Eis que a estação das flores desabrocha. Outubro chega trazendo perfumes capazes de inspirar poetas de todas as matizes. Seguindo, então, a temporada de flores, propomos alguns versos em homenagem a estação. Poeme-se com essa seleção especial:

Um de nossos versos favoritos vem de Casimiro de Abreu: “A Primavera é a estação dos risos”. O poeta foi um dos nomes de maior destaque do período romântico no Brasil e, claro, o trecho virou camiseta poética na nossa coleção:

Camiseta Casimiro de Abreu

primavera-de-poesia

A origem desse verso de Casimiro é a poesia Primaveras:

Primaveras

A primavera é a estação dos risos,
Deus fita o mundo com celeste afago,
Tremem as folhas e palpita o lago
Da brisa louca aos amorosos frisos.

Na primavera tudo é viço e gala,
Trinam as aves a canção de amores,
E doce e bela no tapiz das flores
Melhor perfume a violeta exala.

Na primavera tudo é riso e festa,
Brotam aromas do vergel florido,
E o ramo verde de manhã colhido
Enfeita a fronte da aldeã modesta.

A natureza se desperta rindo,
Um hino imenso a criação modula,
Canta a calhandra, a juriti arrula,
O mar é calmo porque o céu é lindo.

Alegre e verde se balança o galho,
Suspira a fonte na linguagem meiga,
Murmura a brisa: – Como é linda a veiga!
Responde a rosa: – Como é doce o orvalho!

Outro poeta que escreveu sobre a primavera foi o chileno Pablo Neruda, que também figura em nossa coleção de camisetas poéticas, com uma das estampas mais românticas da loja. O poema “Tu És em Mim Profunda Primavera”, presente no livro”Os Versos do Capitão” pode ser lido abaixo:

Camiseta Pablo Neruda 

pablo-neruda-primavera

Tu És em Mim Profunda Primavera

O sabor da tua boca e a cor da tua pele,
pele, boca, fruta minha destes dias velozes,
diz-me, sempre estiveram contigo
por anos e viagens e por luas e sóis
e terra e pranto e chuva e alegria,
ou só agora, só agora
brotam das tuas raízes
como a água que à terra seca traz
germinações de mim desconhecidas
ou aos lábios do cântaro esquecido
na água chega o sabor da terra?

Não sei, não mo digas, tu não sabes.
Ninguém sabe estas coisas.
Mas, aproximando os meus sentidos todos
da luz da tua pele, desapareces,
fundes-te como o ácido
aroma dum fruto
e o calor dum caminho,
o cheiro do milho debulhado,
a madressilva da tarde pura,
os nomes da terra poeirenta,
o infinito perfume da pátria:
magnólia e matagal, sangue e farinha,
galope de cavalos,
a lua poeirenta das aldeias,
o pão recém-nascido:
ai, tudo o que há na tua pele volta à minha boca,
volta ao meu coração, volta ao meu corpo,
e volto a ser contigo a terra que tu és:
tu és em mim profunda primavera:
volto a saber em ti como germino.

O príncipe dos poetas, Olavo Bilac, não poderia ficar de fora dessa lista falando sobre a estação das cores e amores:

Camiseta Olavo Bilac 

poesia-sobre-primavera

Primavera
“Ah! quem nos dera que isto, como outrora,
Inda nos comovesse! Ah! quem nos dera
Que inda juntos pudéssemos agora
Ver o desabrochar da primavera! Saíamos com os pássaros e a aurora.
E, no chão, sobre os troncos cheios de hera,
Sentavas-te sorrindo, de hora em hora:
“Beijemo-nos! amemo-nos! espera!”E esse corpo de rosa recendia,
E aos meus beijos de fogo palpitava,
Alquebrado de amor e de cansaço.A alma da terra gorjeava e ria…
Nascia a primavera… E eu te levava,
Primavera de carne, pelo braço!

A poetisa portuguesa, Florbela Espanca, também foi capturada pela primavera e escreveu sobre como encarar a vida como a estação nos ensina:

Camiseta Florbela Espanca 

primavera-frases

“Há uma primavera em cada vida: é preciso cantá-la assim florida, pois se Deus nos deu voz, foi para cantar! E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada que seja a minha noite uma alvorada, que me saiba perder…para me encontrar….”

Quais outros versos sobre a primavera você acrescentaria nessa lista?

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *