Posts in "Curiosidades"

Que tiro foi esse? 5 livros que moldaram nosso olhar sobre o Rio de Janeiro

Que tiro foi esse? 5 livros que moldaram nosso olhar sobre o Rio de Janeiro

Uma bela cidade, um povo caloroso, uma história repleta de marcos literários. O Rio de Janeiro comemora hoje, 1º de março, 453 anos em meio a caos, poesia e encantos. Nesta data tão especial, separamos 5 livros que moldaram nosso olhar sobre o Rio de Janeiro e deixamos no ar a pergunta: o que é o Rio de Janeiro para você?

1. Cidade de Deus, Paulo Lins

O livro escrito por Paulo Lins, mostra as tumultuosas mudanças que aconteceram no espaço da Cidade de Deus em meio ao tráfico de drogas e violência. Apesar da beleza natural da cidade ser tombada pela Unesco como patrimônio histórico, a obra é de vital importância por mostrar um Rio de Janeiro repleto de problemas, com o foco pela luta por poder.

2. O cortiço, Aluísio Azevedo

No fim do século XIX a cidade possuía inúmeros cortiços e isso inspirou o autor a retratar a precariedade dessas moradias, se tornando uma das maiores obras naturalistas, descrevendo os conflitos, costumes e as relações sociais dos cariocas. Uma profunda denúncia sobre a exploração do homem pelo homem e seus preconceitos raciais.

3. A hipótese humana, Alberto Mussa

Baseada num caso real, A hipótese humana “parte de um assassinato numa casa de correção no bairro do Catumbi, onde mais tarde foi erguido um presídio no Rio” em 1854. Quarto romance do “Compêndio mítico do Rio de Janeiro” que pretende fazer um “estudo amplo da cidade”, a obra destaca o universo da capoeira e as hierarquias. Uma investigação sobre o crime que também mapeia o Rio que se construiu nas ruas em meio a crimes.

4. Dom Casmurro, Machado de Assis

Muitos consideram esta a obra-prima do autor. O livro narra as lembranças de Bento Santiago no bairro de Engenho Novo e foi imortalizado pela desconfiança de Bentinho em relação à traição de sua amada Capitu – afinal ela traiu ou não? – tendo como pano de fundo o Rio de Janeiro do século XIX e toda sua peculiaridade.

5. A alma encantadora das ruas, João do Rio

As 37 crônicas e reportagens de João do Rio mapeia o que pode ser considerado o símbolo do Rio de Janeiro: os personagens que vivem a rua. As ruas da cidade são compostas por seus personagens que andam pela cidade e que muitas vezes são invisíveis, como moradores de rua, meninos, trabalhadores que exploram o meio. Um retrato construído em meio à poesia e resistência.


Conhece algum outro livro que é fundamental para construir nossa visão sobre o Rio? Conta pra gente nos comentários! =)


Hanny Saraiva

 

As 10 bibliotecas mais divertidas para levar sua criança

As 10 bibliotecas mais divertidas para levar sua criança

Para você que acredita que livro é vida e está procurando um lugar para levar seu pimpolho no dia das crianças, separamos 10 bibliotecas incríveis que super incentivam deixar solta a imaginação dos pequenos.

1. Biblioteca Hans Christian Andersen – São Paulo

Com a temática “Conto de Fadas”, essa biblioteca fantástica tem uma agenda diversificada indo desde contação de histórias a shows, passando por rodas de conversa e cursos.

O que vestir nesse lugar mágico? Veja aqui.

2. Biblioteca Infantojuvenil Maria Mazzetti-BIMM – Rio de Janeiro

É uma área irresistível dentro da Casa de Rui Barbosa. Mais de 10 mil títulos à disposição para os pequenos se esbaldarem.

Para quem acredita que #lugardecriança é na biblioteca!

3. Biblioteca Pública Infantil e Juvenil – Belo Horizonte

Em BH a melhor pedida é essa biblioteca da terrinha do pão de queijo. Por lá os pequenos encontram pelo menos 20 mil livros e mais de 25 mil revistas em quadrinhos. Tudo que uma pessoa pode imaginar!

4. Biblioteca Infantil 104 304 Sul – Brasília

Com uma escola de criação para crianças de 5 a 10 anos, a biblioteca do Distrito Federal tem por volta de 12 mil títulos e muito amor em forma de histórias, livros e músicas.    #ocupeabiblioteca

5. Biblioteca Pública Estadual Adonay Barbosa dos Santos  – Acre

Acesso livre à internet, filmoteca, espaço HQ. A Biblioteca Pública do Estado do Acre possui um espaço totalmente ambientado para o atendimento infantil com dinamização do acervo. Um lugar de sonho para chamar de seu.

6. Biblioteca Pública Infantil – Curitiba

Com mais de 27 mil exemplares, a biblioteca possui oficinas criativas, gibiteca e até mesmo uma sala de xadrez. Um lugar cativante para a vida ter mais poesia!

7. Biblioteca Monteiro Lobato – Salvador

Essa biblioteca possui uma sala destinada ao escritor Monteiro Lobato, com objetos doados por sua família e um espaço exclusivo dedicado a gibis com fascículos de gibis históricos.

Biblioteca Monteiro Lobato

8. Biblioteca Infantil Aglaé Fontes de Alencar – Aracaju

Almofadas, oficinas de artes, livros, gibis, contação de histórias. A biblioteca de Sergipe é cheia de poesia e sorrisos.

9. Biblioteca Municipal Professor Barreiros Filho – Florianópolis

Além de cerca de 7,2 mil obras, a biblioteca possui espaços de leitura e brinquedos. Ótimo cantinho para se aconchegar.

10. Biblioteca Lucília Minssen – Porto Alegre

Rodas de leitura, teatro, oficinas, jogos e mais de 33 mil livros na capital gaúcha.  Essa biblioteca com certeza incentiva o “lê para mim” porque ler é a maior viagem!

 


Conhece uma biblioteca incrível que não foi mencionada? Conta para a gente!


Hanny Saraiva

8 Curiosidades do Samba! História da nossa cultura

No centenário do gênero musical mais popular do Brasil, celebrado no dia 02/12/2016, reunimos 8 curiosidades do samba para quem não é ruim da cabeça, nem doente do pé!

Conheça a Coleção Samba – camisetas para quem é de bamba!

Como nasceu o samba?

1. Origem 

A origem do samba mistura-se com a história do país. Um ritmo que originou-se do batuque da música dos escravos que trouxeram ao Brasil uma rica cultura da África,  mesclando com o cenário musical do Rio de Janeiro no século XIX. Os historiadores contam que as primeiras rodas de samba foi surgindo na cidade em locais onde existiam mães e pais de santo. A música incorporou, além do batuque africano, maxixe e polca e, para chegar à forma que conhecemos hoje, veio o tamborim, o surdo e a cuíca, criados no bairro Estácio de Sá, no Rio, por volta de 1920.

2. Primeiro samba

A expansão do novo gênero musical  para os subúrbios e morros cariocas deu-se principalmente por essas rodas de samba. Foi nessa época que a primeira gravação de um samba ocorreu, chamado de “Pelo telefone”, de autoria de Donga (Joaquim Maria dos Santos) e Mauro de Almeida – embora muitos apontem ser uma criação coletiva, tal feito data de 27 de novembro de 1916. A música também revelou-se um grande sucesso no Carnaval do ano seguinte.

3. Significado

A palavra samba pode ter vários significados, incluindo os elementos que agregam à música, como a própria dança. Registra-se que a primeira vez do uso da palavra em 1838, por frei Miguel do Sacramento Lopes da Gama – sua intenção era designar um dos tipos de música trazidos pelos escravos. Historiadores dizem que a palavra pode ter origem da palavra “semba”, que significa “bater umbigo com umbigo” ou pode ser também sam (pagar) e ba (receber), termos que vieram de línguas africanas.

No início, samba tem uma relação com festa, diversão, mas também, pela dinâmica da roda de samba, pode apontar para uma espécie de competição entre os músicos, com a finalidade de um improvisar melhor do que o outro durante a música. O partido alto, um dos principais segmentos do samba carioca era um dos grupos que adotava tal dinâmica.

Curiosidades do samba e sua história

E se esses escritores tivessem um perfil no Instagram?

A editora  criou uma lista curiosa e muito divertida para os amantes de literatura. Perguntaram-se: E se os escritores tivessem um perfil no Instagram? Como seria? O resultado você confere abaixo:

Virginia Woolf

Nessa “selfie” de mentira, Viriginia escolheu como legenda sua própria frase: “Estou enraizada, mas fluo”.

se os grandes escritores tivessem instagram

Leo Tolstoy

Se tivesse um Instagram, provavelmente Tolstói publicaria essa foto com ensopado de legumes, o borsch. Sua legenda: “Um homem pode viver e ser saudável sem matar animais para comer”. Ele ainda receberia comentários de Dostoiévski diz “Dizem que os bem alimentados não podem entender a fome. Humpf” e de Anton Tchekcov, dizendo que ama o tradicional prato russo.

instagram poesia

Ernest Hemingway

Outro escritor, Ernest Hemingway, amante dos gatos escreveria: “Um gato leva a outro”. Seu amigo, o também escritor, Scott Fitzgerald, faria um trocadilho infame com seu livro “O Grande Gatsby”, comentando: “O Grande Catsby”. Hemingway entraria na brincadeira e não deixaria por menos, em resposta, escreveria “O trocadilho também se levanta”, em referência a sua obra “O sol também se levanta”.

instagram hemingway

Charles Bukowski

Charles Bukowski é famoso por escrever sobre a vida boêmia e sua publicação não poderia ser diferente: “Eu bebo ao paraíso e à morte e à mentira do amor”.

bukowski instagram

Henry David Thoreau

Henry Thoreau, poeta naturalista, publica “Uma caminhada de manhã cedo é uma benção por todo o dia”. Nietszche daria continuidade à essa reflexão: “Todas as ideias realmente boas são concebidas enquanto caminhamos”.

henry david

Robert Frost

Já Robert Frost teria um conteúdo mais inspiracional sobre sua produção: “Sem lágrimas no escritor, sem lágrimas no leitor”.

instagram literatura

T.S. Eliot

E que tal a frase de T.S. Eliot? “Aprendo muito meramente te observando, deixando que fale o quanto quiser e tomando notas daquilo que você não diz”. Destaque para as hashtags: #judging #shelfie no #selfie

instagram de escritores

Walt Whitman

“Sou amplo, contenho multidões”, diria Walt Whitman. Em resposta, o poeta Allen Ginsberg zombaria: “Para quais caminhos apontam sua barba esta noite?” – um trecho do poema “Um supermercado na Califórnia”, no qual Ginsberg tem uma conversa imaginária com Whitman.

E se esses escritores tivessem um perfil no Instagram

Quem foi Cecília Meireles? Histórias, curiosidades…

Quem foi Cecília Meireles? Para responder essa pergunta, poderíamos dizer que ela é uma das autoras mais importantes do Brasil e de toda a literatura na língua portuguesa. É possível responder também destacando seus múltiplos talentos: poetisa, pintora, professora e jornalista. Mas a história de Cecília tem mais curiosidades e fatos notórios que queremos contar para homenagear a escritora que completaria 114 anos.

Considero o lirismo de Cecília Meireles o mais elevado da moderna poesia de língua portuguesa.  Nenhum outro poeta iguala o seu desprendimento, a sua fluidez, o seu poder transfigurador, a sua simplicidade e seu preciosismo, porque Cecília, só ela, se acerca da nossa poesia primitiva e do nosso lirismo espontâneo…A poesia de Cecília Meireles é uma das mais puras, belas e válidas manifestações da literatura contemporânea.” Paulo Rónai, crítico literário

quem foi cecilia meirelesEm 7 de novembro de 1901, na Tijuca, Rio de Janeiro, nascia a menina Cecília. Ainda nova, ficou órfã e foi criada pela avó. Sua história foi cercada de outros dramas, como o suicídio do primeiro marido e o fato de que ela fora a única sobrevivente de quatro irmãos.

