Posts in "Mário Quintana"

Que poema de Quintana te representa?

Já dizia o poeta, “Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente… e não a gente a ele! Para homenagear o mestre da simplicidade (que ironicamente não gostava de homenagens), separamos cinco poemas que adoramos e te desafiamos a escolher um. Que poema de Mário Quintana te representa?

1. Amor é síntese

Por favor não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu
Se ninguém resiste a uma análise profunda
Quanto mais eu
Ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor
Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva todo em seus braços
E eu serei perfeito amor.

2. Esperança

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E – ó delicioso voo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
– Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
– O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

3. Olho as minhas mãos

Olho as minhas mãos: elas só não são estranhas
Porque são minhas. Mas é tão esquisito distendê-las
Assim, lentamente, como essas anêmonas do fundo do mar…
Fechá-las, de repente,
Os dedos como pétalas carnívoras!
Só apanho, porém, com elas, esse alimento impalpável do tempo,
Que me sustenta, e mata, e que vai secretando o pensamento
Como tecem as teias as aranhas.
A que mundo
Pertenço?
No mundo há pedras, baobás, panteras,
Águas cantarolantes, o vento ventando
E no alto as nuvens improvisando sem cessar.
Mas nada, disso tudo, diz: “existo”.
Porque apenas existem…
Enquanto isto,
O tempo engendra a morte, e a morte gera os deuses
E, cheios de esperança e medo,
Oficiamos rituais, inventamos
Palavras mágicas,
Fazemos
Poemas, pobres poemas
Que o vento
Mistura, confunde e dispersa no ar…
Nem na estrela do céu nem na estrela do mar
Foi este o fim da Criação!
Mas, então,
Quem urde eternamente a trama de tão velhos sonhos?
Quem faz – em mim – esta interrogação?

4. Alma errada

Há coisas que a minha alma, já mortificada não admite:
assistir novelas de TV
ouvir música Pop
um filme apenas de corridas de automóvel
uma corrida de automóvel num filme
um livro de páginas ligadas
porque, sendo bom, a gente abre sofregamente a dedo:
espátulas não há… e quem é que hoje faz questão de virgindades…
E quando minha alma estraçalhada a todo instante pelos telefones
fugir desesperada
me deixará aqui,
ouvindo o que todos ouvem, bebendo o que todos bebem,
comendo o que todos comem.
A estes, a falta de alma não incomoda. (Desconfio até
que minha pobre alma fora destinada ao habitante de outro mundo).
E ligarei o rádio a todo o volume,
gritarei como um possesso nas partidas de futebol,
seguirei, irresistivelmente, o desfilar das grandes paradas do Exército.
E apenas sentirei, uma vez que outra,
a vaga nostalgia de não sei que mundo perdido…

5. Poeminha do contra

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

Sabedoria literária, compreensão sobre a vida – o imaginário de Quintana vai além de seu tempo e nos toca com o sublime e singelo sopro da existência. Que poema te representa? Já deu uma olhada em nossas camisetas literárias? Clique aqui.

Frases de Mário Quintana em uma seleção especial

Mário Quintana é um dos escritores mais celebrados da literatura brasileira. A sua sensibilidade e o brilhantismo que imprime em seus versos criaram poemas inesquecíveis. Agora, próximo aos 110 anos do nascimento desse grande escritor, que veio ao mundo em 30 de julho de 1906, reunimos algumas de suas obras mais preciosas: uma seleção especial com frases de Mário Quintana – daquelas que aquecem o coração e emocionam.

Então, prepare-se, pois é como nosso mestre dizia:

A poesia não se entrega a quem a define.

Quintana e o Amor 

Bilhete
Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda…

*

Eu agora — que desfecho!
Já nem penso mais em ti…
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?

*

O amor é quando a gente mora um no outro.

Quintana e a Amizade

A amizade é uma espécie de amor que nunca morre

*

Não te abras com teu amigo
Que ele um outro amigo tem.
E o amigo do teu amigo
Possui amigos também…

Quintana e a Vida 

Poeminha do Contra
Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão…
Eu passarinho!

*

Das Utopias
Se as coisas são inatingíveis… ora!
Não é motivo para não querê-las…
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!

*

Hoje é Outro Dia
Quando abro cada manhã a janela do meu quarto
É como se abrisse o mesmo livro
Numa página nova…

*

A arte de viver
É simplesmente a arte de conviver…
Simplesmente, disse eu?
Mas como é difícil!

*

A resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.

*

O pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso.

Frases de Quintana sobre o Tempo 

Esse tic-tac dos relógios
é a máquina de costura do Tempo
a fabricar mortalhas.

*

O que faz as coisas pararem no tempo é a saudade.

Frases de Quintana sobre escrever 

Emergência
Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo —
para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.

*

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.

*

Um bom poema é aquele que nos dá a impressão
de que está lendo a gente … e não a gente a ele!

*

Ser poeta não é dizer grandes coisas, mas ter uma voz reconhecível dentre todas as outras.

 

Veja aqui algumas Curiosidades sobre Mário Quintana

mario quintana

Curiosidades sobre Mário Quintana

Um dos grandes da literatura brasileira, o “poeta das coisas simples”. Reunimos 8 curiosidades sobre Mário Quintana. Aprecie:

1) Conhecido como o “poeta das coisas simples”, o escritor possuía um estilo marcado pela ironia, perfeição técnica e profundidade.

2) Quintana também fazia as vezes de tradutor: foram mais de 130 obras da literatura universal, tais como: “Em Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, “Mrs Dalloway”, de Virginia Woolf, e “Palavras e Sangue”, de Giovanni Papini.

3) Mário Quintana foi expulso do Hotel Magestic, no centro de Porto Alegre, pois o jornal onde trabalhava, o Correio do Povo vei à falência. Ironicamente, anos mais tarde, o local transformaria-se na famosas “Casa de Cultura Mário Quintana”.

4) O primeiro livro foi publicado quando Mário tinha 34 anos, embora já fizesse versos desde pequeno.

5) Dentre tantas obras, as de maior destaque são: Canções, 1945; O Aprendiz de Feiticeiro, 1950; Quintares, 1976; O Baú de Espantos, 1986; dentre outros.

6) Manuel Bandeira dedicou-lhe um poema, onde se lê:

Meu Quintana, os teus cantares
Não são, Quintana, cantares:
São, Quintana, quintanares.
Quinta-essência de cantares…
Insólitos, singulares…
Cantares? Não! Quintanares!

7) Lança seu primeiro livro de poesias, A Rua dos Cataventos, em 1940. Assim, tem início sua carreira de poeta, escritor e autor infantil.

8) Uma de suas conquistas foi a publicação de Antologia Poética, no ano de 1966, com sessenta poemas, organizada por Rubem Braga e Paulo Mendes Campos, e lançada para comemorar seus sessenta anos de idade.

Camiseta Selfie Poética

curiosidades quintana

mario quintana