Posts in "Mário de Andrade"

O que foi a Semana de Arte Moderna?

Um marco na cultura brasileira. A inauguração do modernismo no país. Venha descobrir o que foi a Semana de Arte Moderna hoje no blog:

De 11 a 18 de fevereiro de 1922, a cidade de São Paulo foi palco de um grande evento para o movimento modernista no Brasil: a Semana de Arte Moderna que completa em 2016 seus 94 anos. A iniciativa foi concebida com o apoio de grandes nomes de artistas e cada dia do evento foi dedicado a uma arte: pintura, escultura, poesia, literatura e música.

Contexto histórico:
Muitos artistas dessa época viviam um dilema em busca de mais liberdade de expressão, sem encontrarem um padrão para se encaixarem. Os defensores de estéticas mais clássicas se espantavam com as novas linguagens que surgiam, porém o movimento que nascia defendia a renovação do ambiente artístico – um desejo que refletia a necessidade de abandonar as heranças europeias e construir uma identidade mais brasileira para a arte e total liberdade de expressão. O movimento foi apoiado pela elite cafeicultora de São Paulo, que alugou o Teatro Municipal para o evento ocorrer.

Curiosidades e principais artistas:     

mario-de-andrade-semana-de-arte-moderna– Mário de Andrade: um dos idealizadores do evento, participou com a palestra A Escrava que Não É Isaura. No mesmo ano, lançou o livro de poemas “Paulicéia Desvairada”, que foi um grande marco para o movimento por ser considerada a primeira obra lançada do modernismo. Mais tarde, tornaria-se um dos principais nomes da literatura modernista do Brasil e alcançaria grande reconhecimento com sua obra “Macunaíma”. (Veja mais sobre Mário de Andrade)

 

oswald de andrade semana de arte moderna– Oswald de Andrade: um dos organizadores do evento, o poeta, dramaturgo, romancista e ensaísta foi um dos principais nomes do modernismo no Brasil. Em uma analogia com o nosso pau-brasil, o artista acreditava que assim como a árvore, nossa arte também teria qualidade para ser exportada para o mundo. Ele queria uma arte mais original e autêntica. Mais tarde, juntamente com Tarsila do Amaral lançou o Movimento Antropofágico em 1928 – iniciativa que justamente queria devorar as técnicas importadas e reelaborá-las com mais autenticidade e, assim, exportar nossa arte.

manuel-bandeira--semana-de-arte-moderna– Manuel Bandeira: durante a Semana de Arte Moderna, o poema “Os Sapos”, de sua autoria, foi alvo de vaias durante a sua leitura pelo poeta Ronald de Carvalho. Houve um grande tumulto que continuou após o final da leitura. O poema era uma dura crítica a outro movimento, o Parnasianismo – que defendia a linguagem formal, o culto à forma – justamente o que o Modernismo vinha para romper. (Saiba mais sobre o Parnasianismo aqui).

 

oswald-de-andrade-semana-de-arte-moderna– Heitor Villa-Lobos: maestro e compositor, Villa-Lobos também foi vaiado por entrar no palco com uma casaca, mas nos pés havia uma particularidade: em um pé calçava um sapato e no outro, um chinelo – fato que foi visto como extremamente desrespeitoso. Mais tarde, viria à tona o motivo: ele estaria com um calo no pé. O músico após um tempo estudando cantigas folclóricas e inserindo suas influências em suas músicas, ganhou projeção internacional. Também é reconhecido por renovar o ensino musical em São Paulo e no Rio de Janeiro.

tarsila-do-amaral-semana-de-arte-moderna– Tarsila do Amaral: um dos importantes nomes do Modernismo brasileiro, a pintora não participou da Semana de Arte Moderna, pois na ocasião estava em uma viagem aprimorando suas técnicas. Porém seu estilo próprio, geométrico, marcado por cores e de temática caipira pode ser visto como um dos grandes sucessos no desdobramento do início do movimento no país. Além de fazer parte do Movimento Antropofágico com Oswald de Andrade. Sua tela de maior sucesso, Abaporu, é uma denominação indígena para antropófago.

 

revista-klaxon Revista Klaxon: após a semana, grande parte do grupo de artistas participantes organizou uma revista modernista, a Klaxon. O objetivo era divulgar as ideias modernistas não somente pelo conteúdo de seus textos, mas também todo o projeto refletia as intenções do movimento: a diagramação, as imagens e também a participação de artistas estrangeiros.

 

 

Contribuições:

Na época da Semana de Arte Moderna, o evento foi alvo de críticas em grande parte pelo choque e espanto que a ruptura com a ordem clássica causou no público. Fato normal quando se busca algo inovador e mais ousado, como era objetivo do grupo modernista. Assim, a semana foi ganhando mais importância com o tempo e sendo mais compreendida e incorporada em nossa cultura em um caminho sem volta.

O modernismo foi se desenvolvendo com publicações como a Revista Klaxon e a Revista Antropofágica, além de movimentos que foram se expandindo como: Pau-Brasil, Verde-Amarelismo, Grupo Anta e o já citado Movimento Antropofágico. Algumas questões marcantes que percebemos através das influências do modernismo foram parte do movimento do Tropicalismo, na década de 1960, de Caetano Veloso e Gilberto Gil. Também vemos marcas na geração da Lira Paulistana, nos anos de 1970.