Posts in "Mulher"

12 presentes para mães verdadeiramente literárias!

Mães verdadeiramente literárias merecem presentes verdadeiramente poéticos…não é verdade? Só que não é fácil surpreender aquela que sempre trazia dúzias de gibis novos para casa. Por isso, batemos um papinho rápido com nossa equipe e selecionamos 12 presentes literários da Poeme-se que tirariam o fôlego da sua mãe. Confira nossa lista:

 

 

1. Book bag “Faça mais do que te faz feliz

Book bag te faz feliz

 

 

Faça mais do que te faz Feliz é um

mantra fantástico para desejar a

quem leu o Pequeno Príncipe quando

você era pequeno, né?

 

2.Batinha literária “Abraço

Batinha literária abraço

 

“Quanto mais apertado é o abraço

mais confortável é morar nele.”

Nem precisa falar mais nada né?

Quando sua mãe ler a frase e vocês

se olharem, o abraço vai dizer tudo.

 

 

3.Poesia um santo remédio para se Sentir Bem

Poesia um santo remédio

 

 

Nem sempre é possível estar perto, né?

Mas sempre que ela tomar uma dose de

poesia, vai lembrar de você.

 

 

4.Pedra poética Machado de assis

Pedra poética Machado de Assis

 

Um escritor desenhado a mão,

em pedra portuguesa, é uma ótima

forma de deixar a estante de livros

dela linda. É claro que ela vai amar.
 

 

5.Camiseta literária Simone de Beauvoir

Camiseta literária Simone de Beauvoir

 

 

 

Mãe feminista ama muito, não é verdade?

 

 

 

6.Capinha para celular literária

Capinhas literárias

 

Aquela frase que diz que toda mãe

é igual é balela. Sua mãe é literária,

descolada e vai ficar sem palavras

quando ver essa capinha.

Presente especial, feito a mão, em madeira 😉

7.Kit de caderninhos frida kahlo

kit caderninhos frida kahlo

 

 

Toda mãe literária ama escrever, não é verdade?

 

 

 

 

8.Babylook “Camões

Babylook Camões

 

 

 

Afinal,  falar de amor nesse dia especial

através dos poemas de Camões não tem erro.

 

 

9.Book bag Fernando Pessoa 

bookbag Fernando Pessoa

 

 

 

 

Para quem sabe que ser mãe é carregar

em si, todos os sonhos do mundo.
 

10.Pôster literário Olavo Bilac

Poster Olavo Bilac

 

 

 

“Não tenho dúvidas que a sua mãe

sabe ouvir muito bem.”
 

 

11.Batinha “Amar Cura

Modelo Batinha Amarcura

 

 

Amargura não rima com dia das mães.

Essa camiseta literária celebra todas as

vezes que sua mãe salvou o dia com

aquele colo quentinho.

12.Caneca livros

Caneca poética livros

 

 

 

Nenhuma mãe resiste a uma caneca

genuinamente literária, né?

 

 

 

Se nenhum desses produtos poéticos tem o perfil da sua mãe, passa lá na nossa loja virtual e confira uma infinidade de possibilidades para presentear com estilo uma mãe literária.

Banner mês das mães

Mulheres que marcam a história da Poeme-se

No Dia Internacional da Mulher a Poeme-se quer apresentar algumas mulheres que fazem parte da história dessa empresa verso. Por aqui, sempre vimos essa data, 8 de março, como um dia de luta. A cada ano buscamos promover ações que mostrem a força e a importância da produção artística e literária das mulheres.

Foi assim no ano passado, com o Mulheres que Versam, que trazia poesias de mulheres da nova cena poética, durante todo o mês de março. E também em nosso resgate histórico dos direitos civis conquistados por mulheres ao longo do tempo, dividindo espaço com as produções de grandes autoras. Veja aqui: Dia Internacional da Mulher: história de luta e arte

E agora, reunimos 4 mulheres que estão todos os dias contribuindo com a Poeme-se. Conheçam quem faz a diferença na nossa equipe:

É uma forma de colocar a poesia junto com a literatura no mundo. Com criatividade aonde podemos guardar poesia em nossa casa com produtos ou leva-los no nosso dia a dia com camisas. Fazendo com que as pessoas convivam mais com a poesia, com a história da literatura e com os escritores.

