O samba de Candeia e sua história inspiraram a nova camiseta da Poeme-se. Amantes do samba, da boa música, dos versos inspirados, esse post é para vocês!

Recentemente, lançamos a camiseta Candeia! para homenagear o grande Antônio Candeia Filho, sambista, cantor e compositor, juntamente com o Centro Cultural Portela. Agora a gente convida você a conhecer um pouco da história dele.

samba de Candeia

Na foto: Diogo Fran – mestre-sala da Portela. 

Candeia nasceu no samba, frequentava desde cedo rodas de samba e aprendeu violão e cavaquinho. Ainda novo, com então 17 anos, compôs em parceria Altair Prego o samba enredo “Seis Datas Magnas”. Com este samba, a Azul e Branco conquistou a nota máxima em todos os quesitos do desfile, feito inédito até então.

samba de Candeia _

O sambista virou policial e, em uma tragédia, após uma batida de carro, Candeia levou cinco tiros e teve paralisia em suas pernas. Aposentou-se por invalidez e foi se dedicar exclusivamente à sua paixão: o samba.

Em 1975 ele fundou a Escola de Samba Quilombo, que tinha como lema: “Escola de Samba é povo na sua manifestação mais autêntica! Quando o samba se submete a influências externas, a escola de samba deixa de representar a cultura de nosso povo“. 

Ainda em 75 dois sucessos: Candeia compôs “Testamento de Partideiro” e “O Mar Serenou”, que fez sucesso na voz de Clara Nunes, em seu LP “Claridade”. Em 1978, Candeia faleceu em decorrência de uma infecção generalizada. Mas seus versos são eternos e a Poeme-se vem celebrar o melhor do samba de Candeia.

A gente presenteia vocês com mais fotos do nosso ensaio fotográfico, feito por nosso incrível fotógrafo, Getúlio Ribeiro, apreciem:

candeia (1) candeia (2) poeme se (1) poeme se (2) samba (1) samba (2)

Veja a camiseta Candeia aqui!

Confira a Coleção que homenageia os grandes nomes de sambistas e figuras importantes da Portela: tem Casquinha, Tia Doca, Waldir 59 e Zé Keti – Coleção Portela.

 

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *