Posts tagged "Noel Rosa"

5 lugares – inspirados na vida de autores – para passar o Ano Novo

5 lugares – inspirados na vida de autores – para passar o Ano Novo

O espaço tem poder sobre a vida do autor? O que tem de mágico nas cidades que inspiram as obras literárias? O que tem de peculiar na cidade de seu escritor favorito? Pensando em como a cidade pode se tornar literária e ser sua fonte de inspiração para começar 2018 com mais entusiasmo, separamos 5 lugares – inspirados na vida de autores – para você pensar em passar o Ano Novo.

1. A região de Nord-du-Québec no Canadá e Margaret Atwood

A autora de O conto da aia (The Handmaid’s tale) e Vulgo Grace tem uma grande admiração pela natureza selvagem e apesar de suas obras mais famosas se passarem em tempos distópicos, a região de Nord-du-Québec tem forte influência sobre sua escrita, pois a autora cresceu visitando a região com o pai. Se você têm fascínio por locais remotos, Nord-du-Québec é a maior e menos populosa região de Québec, no Canadá, com lagos e rios extensos. Nossa dica é conhecer o vilarejo de Kangiqsujuaq, também conhecido como Wakeham Bay, com suas montanhas espetaculares e o Parque Nacional de Pingualuit, ótimo para observar a natureza e a vida selvagem e fazer caminhadas no verão.

Quebec

2. Madri na Espanha e Ernest Hemingway

Desde que viajou a primeira vez em 1932 para Madrid, com o objetivo de estudar as touradas para seu livro O sol também se levanta, o autor de Por que os sinos dobram foi um apaixonado pela cidade. Se você adora bares, cafés e praças, Madrid é sua casa perfeita para virar o ano, que é marcado pelas campanadas, o som dos sinos à meia-noite. A tradição diz que você deve comer uma uva a cada campanada até completar 12 uvas. Indicamos visitar a Plaza de Los Toros de Las Ventas, o lar da tourada e fonte de inspiração do autor e tomar uma bebida em Botín, o restaurante mais antigo do mundo e o preferido de Hemingway. É claro, tudo isso com sua camiseta poética.

3. Ilhéus na Bahia e Jorge Amado

Comida, fartura, cheiros. Se você ama uma mistura de sabores e festa com muita gente e sorrisos, vai amar a Bahia – que parece estar em uma eterna domingueira. Mística, colorida, alegre, e misteriosa, a região é perfeita para quem curte badalação ou gostaria de se reconectar com sua fé – seja para agradecer por 2017 ou pedir proteção para 2018. A terra preferida do autor de Tieta do Agreste é sempre uma volta às raízes nacionais e um ponto perfeito para repetir a clássica frase “As melhores coisas da vida não são coisas”. Parada obrigatória indicada: Casa Cultura Jorge Amado.

As melhores coisas da vida

4. Tóquio no Japão e Murakami

Apesar de Haruki Murakami ter vivido muitos anos fora do Japão, suas obras são ambientadas dentro do Japão, mergulhadas em uma cultura pop, com referências ocidentais. Essa mistura faz com que jovens japoneses globalizados sejam apaixonados por suas obras – e nós do outro lado do mundo também. 1Q84, por exemplo, foi capaz de reunir um grupo de fãs do autor para assistirem juntos, com porta-retratos e livros, a transmissão ao vivo da escolha do vencedor do Prêmio Nobel de Literatura. Apesar de Murakami não ter ganhado o prêmio na época, o local se transformou em ponto de encontro para leitores do autor. Em busca da atmosfera dos livros de Murakami? Tóquio é seu destino. Não esqueça de passar no café Rokujigen, em Shinjuku, para sentir aquele clima de jazz e literatura. Não se espante se todo mundo estiver por lá com um livro aberto – do Murakami, lógico – e uma bebidinha ao lado.

P.S.: Qual caneca levar ao Japão?  https://www.poemese.com/casa-deco/canecas-poeticas

Livros

5. Lapa, Rio de Janeiro e Noel Rosa

Noel Rosa se apaixonou na Lapa, coração cultural do Rio de Janeiro. Sua vida amorosa cruza com a história da região e através da boemia e da dor do amor, seus sambas atravessaram gerações. Teste: quando seu coração bate no pulmão, ele lembra a batida do pandeiro? Sim? Então você tem que ir para a Lapa abraçar 2018. Berço de quem ama bares e aquele estado de leve insensatez, o bairro é o local perfeito para você esperar o novo ano. Paradas obrigatórias: Baródromo e Cabaré do Malandro.

https://www.poemese.com/1080-almofada-noel-rosa/p

 


Já passou o Ano Novo em alguma cidade inspiradora? Conta para gente como foi! =)


Hanny Saraiva

10 músicas que todo amante do samba deve conhecer

10 músicas que todo amante do samba deve conhecer

Verão chegando, calor brotando e aquele gosto de samba que penetra na pele e arrasta o pé para o batuque – quem nunca? Pensando em já te preparar para o ritmo “samba, suor, cerveja”, separamos 10 músicas que todo amante do samba deve conhecer e compartilhar, porque música que é música atravessa gerações.

 

 

1. Malandro – Jorge Aragão/Jotabê

 

Malandro na voz de Elza Soares é como um sussurro saudoso, uma das mais belas interpretações da canção que traduz o espírito daquele “perdido no mundo morrendo de amor”.

2. A voz do morro – Zé Kéti

Samba sobre samba que contempla gerações. Condutor de alegria, pincela um pouco a história do gênero musical, quase um hino carioca.

3. Se acaso você chegasse – Lupicínio Rodrigues e Felisberto Martins

Feito quase de improviso em uma calçada em Porto Alegre, esse samba foi inspirado na vida amorosa do compositor. Perfeito para cantar depois da sétima cerveja.

4. Coração – Noel Rosa

Canção obrigatória para entender o samba: intenso, generoso, cheio.

5. Batuque na cozinha – João da Baiana

João da Baiana, aquele que introduziu o pandeiro no samba, compôs esse samba em 1968. A simplicidade dessa canção é sua maior grandiosidade.

6. Eterna Paz – Candeia e Martinho da Vila

Esse samba é mais que uma “flor que flui”, é poesia batucada para aqueles que sonham.

7. Agoniza, mas não morre – Nelson Sargento

Seu compositor luta pelo samba desde os anos 50, época onde o gênero era marginal. Esse samba é acima de tudo “negro, forte, destemido”, símbolo de resistência.

8. Quando bate uma saudade – Paulinho da Viola

Uma pulsação intimista de uma jura não dita, desejo revivido, – que para continuar desejo precisa se manter distante – o sentir como o único caminho a se trilhar. Perfeito para cantar em voz alta.

9. A flor e o espinho – Nelson Cavaquinho

Bucólico, lírico, perfeito para aqueles dias onde parece que a sua dor é a maior do mundo. Só sua.

10. Agora é cinza – Alcebíades Barcelos e Armando Marçal

Campeão do Carnaval de 1934, sua melodia é atemporal, sendo conhecido até hoje “como um dos maiores sambas de todos os tempos”.

Para celebrar o dia nacional do samba, que tal vestir a Poesia do Samba? =D

 

Poesia do Samba, quatro camisetas de sambistas consagrados e o botão "Quero sambar"

 

Hanny Saraiva