Posts in "Lima Barreto"

FLIP2017 – O que vai rolar de bom?

Com uma presença maior de autores negros, mais mulheres, mais eventos paralelos e todo o charme de Paraty, a FLIP 2017 esta chegando. Por isso, separamos atividades imperdíveis durante a edição que Homenageia Lima Barreto. Confira:
Lima Barreto

Lima Barreto

Dia 26

Às 19h15 tem a sessão de Abertura – “Lima Barreto: triste visionário” O ator Lázaro Ramos e a historiadora Lilia Schwarcz, biógrafa do homenageado, vão apresentar uma aula ilustrada, comparando o Brasil de Lima Barreto e suas previsões para o futuro. A sessão de Abertura foi batizada com o título do livro de Lília que acabou de ser lançado

Dia 27

“Em nome da mãe” é o nome da mesa oficial que começa às 21h30. Nela, duas escritoras cujas famílias foram marcadas pelas guerras ( a brasileira Noemi Jaffe e a tutsi Scholastique Mukasonga) vão conversar sobre as reconstruções artísticas a partir das tragédias.

Dia 28

Para quem é de cair na night da literatura, a Festa do Policarpo, organizado pelo PublishNews,  acontecerá a partir das 22h. O local será o quiosque Pizzaria da Praia, na praia do Pontal, do outro lado do rio Perequê-açú, próximo ao terreno que abrigava a antiga Tenda dos Autores da Flip. (veja o evento aqui)

Dia 29

No sábado, a Amazon vai realizar o Dia do Autor Independente na Casa Santa Rita da Cassia – A programação acontecerá a partir das 10h. Durante o dia haverá um pitching apelidado de Vendendo sua Ideia, no qual 10 autores independentes terão três minutos para apresentar seus projetos a editores e profissionais do mercado editorial.

 

Às 20h15 do sábado, na Casa Sesc, vai rolar o Sarau de 5 Polegadas: Prosa e poesia lidas por convidados e público a partir de aparelhos digitais, como telefones celulares. Com Jessé Andarilho e Coletivo Marginow.

 


Essas são só algumas das atividades da FLIP. Agora queremos saber o que você nos sugeriria?

 

Coleção Levo Meu Poeta no Peito: camisetas de escritores

A coleção “Levo Meu Poeta no Peitonasceu da ideia de colocar em movimento grandes nomes da literatura e da poesia para serem vestidos. Por isso, hoje apresentamos 4 lançamentos de camisetas de escritores: José de Alencar, Eça de Queirós, Aluísio de Azevedo e Lima Barreto.

camiseta de escritores jose de alencarCamiseta José de Alencar
“A ocasião faz o homem”

José Martiniano de Alencar nasceu em Fortaleza, no ano de 1829. De família tradicional e formado em Direito, José de Alencar iniciou a carreira de escritor em jornais como Diário do Rio de Janeiro.

É autor de grandes obras da literatura brasileira, sendo as principais: “O guarani”, “Lucíola”, “Senhora” e “Iracema”. O escritor é considerado também um dos maiores nomes do romantismo, abordando temas nacionais, como o indianismo e com uma linguagem inovadora. Na época, a literatura no país era muito influenciada pela literatura portuguesa e José de Alencar trouxe características próprias ao partir para uma linguagem mais nacional.

 

camiseta eca de queirosCamiseta Eça de Queirós 

“O amor eterno é o amor impossível. Os amores possíveis começam a morrer no dia em que se concretizam.”

O segundo autor que estampa nossas camisetas de escritores é José Maria de Eça de Queirós, um artista essencial da literatura portuguesa. Entre suas obra estão “Os Maias”, “Primo Basílio” e “O Crime do Padre Amaro”, sendo este considerado por diversos críticos o melhor romance do realismo português do século XIX.

Seu estilo literário pode ser definido em fases: os primeiros textos apresentavam características do romantismo, enquanto sua segunda fase foi mais direcionada para o realismo. Além disso, tinha marcadamente uma escrita que demonstrava sua visão crítica da sociedade e fugiu do estilo clássico, tendo mais liberdade quanto à forma de seus textos.

camiseta aluisio de azevedoCamiseta Aluísio de Azevedo

“Confio nos meus dentes, e esses mesmo me mordem a língua!”

O escritor Aluísio Tancredo Belo Gonçalves de Azevedo, nascia em São Luís, em 1857, para se tornar um dos grandes nomes da literatura no Brasil. Seu livro “O Cortiço” é um dos mais lidos, seja por ser um clássico e também por diversos estudantes que estão prestando vestibular.

Essa obra é integrante do movimento conhecido como naturalismo, onde os vícios humanos e a miséria são retratados e os comportamentos dos personagens são influenciados pela natureza. Além de “O cortiço”, escreveu “O mulato” e “Casa de pensão”.

 

camiseta lima barretoCamiseta Lima Barreto 

“O Brasil não tem povo, tem público”

Jornalista que escrevia para periódicos anarquistas do século XX, Lima Barreto alcançou grande expressão como escritor no país. Nascido no Rio de Janeiro, em 1881. É dele o romance “Triste Fim de Policarpo Quaresma”. 

Tinha um estilo de escrita mais despojado e coloquial, abordava temas da cultura popular, a boêmia, os pobres. Era um ferrenho crítico da República Velha e desejava utilizar de sua escrita para militar contra os privilégios da aristocracia, buscando exaltar a renovação de certos costumes e práticas da época.

Em sua obra, de temática social, privilegiou os pobres, os boêmios e os arruinados. Foi severamente criticado por escritores contemporâneos por seu estilo despojado e coloquial, que acabou influenciando os escritores modernistas.