Jaqueline Ribeiro – trabalha na parte administrativa da Poeme-se e em diversas feiras, como a Feira do Rio Antigo e a Flipoços. Ela começou a trabalhar há 3 anos com a empresa-verso, em uma das feiras do Rio Antigo e depois de um tempo, foi chamada para integrar o time administrativo. “Sempre tive uma conexão com a Poeme-se. É muito marcante a transformação que tive após começar a trabalhar aqui porque antes eu não era uma leitora e hoje leio poesia e entendo que é uma arte para todos. O meu envolvimento com o mundo literário foi muito importante porque eu iniciei um novo rumo, ingressei no curso pré-vestibular e tenho o sonho de cursar Publicidade e Propaganda ou Produção Cultural.”

Jaqueline destaca que o maior prazer de trabalhar com a Poeme-se é justamente nos momentos em que participa das feiras e tem contato com o público: “Uma vez, participando da Flipoços, recebemos um grupo de deficientes audiovisuais. Uma das meninas me disse que queria saber mais sobre as camisetas e assim ela foi tateando a estampa e eu fui descrevendo para ela como era a frase de BorgesSempre imaginei o paraíso como uma espécie de biblioteca´ Foi um momento muito forte para mim”. Durante o evento da Lavradio, no qual a Poeme-se participa sempre, a Jaqueline contou que criou um laço especial com três meninas que vendem acessórios de cabelo: “Elas vêm e conversam, sempre pegam uma pílula poética e uma delas certa vez escreveu um recadinho para mim. Sinto que posso estar de alguma forma dando um incentivo para elas mudarem. A poesia tem esse movimento de agregar, nunca de excluir. Comecei a ver a literatura como um agente de transformação e reconstrução.” 

Para ela, a camiseta que mais destaca da nossa coleção é a de Miguel de Cervantes e quando questionada sobre o porquê, ela é firme: “A frase é forte: ‘Eu sei quem eu sou e quem posso ser, se eu desejar’ e é muito interna para mim. É sobre quando a gente entende quem não há quem diga que a gente não pode.” E que seja sempre assim, Jaqueline!

Gabriella Santoro – co-fundadora da Poeme-se, professora de literatura, doula e mãe de Olívia. “O sonho de criar a primeira empresa verso do país nasceu da vontade de viver de literatura, de ver a literatura vivendo nos outros. Lá em 2010 meu companheiro Gledson Vinícius e eu tínhamos muitos sonhos e a literatura era o elo entre todos eles. Rabiscamos muitas coisas até que vimos a possibilidade de espalhar a literatura em novos suportes com a estética própria da poesia que acreditamos. Juntamos na mesma panela a trajetória de cada um, nossos sonhos, um pouco de pesquisa e planejamento e voilá: trouxemos ao mundo a Poeme-se.”

Uma camiseta que gosto: Victor Hugo – “Utopia hoje, carne e osso amanhã”. Esse verso sempre embalava nossas mentes, lá no início da empresa-verso”.

Camila Vidal Bento – nossa estagiária contou que sempre gostou do universo literário e isso se reflete bastante no trabalho. “Uma honra misturada com a grande responsabilidade de estar na maior empresa verso do país, aprendo muito a cada dia. A Poeme-se além de estar me transformando em uma profissional melhor ela também me faz ter mais conhecimento da literatura e de escritores, o que é uma coisa maravilhosa ao meu ver. Sempre fui apaixonada por essa mundo literário e aqui eu posso ser eu mesma. Sou feliz, venho feliz para a Casa Poeme-se de manhã e saio feliz de tarde sabendo mais do que quando cheguei. Admiração, força e vontade de transbordar poesia pelo mundo.

Sobre a camiseta que mais a representa, a escolha é certeira: “Eu sou apaixonada pela do Oscar Wilde “Definir é Limitar”. Ela diz o que sou: “Não me defino porque não gosto de me limitar.”

Gihana Fava – é formada em Comunicação Social, empreendedora e trabalha com as redes sociais da Poeme-se desde 2013. “Tenho muito orgulho em poder contribuir com a presença online da Poeme-se. Sinto que essa é uma empresa que não vende apenas camisetas, mas tem realmente um compromisso e um amor genuíno com a poesia e com a literatura. Essa sempre foi a nossa preocupação ao produzir conteúdo para a empresa-verso porque é algo realmente nobre e diferenciado. Trabalhando com a Poeme-se conhecemos histórias e temos a oportunidade de pensar em ações que incentivam a leitura, por exemplo. É muito gratificante quando recebemos um comentário de alguém que conheceu um autor ou uma obra por causa desse conteúdo.

