso” e “Os Escravos”.  Nesta última, é onde encontra-se o poema O Navio Negreiro, que compartilhamos aqui um trecho:

Ontem a Serra Leoa,
A guerra, a caça ao leão,
O sono dormido à toa
Sob as tendas d’amplidão!
Hoje… o porão negro, fundo,
Infecto, apertado, imundo,
Tendo a peste por jaguar…
E o sono sempre cortado
Pelo arranco de um finado,
E o baque de um corpo ao mar…

Ontem plena liberdade,
A vontade por poder…
Hoje… cúm’lo de maldade,
Nem são livres p’ra morrer. .
Prende-os a mesma corrente
— Férrea, lúgubre serpente —
Nas roscas da escravidão.
E assim zombando da morte,
Dança a lúgubre coorte
Ao som do açoute… Irrisão!…

Para quem admira sua obra, sua luta e o que Castro Alves representa para a poesia brasileira, pode levar um pouquinho para casa: a Poeme-se criou a camiseta e o porta copos imantado inspirados em “Espumas Flutuantes”.

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *