Posts in "Promoção"

Deu match no mundo da literatura

Rimou, deu liga, combinou…Tudo isso se transformou recentemente em “deu Match”. Uma expressão que nasceu de um badalado aplicativo para encontros amorosos e passou a ser amplamente utilizada. Foi exatamente esses fatos que trouxeram a ideia de dar match no mundo literário – criar combinações especiais entre todos os nossos produtos literários.

 

Já fizemos 3 combinações especiais de escritores. Agora queremos deixar que os amantes da literatura monte mais 3 combinações especiais. Todas elas terão desconto de 40% durante todo o mês dos namorados.

Confira as três combinações que criamos:

Match

Para nos ajudar a lançar 3 novas combinações inusitadas do mundo da literatura criamos uma postagem no facebook para participação de todos que amam literatura. Quero a sua participação lá!

dia dos namorados

Poesia de verão, promoções e novidades!

Um novo ano se inicia e com ele renova-se a esperança e a energia para fazer a vida acontecer com mais poesia. Aqui na Poeme-se não é diferente. Estamos cheios de planos para fazer desse ano, o melhor ano de nossas vidas. Para tanto, preparamos muitas novidades. Afinal, queremos mesmo é espalhar ainda mais poesia pelo mundo. Confira:

Durante todo o mês de janeiro vai rolar o Verão dos Versos – ações promocionais especiais para o mês mais quente do ano. Sim, o clima está quente e as promoções fervendo. Durante a primeira semana de janeiro todo o site com 30% de desconto – essa  ação é válida apenas até esse sábado, dia 7.

Para te ajudar, você pode fazer sua busca dos produtos através do seu poeta preferido. Já viu esse campo de busca do nosso site?

camisetas-com-poesia-verao-dos-versos

E claro, além das camisetas criativas temos também as nossas pequenices poéticas, você já conhece?

Book bags para você que adora carregar livros por onde anda;

Pôsteres cheios de conteúdo para decorar a sua casa;

> Poesia Um Santo Remédio com a melhor seleção de frases de Shakespeare;

E muito mais! 

Poesia de verão

Os poetas buscam inspiração no tempo, nas dores, nos amores e também nas estações do ano. Separamos alguns poetas que versaram sobre a estação mais quente do ano e as mais diversas sensações que ela desperta.

Chega o verão

“Vamos abrir as janelas ao vento salgado do mar.
Chega o verão, vagarosa nau, de um trêmulo horizonte,
com seu andar de floresta e seus odores enevoados
de resinas espessas e tormentas no alto da tarde.

Nuvens de cupins jorram da sombra, girando em cegueira.
Asas sem peso chovem o arco-íris, semeiam nácar pelos meus dedos.
Oh, por que serão feitas estas mínimas vidas
com tanta perfeição para instantâneas se desfazerem?”

Cecília Meireles

***

XLI – No Entardecer

“No entardecer dos dias de Verão, às vezes,
Ainda que não haja brisa nenhuma, parece
Que passa, um momento, uma leve brisa…
Mas as árvores permanecem imóveis
Em todas as folhas das suas folhas
E os nossos sentidos tiveram uma ilusão,
Tiveram a ilusão do que lhes agradaria…
Ah, os sentidos, os doentes que vêem e ouvem!
Fôssemos nós como devíamos ser
E não haveria em nós necessidade de ilusão …
Bastar-nos-ia sentir com clareza e vida
E nem repararmos para que há sentidos …
Mas graças a Deus que há imperfeição no Mundo
Porque a imperfeição é uma cousa,
E haver gente que erra é original,
E haver gente doente torna o Mundo engraçado.
Se não houvesse imperfeição, havia uma cousa a menos,
E deve haver muita cousa
Para termos muito que ver e ouvir. . .”

Alberto Caeiro – heterônimo de Fernando Pessoa  

***
SONETO 18

“Deverei comparar-te a um dia de verão?
Tu és a mais serena e a mais amável
Os fortes ventos de maio movimentam os brotos,
e o prazo do verão é sempre inconsolável
em um momento muito intenso, brilha o olho estelar,
e freqüentemente se ofusca a luz do seu semblante,
nefasto, o encanto da beleza irá renunciar, porventura ou pelo destino inconstante;
Mas teu verão é eterno e jamais morrerá, não há de perder o encanto que possui;
E pela sombra da morte não vagarás, pois em versos eternos tu e o tempo sois iguais.
Equanto o homem possa respirar ou os olhos possam ver, viva este canto dar-te a vida é o seu dever.”
William Shakespeare

***

MANHÃ DE VERÃO

“As nuvens, que, em bulcões, sobre o rio rodavam,
Já, com o vir da manhã, do rio se levantam.
Como ontem, sob a chuva, estas águas choravam!
E hoje, saudando o sol, como estas águas cantam!

A estrela, que ficou por último velando,
Noiva que espera o noivo e suspira em segredo,
— Desmaia de pudor, apaga, palpitando,
A pupila amorosa, e estremece de medo.

Há pelo Paraíba um sussurro de vozes,
Tremor de seios nus, corpos brancos luzindo…
E, alvas, a cavalgar broncos monstros ferozes,
Passam, como num sonho, as náiades fugindo.

A rosa, que acordou sob as ramas cheirosas,
Diz-me: “Acorda com um beijo as outras flores quietas!
Poeta! Deus criou as mulheres e as rosas
Para os beijos do sol e os beijos dos poetas!”

E a ave diz: “Sabes tu? conheço-a bem… Parece
Que os Gênios de Oberon bailam pelo ar dispersos,
E que o céu se abre todo, e que a terra floresce,
— Quando ela principia a recitar teus versos!»

E diz a luz: “Conheço a cor daquela boca!
Bem conheço a maciez daquelas mãos pequenas!
Não fosse ela aos jardins roubar, trêfega e louca,
O rubor da papoula e o alvor das açucenas!”

Diz a palmeira: “Invejo-a! ao vir a luz radiante,
Vem o vento agitar-me e desnastrar-me a coma:
E eu pelo vento envio ao seu cabelo ondeante
Todo o meu esplendor e todo o meu aroma!”

E a floresta, que canta, e o sol, que abre a coroa
De ouro fulvo, espancando a matutina bruma,
E o lírio, que estremece, e o pássaro, que voa,
E a água, cheia de sons e de flocos de espuma,

Tudo, — a cor, o dano, o perfume e o gorjeio,
Tudo, elevando a voz, nesta manhã de estio,
Diz: “Pudesses dormir, poeta! no seu seio,
Curvo como este céu, manso como este rio!””

Olavo Bilac

***

Cantiguinha de Verão

“Anda a roda

desanda a roda

E olha a lua a lua a lua!

Cada rua tem a sua roda

E cada roda tem a sua lua

No meio da rua

Desanda a roda: Oh,

Ficou a lua

Olhando em roda…

Triste de ser uma lua só!”

Mário Quintana

poesia-de-verao

Li-qui ofertas de camisetas poéticas

Verão é sinônimo de sol, praia, férias… Mas como aqui na Poeme-se tudo acaba em poesia, trazemos uma seleção com ofertas de camisetas poéticas para aquecer ainda mais a estação: são 14 estampas com grandes descontos. 😉

Camiseta Óculos (Di)Versosofertas de camisetas: uma estampa com as lentes de 10 autores representadas. A personalidade de cada um deles e a figura que permeia nosso imaginário não seria a mesma sem esses óculos. Leve pra casa!

 

 

 

 

 

Camiseta Pasárgada:camisetas em oferta o paraíso de Manuel Bandeira, foi construído pelo autor no poema Vou-me embora para Pasárgada e ganhou vida nessa estampa, dá uma olhada aqui.