Ano passado, Gihana coordenou em parceria com Gledson, fundador da Poeme-se, a ação Mulheres que Versam, que visava apresentar 1 poema por dia, escrito por mulheres da nova cena poética, nas redes sociais. “A repercussão foi ótima. Temos que dar mais espaço para a produção feminina e a Poeme-se se preocupa com isso. Além de sempre demandarem ações que valorizem a história da mulher artista, a Poeme-se tem aumentado a participação feminina na sua coleção também. O poder dessa representatividade é muito valioso. Para a gente, é muito gratificante trabalhar com uma marca que acredita, respeita e promove a poesia dessa forma.” 

A camiseta que ela escolheu é de Chaplin, também pela frase: ‘Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade’. “Essa é uma frase que bate muito em mim porque trabalho com rede social e fico bem imersa no mundo digital. Porém, cada vez mais tenho ido no movimento de conexões mais reais, pois parece que o tempo todo somos empurrados para ficarmos em função de uma máquina e esquecemos de sair desse modo automático. A chave está em um equilíbrio entre os dois mundos.”  

As mais marcantes personagens femininas da literatura nacional

40 frases clássicas de escritoras famosas

Poesias feitas por mulheres

Camisetas para o Dia das Mulheres

As mais marcantes personagens femininas da literatura nacional

As mulheres marcaram sempre de forma bastante especial a literatura brasileira. Autoras, poetisas, protagonistas nos romances… Elas imprimem sua força, personalidades únicas e beleza através da arte escrita. No mês da mulher a Poeme-se trouxe uma lista com as 6 personagens femininas da literatura nacional que marcaram época e inspiram gerações. Aprecie:

1) Capitu, “Dom Casmurro”

É inegável a força de Capitu para o mais célebre romance de Machado de Assis. Muito além da questão da traição, Maria Capitolina Santiago é talvez a personagem mais importante de “Dom Casmurro” por ser o ponto chave da narração, tanto na origem da obsessão amorosa de Bentinho por ela, quanto nos momentos em que Capitu se impõe como uma figura sensual, avassaladora, algo bem marcante e moderno para os textos da época (1899). Curioso ver que Capitu ganha ainda mais força nas palavras de Bento, que em alguns momentos parece se fazer (ou realmente ser) ingênuo, inocente, enquanto é engolido pelos olhos e pela personalidade de sua amada:

Capitu era Capitu, isto é, uma criatura mui particular, mais mulher do que eu era homem”.

personagens femininas da literaturaDesde pequena é retratada a sua feminilidade com a marcante frase: “olhos de cigana oblíqua e dissimulada”. Essa descrição ajuda-nos a construir sua personalidade, sem esquecer que qualquer traço que tenhamos de Capitu vem sempre das memórias de Bento. Tal fato pode nos levar a uma reflexão de que talvez Capitu tenha sido apenas mal compreendida e tudo o que ele próprio narra esteja embaçado diante do ciúme que o domina. São esses sentimentos que criam um dos maiores mistérios da literatura nacional: Capitu traiu Bentinho com Escobar? E essa dúvida, deixada no ar é o motivo desse romance fascinar tantas gerações. Que tal ler Dom Casmurro e deixar-se afogar nos olhos verdes da cigana Capitu?

2) Macabéa, “A hora da Estrela”

Clarice Lispector, nossa grande escritora brasileira, nos presenteou com a obra “A hora da estrela”. No livro, ela dá vida a Macabéa. A personagem nordestina, datilógrafa, orfã, criada pela tia no Rio de Janeiro poderia ser qualquer um. E é nessa simplicidade de ser, na vida sem acontecimentos extraordinários, que tantas vezes nos vemos em Macabéa. Existe algo em sua apatia que serve para nos despertar para nosso profundo eu: devemos apenas viver os dias ou buscar uma vida mais intensa, plena?

“… quero aceitar minha liberdade sem pensar o que muitos acham: que existir é coisa de doido, caso de loucura. Porque parece. Existir não é lógico”

Podemos elencar alguns aspectos marcantes de sua personalidade: sua falta de ambição, sua ingenuidade, seu amor inocente por Olímpico de Jesus – que a troca facilmente por uma colega de seu trabalho -, seu desejo de acreditar que uma cartomante poderá ajudar a melhorar sua vida. A cartomante lhe oferece doses de esperança em um futuro no qual Macabéa verá seu ex-namorado pedir para voltar com o romance, ficará rica e, depois, se casará com um lindo estrangeiro. Porém, somos despertados para a realidade, nua e crua, quando a jovem andando pela rua é atropelada e morre. A banalidade da história de Macabéa grita: “já que sou, o jeito é ser”!

3) Iracema, obra homônima

A índia dos lábios de mel, protagonista do romance de José de Alencar: Iracema que dá nome ao livro publicado em 1865 é um marco na literatura brasileira. Sua personagem imprime o tom nesse clássico da trilogia indianista de Alencar que completa-se com “O Guarani” e “Ubirajara”.

Iracema é uma índia da tribo dos tabajaras, a filha do pajé Araquém. Logo no início do romance há o encontro do casal principal de forma curiosa: enquanto descansava, Iracema é surpreendida pelo guerreiro Martim e lhe dá uma flechada para se proteger. Porém, em seguida, vai socorrê-lo ao perceber que este homem não lhe oferece nenhum perigo. Logo se apaixonam e dão início a um romance no qual índia assume o papel de típica heroína romântica que se entrega ao amado, espera por ele, sente saudades e até mesmo morre de amores e de saudade por Martim.

Embora Iracema cumpra um papel submisso após unir-se a Martim, representando aqui o indígena idealizado pelo homem branco da época, ela é marcante por ser figura central de um dos momentos históricos de nosso país: o romance tem como metáfora a criação do estado do Ceará. José de Alencar criou em seu livro a lenda de que no local em que a índia fora enterrada, à beira de um coqueiro, havia sempre um som de lamento cantado por sua ave de estimação, uma jandaia – segundo a tradição, Ceará significa canto da jandaia.

4) Gabriela, “Gabriela, cravo e canela”

personagens femininas da literatura gabriela cravo e canela

Sônia Braga como a icônica Gabriela de Jorge Amado, em adaptação para TV.

Talvez a mais icônica personagem de Jorge Amado. E aqui vale uma recordação de outras duas personagens brilhantes na obra do autor baiano: Tieta, em “Tieta do Agreste” e Dona Flor, de “Dona Flor e seus dois maridos”. Impossível pensar na personagem sem remeter também à figura de Sônia Braga, na adaptação para a televisão em 1975.

Gabriela vem do agreste em busca de trabalho em Ilhéus. Levada ao mercado de escravos, é descoberta pelo comerciante árabe Nacib, que logo se encanta por sua cor de canela e seu cheiro de cravo. Com Nacib enfeitiçado pela moça, eles se casam, mas Gabriela é de um espírito mais livre – ela não se deixa subjulgar e também se envolve com outros homens da cidade. A sua presença na obra, de cunho histórico que retrata uma Bahia patriarcal, os coronéis e o patriarcado, é vista como um frescor, novos tempos que estão para chegar de mais liberdade.

5) Lucíola, obra homônima

Lucíola é como fica conhecida Maria da Glória, a personagem que dá nome ao romance de José de Alencar. A jovem moça tem uma virada logo no início da trama: é seduzida por um homem e cai em uma vida de desgraças, sendo expulsa de casa pelo pai. Ela então se vê obrigada a se prostituir para sobreviver e muda seu nome para Lúcia. Lucíola vira uma cortesã fria e poderosa, explora seus amantes ricos, a quem sempre olha com desprezo.

Mais uma vez ela tem uma nova virada ao se apaixonar por um jovem recém chegado de Pernambuco, Paulo da Silva. Essa nova fase é uma revelação da antiga Maria da Glória, que representa o despertar de doces sentimentos e a regeneração da cortesã através de um amor puro. Porém, o triste desfecho é que mesmo encontrando a paz com seu amado, Lúcia é vítima de uma doença fatal e vem a falecer.

6) Emília, “Sítio do Pica Pau Amarelo”

 

personagens femininas da literatura emilia sitio do pica pau

Dirce Migliaccio, interpreta Emília no programa exibido pela Rede Globo

Sim! A boneca de pano mais falante dessas bandas merece menção honrosa aqui! Ela talvez seja a primeira lembrança de uma personagem feminina forte e marcante de muitos leitores do gênero infantil. E graças a série de Monteiro Lobato que encantou gerações.