Aos 18 anos, Cecília publicou seu primeiro livro de poesias, “Espectros”. A obra era composta por sonetos simbolistas. Ao longo de todas as suas publicações, Cecília Meireles foi sendo reconhecida como uma autora atemporal, uma vez que convivia com influências modernistas, mas também do classicismo, romantismo, parnasianismo, surrealismo e realismo.

Após perder o primeiro marido, com quem teve suas 3 marias: Maria Elvira, Maria Mathilde e Maria Fernanda, Cecília casou-se novamente com o engenheiro Heitor da Silveira Grilo.

Nos anos 20, a autora foi reconhecida por lutar pelos direitos da mulher, pela imprensa livre e pela arte como instrumento da educação. O seu lado professora, fez Cecília dedicar também seus escritos às crianças, lançando mais tarde, em 1964, a famosa obrade poesia infantil “Isto ou Aquilo”. Além das aulas de educação primária, ministrou para classes de literatura em universidades do Rio e do Texas.

Em 9 de novembro de 1964, dois dias após completar 63 anos, Cecília faleceu devido a um câncer. Ficoucedula cecilia meireles conhecida pela poética pura e referência de linguagem fluida e de grande força. Um ano depois de sua morte, ganhou o Prêmio Machado de Assis, pelo conjunto de sua obra, da Academia Brasileira de Letras. Virou nome de Escola Municipal de Educação Infantil em São Paulo e estampou uma cédula de 100 cruzeiros.

Porta copos Cecília Meireles

cecilia meirelesCaneca Cecília Meirelescaneca cecilia meirelesCamiseta Cecília Meirelescamiseta cecilia meirelesCamiseta Cecília Meirelescamiseta cecilia meireles motivo

quem foi cecilia meireles

Curiosidades de Carlos Drummond de Andrade

Se estivesse vivo, o homem reconhecido como um dos mais influentes poetas brasileiros do século XX, completaria 113 anos em 31 de outubro de 2015. Para celebrar sua vida e obra, reunimos as melhores curiosidades de Carlos Drummond de Andrade.

1) Múltiplos talentos
Drummond, que nasceu em Itabira, interior de Minas Gerais, dedicou sua vida à escrita. Foi além de poeta, contista, jornalista, cronista e tradutor de diversas obras.

2) Expulso do colégio
O ainda menino Drumond foi expulso do Colégio Anchieta, aos 15 anos, por insubordinação mental – na época a justificativa dos padres da direção.  Mais tarde graduou-se em Farmácia, embora nunca tenha exercido a profissão.

3) Não fez parte da ABL 
O escritor sempre rejeitou o título de imortal atribuído aos membros da Academia Brasileira de Letras. Isso porque Drummond nunca sequer se inscreveu para candidatar-se para ocupar uma cadeira.

4) Desentendimento com Mário de Andrade
Com 22 anos, o poeta lançou seu livro “Os 25 poemas da Triste Alegria”, de forma artesanal. Uma das pessoas que ele mostrou sua obra recém-lançada foi Mário de Andrade, que devolveu fortes críticas. Um ano depois, conta-se que quando se encontraram Drummond recusou o abraço de Mário – mas muitos atribuem o gesto à timidez de Drummond.

5) Traduziu grandes nomes
Graças a Drummond temos obras de Balzac, Choderlos de Laclos, Marcel Proust, García Lorca, François Mauriac e Molière na língua portuguesa.

6) Veia jornalística
Carlos trabalhou como repórter para o Correio da Manhã e também foi cronista, dizendo que “O jornalismo é uma forma de literatura.” Suas crônicas forma publicadas no Jornal do Brasil de outubro de 1969 a setembro de 1984.

ultima-cronica-de-carlos-drummond-de-andrade

7) Traduziu músicas da banda The Beatles
Em 1969, seis músicas do quarteto britânico foram traduzidas por Drummond para a revista Realidade (Editora Abril): Ob-La-Di, Ob-La-Da; Piggies; Why don’t we do it in the road?; I Will; Blackbird e Happiness is a warm gun.

8) Deu samba! 
Carlos Drummond de Andrade virou samba-enredo da Estação Primeira de Mangueira em 1987 , que teve o enredo como o grande vencedor daquele ano. Já em 1976, o sambista Martinho da Vila gravou “A Rosa do Povo”, um disco com canções inspiradas no livro de Drummond.

9) Virou nota de dinheiro
Em 1989 o Brasil ganhou notas de Cruzado Novo, que cortavam três zeros em relação à moeda anterior, o Cruzado. A nota de 50 cruzados novos foi estampada por Drummond – de um lado o rosto do poeta, do outro o poema Canção Amiga (do livro Novos Poemas, de 1948): “Eu preparo uma canção/ que faça acordar os homens/ e adormecer as crianças.”curiosidades carlos drummond de andrade
10) Principais obras
Para quem quer descobrir a obra de Drummond, suas principais englobam: Alguma Poesia, Sentimento do Mundo, A Rosa do Povo, Claro Enigma, Antologia Poética, José e Outros, Corpo.

Contribua para aumentar a nossa lista de curiosidades de Carlos Drummond de Andrade, conte pra gente nos comentários outros fatos interessantes da vida do grande escritor!

01

Curiosidades de Saramago: elegemos 10 fatos sobre o autor.

José de Sousa Saramago, um dos nomes mais importantes da literatura da língua portuguesa, acaba de voltar à nossa loja com um reprint mais que especial (veja aqui a camiseta inspirada em “Ensaio sobre a cegueira”). E porque a gente adora o escritor, sabemos que ele merece esse espaço aqui no blog pra contarmos sobre as curiosidades de Saramago, vem ver:

– Nascimento:
Nasceu no ano de 1922, em Azinhaga, Golegã, Portugal.

– Principais obras de José Saramago:
O Evangelho Segundo Jesus Cristo, Ensaio Sobre a Cegueira, Caim, O Conto da Ilha Desconhecida… Só para citar algumas!

– Não só de romances vivia Saramago…
Ele foi autor de peças teatrais, contos, poesias, crônicas.

– Prêmios:
Ganhador do Nobel de Literatura em 1998 e do Prêmio Camões em 1995 (o mais importante prêmio literário de língua portuguesa).

– E o livro vira filme! 
Seu “Ensaio sobre a Cegueira” transformou-se em uma adaptação para o cinema, que foi lançada em 2008. O filme é dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles.

Trecho do filme de Meirelles.

Cena do filme de Meirelles.

– Estilo da escrita:
Saramago desenvolveu um estilo único, no qual assumia verdadeira cumplicidade com o leitor como narrador. Além do mais notável: a peculiar maneira de pontuar suas frases. Raro encontrar pontos finais, quando o uso das vírgulas é bem mais constante.

– Polêmico
O escritor não tinha papas na língua para expor suas opiniões e se dizia desafeto da Igreja Católica, George W. Bush e do governo israelense.

– O Evangelho segundo Jesus Cristo
Nessa obra, o autor foi amplamente criticado por setores que acusavam o livro de herege, uma vez que o tratamento à figura de Jesus era controverso e suscitou diversas discussões morais e até políticas.

– Exílio
No ano de 1992, Saramago muda-se para as Ilhas Canárias, fato que ocorreu justamente após o governo português bloquear a nomeação de “O Evangelho segundo Jesus Cristo” para concorrer a um prêmio literário europeu.

– Morte
O escritor veio a falecer em decorrência de leucemia crônica, em 18 de junho de 2010. Tinha 87 anos.

Pra quem aprecia Saramago, não deixe de ver todos os detalhes dessa camiseta inspirada em “Ensaio sobre a Cegueira”:

quem foi jose saramago

 

Agora é com você: queremos aumentar a nossa lista de curiosidades de Saramago. Conte pra gente nos comentários mais algum fato da vida do autor que você ache interessante.

curiosidades-de-saramago