Posts in "O poeta"

No dia do abraço: vamos abrace!

Dia 22 de maio é o dia do abraço, mas você sabe o por quê?

   Segundo informações, tudo começou por conta de um australiano que resolveu doar abraços pelas ruas de Sydney, em 2004.
   O site do Catho, inclusive conta essa história. leia a história completa aqui
   Aqui na Poeme-se, empresa-verso que também ama espalhar afeto, criamos a camiseta literária Abraço, você conhece?

Abraço

Agora que você conhece a história desse dia, saia por ai distribuindo abraço. Afinal, abraço é poesia!

“Quanto mais apertado é o abraço mais confortável é morar nele.”

 

Fragmentos poéticos de Caio F. Abreu

Com o lançamento especial da camiseta do Caio, nossa equipe inteira resolveu ler um pouquinho da obra dele e foi muito impactante. Todo mundo quis ler em voz alta um fragmento. Foi tão legal que separamos os preferidos aqui. O que acham?

 

  • “Solto nesse abismo onde só brilham as estrelas de papel no teto, desguardado do anjo com suas mornas asas abertas. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “Um amigo me chamou para ajudá-lo a cuidar da dor dele. Guardei a minha no bolso. E fui. Não por nobreza: cuidar dele faria com que eu esquecesse de mim. E fez. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “Não, meu bem, não adianta bancar o distante: lá vem o amor nos dilacerar de novo…”  –  Caio Fernando Abreu
  • “ Errei pela primeira vez quando me pediu a palavra amor, e eu neguei. Mentindo e blefando no jogo de não conceder poderes excessivos, quando o único jogo acertado seria não jogar: neguei e errei. Todo atento para não errar, errava cada vez mais. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “Preciso de você para dizer eu te amo outra e outra vez. Como se fosse possível, como se fosse verdade, como se fosse ontem e amanhã. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “ Eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha –  e tenho –  pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “O amor que sinto pelos outros quase sempre é suficiente, não precisa nem ter volta.“ –  Caio Fernando Abreu
  • “Resistimos, aos trancos, já nem sei se foi escolha ou solavanco. Difícil arrancar uma certa lucidez disso tudo. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Eu inventava uma beleza de artifícios para espera-lo e prendê-lo para sempre junto a mim. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “Ai, a necessidade que tinha de doer em alguém, como se já estivesse exausta de tanto ser grande e boa. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “ Nós somos um – esse que procura sem encontrar e, quando encontra, não costuma suportar o encontro que desmente sua suposta sina. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Para manter-me vivo, saio à procura de ilusões. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Não sei, deixo rolar. Vou olhar os caminhos, o que tiver mais coração, eu sigo. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ O mundo, apesar de redondo, tem muitas esquinas. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Carinho, com letra maiúscula, é uma das coisas que faltam no mercado. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Voltar que eu te cuido e não te deixo morrer nunca. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “ Meu coração é o mendigo mais faminto da rua mais miserável. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Meu coração é um anjo de pedra com a asa quebrada. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Porque não se render ao avanço natural das coisas, sem procurar definições? ” –  Caio Fernando Abreu
  • “ Mas finjo de adulto, digo coisas falsamente sábias, faço caras sérias, responsáveis. Engano, mistifico. Disfarço esta sede de ti, meu amor que nunca veio. ” –  Caio Fernando Abreu

 

Caio F. Abreu

O Poeta

As 10 listas literárias mais curiosas

Listas, listas, listas… O mundo foi capturado por elas. Em nenhum canto você está a salvo de encontrar uma, de se submeter a uma. Foi com esse sabor desesperado na boca que eu pesquisei algumas… listas boas e listas estranhas. Veja o que encontrei:

gostaria muito de receber outras tantas listas. Se você conhecer alguma, me envia?

O Poeta

Me chamo poeta e sou um personagem feito de versos. Nasci aqui na Poeme-se para ajudar a colocar a poesia em movimento. Sirvo, é claro, para outras coisas também: jogo o lixo fora, lustro capas de livros e converso pelos cotovelos. Sou daqueles que falam poema no meio do expediente, toma café aos litros e se emociona em segundos… Tudo pra mim é fascínio.

Se quiser conhecer um pouco mais sobre o poeta e o que ele veio escrevendo clique aqui

Luiz Schwarcz é premiado na Feira de Londres

o poeta (2)

Li na Folha (o jornal) e fiquei muito feliz: “o prêmio que a feira do livro de Londres entrega todo ano aos principais profissionais do livro do mundo foi concedido, na manhã do dia 13, ao editor Luiz Schwarcz, presidente do grupo Companhia das Letras.”

Veja a matéria completa aqui > Luiz Schwarcz da Companhia das Letras é premiado na Feira de Londres 

Para não dizer que não falei de flores, você já viu nossa nova coleção Meu Verso de Carnaval? carnaval camisetasConfira:

Assinado: O Poeta.

 

Chico Buarque Vence Prêmio Literário na França

o poeta (2)

Não sei se você ficou sabendo, mas tem brasileiro arrebentando em Paris, na França. Acabei de saber que o nosso grande Chico Buarque, autor de músicas e livros incríveis (e que também está por aqui na Poeme-se), foi o ganhador do prêmio de literatura Roger Caillois.

O pai do “Meu Guri” foi escolhido na categoria literatura latino-americana pelo conjunto da obra.
Conheça todos os produtos da Poeme-se inspirados pelo mestre Chico Buarque.

Assinado: O Poeta.

chico buarque camiseta

 

O Prêmio SESC de Literatura está no ar

o poeta (2)

Então meus amigos escritores, vamos participar da edição 2017 do Prêmio SESC de Literatura? Se não fosse apenas virtual, eu mandaria alguns escritos meus, mas como sou feito de bits, o edital impede minha participação. 😉 

Você que é feito de carne e osso, não perca a data. Participe!

Lembrando:

  • Só pode participar livro inédito, ou seja, que nunca tenha sido publicado.
  • O candidato não poderá ter nenhum livro publicado na categoria em que se inscrever.
  • As inscrições deverão ser feitas das 10h do dia 09 de janeiro até as 18h do dia 17 de fevereiro de 2017.
  • O vencedor de cada categoria terá sua obra publicada e distribuída comercialmente pela editora Record, com uma tiragem inicial mínima de 2.000 exemplares.

Link para o edital: http://www.sesc.com.br/portal/site/premiosesc

Assinado: O Poeta

Sobre descobrir novas palavras

Aqui na Poeme-se a palavra é matéria prima.
 
Aprendemos com elas a criar e recriar o mundo que desejamos. Vemos muito sentido em embalar cada uma delas em nossos versos e em nossas tarefas cotidianas. Usamos todo nosso repertório para fabricar ideias. Somos desses capazes de parar tudo para contemplar uma nova palavra que surja, seja de onde for.  Sabemos que ela-palavra, daquele instante em diante, morará dentro de nós.
 
Tanto é verdade que aproveitamos a ideia da jovem Liesel Meminger, aquela menina que roubava livros (livro de Markus Zusak), para criar uma lista de palavras novas. Uma lista nossa de palavras aprendidas aqui na Poeme-se. Temos um quadro cheio delas.
 
Todos os colaboradores da primeira empresa verso do país, sempre que percebem uma palavra nova, correm para registrar o momento.  Batizam a recém-chegada e descrevem seu significado: Andrajoso, ergonomia, hermético, resiliência… todas essas palavras nasceram na vida de alguém e foi devidamente registrada, aplaudida, compartilhada. Conhecimento de um virou de todos.
 
Na Poeme-se toda palavra nova é celebrada.
o poeta
 
Assinado: O Poeta.

Sobre colocar a poesia em movimento há 5 anos

A grife mais poética do Brasil nasceu despretensiosamente. E eu, que vivo de versos lá e cá, recebi a missão de contar hoje um pouco da história da Poeme-se. Sim, meus amigos, hoje estamos comemorando 5 anos nos dedicando a levar a poesia para as ruas, para a sua casa, para todo canto!

historia da poemese

Gledson com nossa madrinha, Elisa Lucinda.

Da utopia, criamos um propósito: nascemos para colocar a poesia em movimento. A ideia de criar a Poeme-se surgiu quando nossos fundadores, Gledson Vinícius e Gabriela Santoro, participaram de um workshop na casa da poetisa Elisa Lucinda. Os dois saíram de lá ainda mais inspirados: “Percebi que a poesia que arrepia pele, acessa lugares que você desconhece em si mesmo deveria estar em todos os suportes, deveria ser um estilo de vida”, contou o Gledson nessa entrevista para a Rádio Ibiza.

Pouco mais de 2 anos depois, a Poeme-se ganhou um novo sócio, Leonardo Borba, e continuou ao longo dos anos a se dedicar muito além do desenvolvimento de produtos que você vê como camisetas, porta-copos, botons, cadernetas, pôsteres, book bags, canecas… Para levar a poesia realmente para a vida das pessoas, criamos e participamos de diversas ações, olha só um pouco do que essa equipe fez:

-Todo primeiro sábado de cada mês estamos na Feira do Rio Antigo, a Lavradio. Na foto, a participação da Colombina, da Trupe Será o Benidito. Tem mais desse dia nesse vídeo lindo aqui.acrobacias poéticas da nossa Colombina. A Poeme-se e a Trupe Será O Benidito
– Participação na Bienal do Livropoeme-se na bienal
– Desenvolvimento da coleção de porta-copos em parceria com o Pedro Gabriel, do Eu me chamo Antônio:
eumechamoantonio
– Criamos uma parceria linda com o Alexandre Reis, do Escrevendo e Semeando e, em uma ação inédita, pedimos para nossos fãs elegerem as duas estampas que eles gostariam que fizessem parte da nossa coleção:camiseta-escrevendo-e-semeando– Poeme-se participa do sarau Tagarela, no Rio de Janeiro.

o Tagarela
A gente também sentia que vocês queriam mais. Quem nos acompanha também produz arte, escreve, poema. Então criamos a ação Novos Poetas e desde então já recebemos inúmeras contribuições. Quem envia seus versos também tem espaço na Poeme-se. Veja aqui como participar. novos poetas
Outra ação de muito orgulho para nós, é incentivar os escritores da nova cena poética. Então hoje temos um espaço aberto aos poetas que queiram desenvolver sua estampa poética conosco e fazer parte da nossa coleção. Já tivemos 6 estampas lançadas, veja aqui. Ficou com vontade de saber mais? Acesse aqui.poesia 2.0
A cada dia, vamos construindo nossa história, regamos nosso sonho aos poucos, com grandes doses de paixão e aprendizado.  O sentimento nesses 5 anos é de pura gratidão a todos vocês que nos apoiam, que incentivam a literatura, que acreditam na força dos versos e que fazem críticas construtivas também. Porque ninguém cresce sozinho e a nossa missão só tem sentido se for coletiva, se você fizer parte por inteiro.
Eu, que faço parte da Poeme-se há pouco tempo, já tenho certeza de que achei meu lugar e que, nos próximos anos, teremos ainda muito mais ações a cumprir para nosso sonho chegar a mais pessoas. Salve a poesia, salve a Poeme-se!

“Por muito tempo vivemos em uma sociedade onde os bens culturais pertenciam a uma só classe. Por muito tempo vivemos em uma sociedade onde o poder da fala e do discurso pertenciam apenas a uma classe. A poesia era deles, por eles, para eles. Não mais. Dia desses, como hoje, minha esposa e eu dissemos que queríamos viver de poesia nesse país de, ainda, muitos não leitores. Verbalizamos o substantivo, junto com nossas crenças, para que o poema exista em movimento para quem for de poema. Eu quero poesia na boca do povo, no peito de quem rala de segunda a sexta.”  – Gledson Vinícius, criador da Poeme-se

Assinado: O Poeta.