Emília é a boneca da menina Narizinho, confeccionada por Tia Nastácia com pano e marcela, ganha vida após tomar as pílulas de Dr. Caramujo. Junto com Narizinho e Pedrinho, vive inúmeras aventuras no sítio de sua avó Dona Benta. Emília é reconhecida por ser extremamente falante e, na maioria das vezes, soltar muitas asneiras. De gênio forte e bem crítica, a boneca sabe se impor e foge dos esteriótipos de uma boneca (delicada, frágil).

-Espere – disse Emília. O escrevedor de memórias vai escrevendo, até sentir que o dia da morte vem vindo. Então pára; deixa o finalzinho sem acabar. Morre sossegado.
-E as suas memórias vão ser assim?
-Não, porque não pretendo morrer. Finjo que morro só. As últimas palavras têm de ser estas: “E então morri…” com reticências.

Queremos aumentar nossa lista: conte pra gente quais personagens femininas da literatura você mais gosta? Quem não pode faltar aqui?

Camisetas para o Dia da Mulher

Em 2016 a Poeme-se decidiu criar a ação #MulheresQueVersam a fim de chamar a atenção para um fato: “Você sabia que apenas 27,3% dos livros publicados de 1990 a 2004 foram escritos por mulheres?”. Com a ação, buscamos promover a literatura feminina ao publicar durante todo o mês de março 1 poema por dia escrito por uma mulher. A ação foi um sucesso e fez barulho nas redes sociais, valorizando novos nomes da cena poética feminina. Relembre aqui como foi.

E nesse ano queremos aproveitar para divulgar aqui a nossa seleção especial de camisetas para o Dia da Mulher. Na verdade, mais do que presentear, cada camiseta carrega uma mensagem seja de luta, seja da visão feminina sobre o mundo, enfim, uma forma singela da Poeme-se homenagear nossas mulheres da literatura. Esperamos que gostem!

camiseta-simone-de-beauvoir

Camiseta Simone de Beauvoir

Não tem como falar de empoderamento da mulher sem trazer a figura da filósofa existencialista e referência do feminismo mundial, Simone de Beauvoir. Com sua frase: “Ninguém nasce mulher, torna-se mulher”, a autora trata da construção social da mulher.

 

frida kahlo

Camiseta Frida Kahlo

Outro nome sinônimo de mulher forte. Fez de sua própria tragédia, sua arte. A pintora mexicana Frida Kahlo colocou cor no sofrimento e revelou ao mundo sua arte única e de intensa genialidade.

 

camiseta Emily dickinson

Camiseta Emily Dickinson

A poetisa americana Emilly Elizabeth Dickinson teve sua numerosa obra reconhecida somente após a morte. Sua poesia exibe uma liberdade sintática única, muito próxima da oralidade.

Nesse post reunimos algumas curiosidades marcantes e fatos históricos sobre a vida dessa importante escritora: Leia aqui. camiseta anais nin

 

Camiseta Anaïs Nin

Escritora francesa ativista de ideias libertárias sobre a mulher, o mundo e o sexo, Anaïs Nin marcou o século XX com a publicação de seus diários inquietantes.

camiseta cecilia meireles

 

Camiseta Cecília Meireles

Essa clássica frase do poema “Motivo”, de Cecília Meireles inspirou nossa coleção com camiseta e porta-copos. A autora é um dos principais nomes da literatura brasileira e por isso preparamos também um texto no blog sobre sua história.

Veja aqui curiosidades sobre Cecília Meireles em nosso blog, uma lista imperdível!

 

camiseta florbela espanca

Camiseta Florbela Espanca

Multifacetada filha de Portugal, Florbela Espanca escreveu poesia, contos, diário e epístolas. Traduziu romances e colaborou ao longo da sua vida com diversos jornais e revistas. Entre outras obras, escreveu “O Dominó Preto” e “Livro de Sóror Saudade”.

Para quem adora suas criações, uma coletânea de suas melhores frases aqui.

 

camiseta clarice lispector

Camiseta Clarice Lispector

A incrível Clarice Lispector colocou seu nome entre as mais celebradas escritoras brasileiras com obras como “Perto do Coração Selvagem” e “A Hora da Estrela”. 

Conta pra gente: o que mais te encanta em Clarice?

camiseta virginia woolf

Camiseta Virginia Woolf

A genial autora britânica, Virginia Woolf, é um dos principais nomes do modernismo e grande romancista.