 

 

 

 

 

camiseta de poesiaCamiseta Poeme-se: a clássica estampa da casa, porque o substantivo virou verbo e agora você pode colocar a poesia em movimento, Poeme-se!

 

 

 

 

 

Camiseta Edgar Allan Poe:camiseta edgar allan poe somos fãs dos contos de Poe. Pioneiro do gênero de ficção policial, o escritor gostava de escrever sobre temas ligados à morte, sempre recheando suas histórias com muito mistério. Veja a camiseta que homenageia o autor aqui. 

 

 

 

Camiseta Mário de Andrade:promocao camisetas o genial autor de Macunaíma e ícone do modernismo brasileiro, Mário de Andrade, é protagonista de um de nossos últimos lançamentos na loja que você confere aqui.

 

 

 

 

 

florbela espanca poesiaCamiseta Florbela Espanca: a grande poetisa Florbela expressa como ninguém os sentimentos em seus versos. Leve a sua poesia para vestir, clique aqui.

 

 

 

 

 

 

Camiseta Montesquieucamiseta-para-leitores: o francês e iluminista Montesquieu é considerado um dos grandes pensadores do século XVIII. A frase de sua autoria “Quanto menos se pensa mais se fala” foi a eleita para criar sua camiseta, dá uma olhada.

 

 

 

 

 

 

 Camiseta Tolstoicamiseta-de-livros: autor de Guerra e Paz, o mestre da literatura russa, Leon Tolstoi faz parte de nossa coleção de autores internacionais com essa camiseta, confira.

 

 

 

 

 

camiseta-com-frasesCamiseta Abraço:Quanto mais apertado é o abraço / mais confortável é morar nele” – quanto amor cabe nesse gesto? Para quem curtiu, veja a camiseta aqui em detalhes. 

 

 

 

 

 

Camiseta João do Riojoao do rio: o jornalista que fez da cidade maravilhosa pano de fundo para suas inesquecíveis crônicas foi escolhido como nosso símbolo nas comemorações dos 450 do Rio de Janeiro. Uma camiseta pra ocupar lugar de destaque na sua coleção, vem ver! 

 

 

 

 

 

Camiseta Tríade Parnasianacamiseta livros-e-poesia: o parnasianismo foi um importante movimento literário que teve 3 autores como grandes expoentes no brasil: Olavo Bilac, Alberto de Oliveira e Raimundo Correia, juntos, o trio formou a Tríade Parnasiana, que ganhou uma belíssima ilustração para estampar nossa camiseta aqui.

 

 

 

 

 

camiseta-para-quem-ama-literaturaCamiseta Máquina de Poemas: o verbo Escreva, conjugado no imperativo, revela a ordem que vem de não sei onde e faz brotar dos pensamentos os versos mais lindos do mundo. Aqui você pode conhecer essa camiseta.

 

 

 

 

 

 

Camiseta Bocagecamiseta com versos de poeta: o poeta português ficou famoso por obras apimentadas. Apostamos na estética pin-up para representar este grande autor nessa estampa.

 

 

 

 

 

 

Camiseta Octavio Pazcamiseta-com-poesia_poemese_literatura: ganhador do Nobel de Literatura, escolhemos um lindo verso do mexicano Octavio Paz, “Não há poema em si, mas em mim ou em ti” para compor essa camiseta.

 

 

 

 

 

 

Aproveite, pois os descontos são por tempo limitado ou até durar o estoque!

Black Friday: conte suas ideias pra nossa equipe!

Era uma vez uma tradição que prometia descontos inimagináveis e promoções incríveis na última sexta-feira de novembro.

A Black Friday chegou ao Brasil há pouco tempo, mas já tem feito bastante barulho. Nesse ano, a gente queria fazer algo mais próximo do que você aí que nos acompanha pensa sobre esse período de grandes promoções.

Nossa equipe já está planejando algumas surpresas, mas antes de tudo, ficamos com vontade de ouvir você e entender o que é mais importante na Black Friday, qual produto poético você já sonha há um tempo e só está aguardando a melhor oportunidade para comprar…

Então dessa ideia que ficamos matutando por um tempo, nasceu o formulário que você vê agora e pode nos contar um pouquinho do que seria a Black Friday na Poeme-se dos seus sonhos:

Promoção no Instagram: espalhe a poesia por aí com #EuPoemo

A Poeme-se leva a missão de colocar a poesia em movimento com muito orgulho e alegria. É que a gente se sente honrado quando alguém veste nossas camisetas-verso, quando vemos um poeta se redescobrir ao ter o trabalho publicado através da ação Novos Poetas, ou até mesmo quando você aí do outro lado descobre um artista através da nossa página. É por isso que agora criamos mais uma oportunidade pra gente ficar mais perto e espalharmos as boas palavras junto com você: a promoção no nosso Instagram, a #EuPoemo.

Vem descobrir como participar!

promocao no instagram

1º passo:
Tire uma foto sua vestindo uma de nossas camisetas poéticas. A nossa coleção tá crescendo a cada dia, já viu? Ou então com alguma pequenice da loja: tem caneca, porta-copos, boton, caderneta, pôster…

2º passo:
Ao publicar no Instagram, marque a foto com a hashtag: #EuPoemo (a legenda e outras hashtags que você usar fica por sua conta!). Mas atenção, só funciona se o perfil for público, pois se ele estiver marcado como “privado” nossa equipe não consegue visualizar a foto e computar a participação.

3º passo:
Se sua foto for selecionada para entrar em nossa galeria, ou seja, for publicada no perfil @Vista_Poemese, você ganha 10% de desconto em compras na nossa loja virtual. A gente envia pra você um código promocional na hora!

Curtiu essa promoção no Instagram? Capriche na #selfie, na foto poética, enfim, use a criatividade e participe! 😉

Aqui um pouquinho de quem já participou:

promocao no instagram de poesia

Vou-me embora para Pasárgada – Promoção de Carnaval!

Descobrimos um novo mundo imaginado por Manuel Bandeira e queremos saber como você enxerga esse lugar mágico. Descubra nossa promoção de carnaval!

A graça de brincar com as palavras é que com a poesia, a  imaginação dos escritores ganha asas e, de presente, quem lê é despertado para novos ou antigos sentimentos, tocado por emoções das mais diversas e transportado para novos mundos, onde tudo é possível. Manuel Bandeira é daqueles poetas que mesmo com a melancolia presente em seus versos, queria passar a alegria de estar vivo e para isso, emprestou todo o seu lirismo em grandes obras que marcaram o cenário nacional.

Para celebrar a chegada das cores, da alegria e da beleza do Carnaval, a Poeme-se vai lançar em fevereiro a camiseta Pasárgada, representando um lugar que dá vontade de ir embora e aproveitar para viver uma aventura e ser amigo do rei, ser mais livre com aquela alegria única quando a gente se solta na folia.

E que tal se vier junto uma promoção para você brincar de Manuel Bandeira e imaginar como seria a sua Pasárgada dos sonhos? Gostou da ideia? Veja como participar:

promoca de carnaval manuel bandeira

Envie a resposta para a pergunta “Como você imagina Pasárgada?”  através desse formulário: http://bit.ly/ConcursoPasárgada até o dia 13/02/2015, às 23h59

*Leia o regulamento completo aqui.

Resultado divulgado aqui e em nossa página a partir do dia 20/02/2014.

Resultado! A frase ganhadora foi: “Pasárgada… Um lugar sem chegada nem partida, só estadia. Lugar que é berço, morada e enterro. Onde se quer ficar, por vontade, preso.” Autora: Gabriela Oliveira

E para se inspirar, leia o poema completo de Manuel Bandeira. Boa sorte!

“Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d’água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
— Lá sou amigo do rei —
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada”