Posts tagged "Camisetas Literárias"

Qual a importância da literatura de humor?

Já dizia Victor Hugo, “A gargalhada é o sol que varre o inverno do rosto humano.” Já que o brasileiro é considerado um povo que ri (vide o número de memes espalhados em velocidade espantosa), nos perguntamos: Qual a importância da literatura de humor?

O que é literatura de humor?

De acordo com a pesquisadora e professora Isabel Ermida, o humor literário “consiste em situações pontuais que, curiosamente, assumem contornos muito semelhantes aos das anedotas.” Esse tipo de literatura aborda a natureza humana tendo como elemento principal o riso. Cheia de crítica, sarcasmo e ironia, a literatura de humor não apenas nos faz sorrir como nos faz pensar. Seu grande trunfo muitas vezes está nas entrelinhas, o efeito de suas frases nos coloca em um ponto onde não apenas rimos, mas começamos a nos questionar por que estamos rindo.

Humor sarcasmo

Onde encontramos a literatura de humor?

A leveza do humor pode parecer oposta ao que algumas pessoas chamam de clássica literatura, mas muitas vezes é através da literatura de humor que refletimos sobre assuntos considerados mais sérios como política e sociedade. Há humor na literatura considerada de massa tanto quanto na alta literatura, por que não produzir mais gargalhadas então? Pensando nisso, a Poeme-se criou uma linha especial de camisetas literárias recheadas de humor para aqueles que acreditam que “literatura boa é a que eu quero ler.”

Humor leitura

Por que o humor na literatura é importante?

A poesia de Bocage, as obras de Philip Roth, o humor inglês de Douglas Adams, a verdade é que as particularidades do humor podem se transformar em aparelhos de denúncias, podem nos ajudar a suportar um momento de crise, podem ser gatilhos para mudanças. O humor vive da circunstância e o ponto principal da escrita de humor é o jogo de palavras que nos faz rir, mas acima de tudo, nos faz refletir. Seja em narrativas ficcionais, seja em tirinhas ou em frases de camisetas poéticas, há um elemento que temos que concordar: é sempre polêmico.

Humor livro

Que literatura de humor você adoraria encontrar na Poeme-se? Conta pra gente nos comentários. 😉

Hanny Saraiva

Por um mundo de intervenção literária!

Por um mundo de intervenção literária

Se viéssemos do futuro e espiássemos os governos atuais, o que nosso eu acharia de tudo isso que está acontecendo na política? Estamos a um passo de nos transformarmos em personagens de House of Cards ou em personagens de Handmaid’s Tale? Às vezes só a ficção para entender o desequilíbrio e os golpes políticos que a vida tem recebido. E já que “vestir-se é um ato político” – como disse Ronaldo Fraga – qual política visual te define?

Camiseta Intervenção literária

Se você também acredita que o caminho do país é através da educação, dos livros, da cultura, você também faz parte dessa militância literária. Vista essa ideia!

Camiseta Karl Marx

Se você é como o pai do manifesto comunista e do livro O Capital e tem uma ânsia de transformação, essa camiseta é seu aporte.

Camiseta Nicolas Boileau

Por que acidez nunca sai de moda? Porque “um idiota sempre encontra um ainda mais idiota para admirá-lo.” Para aqueles que adoram ironias.

Camiseta Emma Goldman

Filósofa anarquista, feminista e defensora da emancipação da mulher, acreditava em conceitos inovadores como amor livre. Emma Goldman deixou seu nome na história por conta de sua militância, base de sua literatura. Perfeita para personalidades emblemáticas.

Camiseta Montesquieu

Por menos blah blah blah e mais reflexão! Você acha que Montesquieu, um dos grandes pensadores do séc. XVIII, apoiaria esse mi mi mi político? Suspeitamos que o criador de O Espírito das leis é a favor de você vestindo essa camiseta e não fazendo dancinha verde e amarela.

Camiseta Refresque suas ideias

De que fonte você anda bebendo? Qual autor refresca sua mente sedenta? Para aqueles que acreditam que livros mudam pessoas.

Camiseta Rosa Luxemburgo

Para estampar no peito o que todo mundo deveria seguir: “Só existe liberdade quando as pessoas podem pensar diferente de nós.” Por uma cultura de menos ódio e mais tolerância.

A vida imita a ficção ou a ficção é um grito latejante da vida? No que você acredita?

“Quando aniquilaram o Congresso, não acordamos. Quando culparam terroristas e suspenderam a Constituição, também não acordamos. Disseram que seria temporário. Nada muda instantaneamente. Você seria fervido numa banheira de aquecimento gradual antes que percebesse.” – Offred, Handmaid’s Tale –


Hanny Saraiva

O verão dos livros, com livros, para os livros!

O verão dos livros, com livros, para os livros!

É hora de ler, de vestir, de respirar literatura sem moderação. Vamos tirar a gravata, a saia. Vamos respirar o ar da praia e das páginas. Ler na piscina, na areia, na praça enquanto todo o dia passa. Vamos gelar o quarto e se comover com histórias, poemas, crimes sem solução. Dormir bem mais tarde, acordar em hogwarts ou num asteroide com um pequeno príncipe te dando a mão.
…e Quando chamarem nosso nome, quando bater aquela fome ou tiver desejo de abrir o telefone, já sabe: só mais uma página!

Veja algumas ofertas para quem quer estar com os livros, vestido de livros:

Babylook_on_the_road_jack_kerouac T-shirt_refresque-se_Marx_freud Bata_Vida_Importante_Oscar_wilde

 


Quer ver outros produtos? Clique aqui


Fragmentos poéticos de Caio F. Abreu

Com o lançamento especial da camiseta do Caio, nossa equipe inteira resolveu ler um pouquinho da obra dele e foi muito impactante. Todo mundo quis ler em voz alta um fragmento. Foi tão legal que separamos os preferidos aqui. O que acham?

 

  • “Solto nesse abismo onde só brilham as estrelas de papel no teto, desguardado do anjo com suas mornas asas abertas. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “Um amigo me chamou para ajudá-lo a cuidar da dor dele. Guardei a minha no bolso. E fui. Não por nobreza: cuidar dele faria com que eu esquecesse de mim. E fez. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “Não, meu bem, não adianta bancar o distante: lá vem o amor nos dilacerar de novo…”  –  Caio Fernando Abreu
  • “ Errei pela primeira vez quando me pediu a palavra amor, e eu neguei. Mentindo e blefando no jogo de não conceder poderes excessivos, quando o único jogo acertado seria não jogar: neguei e errei. Todo atento para não errar, errava cada vez mais. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “Preciso de você para dizer eu te amo outra e outra vez. Como se fosse possível, como se fosse verdade, como se fosse ontem e amanhã. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “ Eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha –  e tenho –  pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “O amor que sinto pelos outros quase sempre é suficiente, não precisa nem ter volta.“ –  Caio Fernando Abreu
  • “Resistimos, aos trancos, já nem sei se foi escolha ou solavanco. Difícil arrancar uma certa lucidez disso tudo. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Eu inventava uma beleza de artifícios para espera-lo e prendê-lo para sempre junto a mim. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “Ai, a necessidade que tinha de doer em alguém, como se já estivesse exausta de tanto ser grande e boa. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “ Nós somos um – esse que procura sem encontrar e, quando encontra, não costuma suportar o encontro que desmente sua suposta sina. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Para manter-me vivo, saio à procura de ilusões. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Não sei, deixo rolar. Vou olhar os caminhos, o que tiver mais coração, eu sigo. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ O mundo, apesar de redondo, tem muitas esquinas. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Carinho, com letra maiúscula, é uma das coisas que faltam no mercado. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Voltar que eu te cuido e não te deixo morrer nunca. ” –  Caio Fernando Abreu
  • “ Meu coração é o mendigo mais faminto da rua mais miserável. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Meu coração é um anjo de pedra com a asa quebrada. “ –  Caio Fernando Abreu
  • “ Porque não se render ao avanço natural das coisas, sem procurar definições? ” –  Caio Fernando Abreu
  • “ Mas finjo de adulto, digo coisas falsamente sábias, faço caras sérias, responsáveis. Engano, mistifico. Disfarço esta sede de ti, meu amor que nunca veio. ” –  Caio Fernando Abreu

 

Caio F. Abreu

O Poeta