Sua contribuição para a literatura é tamanha que descrevemos mais sobre sua influência e história aqui em Curiosidades de Virginia Woolf.

camiseta lygia-bojunga

Camiseta Lygia Bojunga

“Pra mim livro é vida” – quer melhor declaração de amor do que a frase de Lygia Bojunga? A escritora que possui um trabalho impecável no cenário da literatura infantil ganhou camiseta ano passado aqui na coleção literária da Poeme-se.camiseta elisa lucinda

 

Camiseta Elisa Lucinda

A madrinha da Poeme-se não poderia ficar de fora de nossa seleção de camisetas para o Dia da Mulher.  Mulher. Atriz, Cantora. Poetisa. Artista. Elisa Lucinda é talento que dá e sobra!

Conheça a camiseta inspirada em sua arte!camiseta amor touch screen

 

Camiseta Germana Zanettini 

Germana Zanettini é poeta, tradutora e jornalista. Selecionada em alguns concursos literários de expressão nacional, tem poemas nas paredes de ônibus e trens de Porto Alegre e participações em antologias e revistas literárias. Em 2015 lança “Eletrocardiodrama”, seu primeiro livro individual.

A frase que estampa essa camiseta foi a ganhadora do concurso Inverso do Avesso, que a Poeme-se promoveu junto com o Plástico Bolha.

camiseta samba tia doca

Camiseta Tia Doca

Lugar de mulher é onde ela quiser! E diversas mulheres escolheram o samba para fazer uma bonita história. A Tia Doca é baluarte da Portela, mulher multifacetada, que deixou um legado político que nunca deve ser esquecido. Essa camiseta é uma parceria da Poeme-se com o centro Cultural da Portela. 😉

 

 

Poesias feitas por mulheres no mês de março

Ação #MulheresQueVersam reúne 31 poesias feitas por mulheres

Em março, nossa equipe decidiu criar uma ação que durasse o mês inteiro, celebrando a escrita produzida aqui no Brasil por mulheres de diversos cantos do país. A cada dia, você acompanhou em nossas redes sociais um poema que selecionamos através de um trabalho da curadoria interna.

A intenção era marcar não só o 8 de março como o Dia da Mulher, mas colocar em pauta uma importante questão: queremos ver mais mulheres como escritoras, poetisas e artistas. Mais mulheres protagonistas de grandes obras, temáticas e opiniões femininas em destaque. A ideia do #MulheresQueVersam surgiu após a equipe debater a pesquisa da professora Regina Dalcastagnè, na qual ela aponta que apenas 27,3% dos livros publicados de 1990 a 2004 foram escritos por mulheres. (Veja mais sobre seu estudo aqui: http://goo.gl/S6s1CB)

Além disso, durante todo o mês de março, as camisetas de grandes poetisas, autoras e artistas tiveram 20% de desconto na loja virtual. Na coleção, nomes como Frida Kahlo, Simone de Beauvoir e Florbela Espanca, confira!

Eu verso, tu versa, elas versam:

Nada melhor do que mostrar um pouco da galeria que criamos com esses 31 poemas (o último você acompanha no dia 31 de março)

Poesia da Eliza Morenno que abriu a ação no dia 1 de março:

01

 

Contribuição da Germana que foi publicada no dia 8 de março:

04

 

Mais participações:

10

16

11

Quer ver mais participações? Aqui no Facebook ou no Instagram você pode acompanhar através da hashtag #MulheresQueVersam.

Veja aqui a publicação com um Infográfico de conquistas históricas para as mulheres

Saiba mais sobre a ação #MulheresQueVersam

#MulheresQueVersam conheça a ação da Poeme-se para o mês das mulheres

Quem se lembra do infográfico que a gente produziu aqui no ano passado, contando as conquistas das mulheres ao longo da história? (veja aqui) Pois na Poeme-se março é o mês das mulheres não só porque admiramos o poder das palavras, a força dos versos e a arte de grandes escritoras, poetisas e artistas, mas também porque acreditamos que tocar no assunto dos direitos das mulheres que devem sair do papel e as lutas feministas ainda é algo urgente e necessário.

Então nesse ano expandimos nossa campanha #MulheresQueVersam para além da nossa loja virtual – sim, esse ano também teremos desconto durante todo o mês de março20% de desconto nas camisetas desse link aqui. 

Mas mais do que isso, a gente quer fazer barulho nas redes sociais mostrando o talento de poetisas que iremos apresentar em nossa página do Facebook. Uma grande oportunidade para você conhecer um pouco mais da cena poética feminina no Brasil. E também estamos abertos a indicações: se você conhecer alguma mulher que escreve, tem um projeto bacana, é poetisa, manda pra gente!

Por fim, queremos a sua participação: você mulher, que tal compartilhar no seu mural do Facebook, no seu perfil do Instagram a sua poesia? Não se esqueça de usar a hashtag para que possamos acompanhar: #MulheresQueVersam

E agora, que tal conferir um pouco da nossa coleção de grandes artistas que estão sendo homenageadas esse mês?

Simone de Beauvoir
“Ninguém Nasce Mulher: torna-se Mulher”
Simone de Beauvoir é referência do feminismo mundial e estampamos sua frase para refletir sobre a importância de se discutir sobre as questões vividas por mulheres e para que avancemos na construção de uma sociedade igual. Compre aqui com 20% de desconto.

simone de beauvoir

Elisa Lucinda
“Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quiser, vai dar pra mudar o final.” Nossa madrinha, Elisa Lucinda, é poetisa, cantora, atriz e jornalista – além de fundadora da Casa Poema. Compre aqui com 20% de desconto
mes das mulheres
Frida Kahlo
“Pés para que os quero se tenho asas para voar”
Frida Kahlo é a nossa poetisa das cores. A pintora mexicana era autêntica, provocadora e subversiva. Compre aqui com 20% de desconto.

frida kahlo feminismo
Anais Nin
“Ajusto-me a mim não ao mundo”
Anais foi uma escritora francesa que versava sobre ideias libertárias sobre a mulher, o mundo e o sexo. Compre aqui com 20% de desconto.
mulheresqueversam
Cecília Meireles
“Nem alegre, nem triste. Poeta.”
Cecília Meireles dispensa apresentações. Um dos maiores nomes da literatura brasileira, os versos de seu poema “Motivo” viraram camiseta aqui na Poeme-se. Compre aqui com 20% de desconto.
cecilia meireles
Florbela Espanca
“Quem me dera encontrar o verso puro, O verso altivo e forte, estranho e duro, Que dissesse a chorar isto que sinto!”
Conterrânea de Fernando Pessoa, Florbela Espanca foi inspiração para nossa primeira arte de uma obra feminina. Essa estampa ilustra a forma como a poetisa entende e busca a força dessa arte. Compre aqui com 20% de desconto.
frases dia da mulher
Germana Zanettini
“não tire/ teus dedos/ de mim/ baby,/ o amor/ é touchscreen”
A Germana foi uma grata surpresa para o time da Poeme-se: sua camiseta nasceu depois que ela ganhou o primeiro lugar da ação Inverso do Avesso, em parceria com o Plástico Bolha. Uma ótima oportunidade para você conhecer essa escritora da nova cena poética. Compre aqui com 20% de desconto.
mulheres que versam

Dia Internacional da Mulher: história de luta e arte

O Dia Internacional da Mulher é comemorado em 8 de março, para marcar e homenagear a história das operárias que foram incendiadas após protestarem por melhores condições de trabalho, nesta dia, em 1857. Apesar de haver algumas controvérsias sobre o período e os fatos históricos, é certo que a luta pelos direitos da mulher fica bem representada nesta data.

E, por isso, nós da Poeme-se resolvemos apresentar a história da mulher através de duas vertentes, de forma a gerar reflexão: os direitos civis que as mulheres têm conquistado ao longo das décadas e que devem ser sempre lembrados e respeitados e as mulheres que fazem parte da Poeme-se, seja pela incrível contribuição no mundo das letras ou das artes. A poesia no trabalho de cada uma delas merece ser destacada todos os dias. Feliz Dia da Mulher!

E para celebrar, criamos a coleção Mulheres que versam. Durante todo o mês de março, ao colocar uma das camisetas participantes no carrinho, você ganha automaticamente 30% de desconto. Poeme-se com o melhor das poetisas da literatura mundial e nacional aqui!

dia internacional da mulher historia

40 frases clássicas de escritoras famosas

Navegando pelo site da Revista Bula encontramos essa bela seleção de frases clássicas de escritoras famosas, escritas e faladas, distribuídas em ordem alfabética.

Quais outras frases você acrescentaria?

“Não pode ser seu amigo quem exige seu silêncio.”
(Alice Walker)
“Porque amei a vida, não terei nenhuma tristeza ao morrer.”
(Amelia Burr)
“Ajusto-me a mim, não ao mundo.”
(Anaïs Nin) – Ver Camiseta
“Um homem beijar a sua mão pode ser uma delícia, mas uma pulseira de safiras e diamantes dura para sempre.”
(Anita Loos)
“Toda dominação pessoal, psicológica, social e institucionalizada nessa terra pode ser remetida a uma mesma fonte original: as identidades fálicas dos homens.”
(Andrea Dworkin)
“A liberdade é incompatível com o amor: um amante é sempre um escravo.”
(Baronne De Staal)
“Aprendi com a primavera a deixar-me cortar e voltar sempre inteira.”
(Cecília Meireles)
“Uma mente agitada faz um travesseiro inquieto.”
(Charlotte Brontë)
“Nossos companheiros perfeitos nunca têm menos de quatro patas.”
(Colette)
“Brevidade é a alma da lingerie”.
(Dorothy Parker)
“A minha vela arde nas duas pontas; não vai durar a noite inteira.”
(Edna St. Vincent Millay)
“O homem é uma fêmea imperfeita.”
(Elizabeth Gould Davis)
“Todo meu patrimônio são meus amigos.”
(Emily Dickinson) – Ver Camiseta
“A vaidade e o orgulho são coisas diferentes, embora as palavras sejam frequentemente usadas como sinônimos.”
(Jane Austen)
“Nada é tão bom como parece à primeira vista.”
(George Eliot)
“As pessoas que acreditam na inteligência, no progresso e no entendimento são as que tiveram uma infância infeliz.”
(Gertrude Stein)
“A verdade te libertará. Mas primeiro ela vai te enfurecer.”
(Gloria Steinem)
“Para que faças brilhar tua estrela não precisas apagar a minha.”
(Helen Keller)
“No amor existem duas coisas: corpos e palavras.”
(Joyce Carol Oates)
“A mulher que se preocupa em evidenciar a sua beleza anuncia ela própria que não tem outro maior mérito.”
(Julie de Lespinasse)
“Eu quero ser tudo que sou capaz de me tornar.”
(Katherine Mansfield)
“Trocar de marido é só trocar de encrenca.”
(Kathleen Norris)
“A vida é uma sacanagem de merda e cada segundo de lucidez é um suplício.”
(Lolita Pille)
“Me leia enquanto estou quente.”
(Lygia Fagundes Telles)
“Na vida você tem de escolher entre tédio e sofrimento.”
(Madame de Staël)
“Os homens gostam das mulheres que escrevem. Mesmo que não o admitam. Uma escritora é um país estrangeiro.”
(Marguerite Duras‬)
“É um erro ter razão cedo demais.”
(Marguerite Yourcenar)
“Humildade é ser invulnerável.”
(Marie Freifrau von Ebner-Eschenbach)
“Dormiu pouco, sente-se mal? Chocolate fará você reviver.”
(Marquesa de Sévigné)
“Se Deus é macho, então o macho é Deus. O patriarca divino castra as mu­lheres enquanto ele for autorizado a viver na imaginação humana.”
(Mary Daly)
“No fundo sabemos que o outro lado de todo o medo é a liberdade.”
(Marilyn Ferguson)
“Tudo o que perdemos, automaticamente dobra de valor.”
(Mignon McLaughlin)
“Não se nasce mulher: torna-se.”
(Simone de Beauvoir) – Ver camiseta 
“Tenha até pesadelos, se necessário for. Mas sonhe.”
(Patrícia Galvão)
“Doer, dói sempre. Só não dói depois de morto. Porque a vida toda é um doer.”
(Rachel de Queiroz)
“Respirei fundo e escutei o velho e orgulhoso som do meu coração. Eu sou, eu sou, eu sou.”
(Sylvia Plath)
“O sucesso é o insucesso de alguém.”
(Ursula Kroeber Le Guin)
“Chamar a um homem de animal é lisonjeá-lo; ele é uma máquina, um vibrador com pernas.”
(Valerie Solanas)
“O pior sentimento que se pode oferecer a uma mulher é a piedade.”
(Vicki Baum)
“O que é uma mulher? Eu lhes asseguro, eu não sei. Não acredito que vocês saibam.”
(Virginia Woolf) Ver camiseta

frases classicas de escritoras famosas