O poeta – o início

o poeta

“Eu tenho um problema que nenhum médico soube diagnosticar o que era. Na verdade, nunca falei realmente disso com alguém. Desde pequeno, tudo me comovia

Gostava de olhar nos olhos de desconhecidos e imaginar qual história cada um deles carregava. Coisas banais despertavam meu interesse, o balanço das árvores, o som da rua. Sempre que assistia a um filme desejava fazer parte da história, queria viver aquelas emoções, viajar para aqueles lugares. A situação piorava quando lia algum livro. Minha imaginação ali alçava voos ainda maiores. 

Fui crescendo e entendendo que gostava de escrever minhas próprias histórias também. Comecei tímido, com algumas redações na escola. Mas sentia a necessidade de continuar com ideias além da sala de aula. Assim surgiram os primeiros rascunhos de poemas. Fui tomando gosto pela rima e o mundo continuava a me inspirar, novos temas sempre surgiam à medida em que eu ia amadurecendo. 

Não me tornei poeta, mas continuo escrevendo. Então um dia, achei a Poeme-se e me identifiquei com esse estilo de vida: vestir poesia, espalhar conteúdo poético. Agora vou compartilhar minhas impressões por aqui e espero que você também troque experiências poéticas comigo. Aceita?

Verso inacabado

Achei esse verso em um caderno velho. Incompleto, deu vontade de continuar essa história. De cada pedaço escrito nos comentários, novas ideias, novos rumos e sensações surgem.

Como você completaria esse verso?”

Assinado: O poeta.

01---amou-tanto-que

Agora é com você! Complete este verso nos comentários e coloque a poesia em movimento.

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *