Posts tagged "poesia"

Mais que leitor, reader! #Sorteio

É minha gente, foram muitos directs e comentários solicitando e sugerindo o sorteio de alguns dos nossos produtos poéticos.

Então se preparem: teremos um sorteio especialmente pensado em vocês: nossos melhores amigos literários!!!

O sortudo ou sortuda terá o prazer de espalhar literatura pelo mundo com o nosso lançamento poético:  a camiseta literária Mais que leitor, reader. Não é um máximo?!

Para participar basta se inscrever aqui:

 

Informações importantes:

  • As inscrições serão permitidas até o dia 09 de Dezembro.
  • O resultado sairá no dia 10 de Dezembro, no Instagram da Poeme-se.
  • Apenas e-mails válidos serão aceitos.
  • Apenas moradores de território nacional podem participar.
  • O sorteado deve responder o e-mail em até 3 dias com as informações necessárias para o envio.
  • O sorteado receberá sem custos uma camiseta literária Mais que leitor, reader.

A sorte está lançada!!!

O que você pode fazer na Black Friday?

O que você pode fazer na Black Friday?

Sabemos que a Black Friday é aquele dia louco onde todo mundo aproveita para comprar aquela coisinha que a gente sempre namora ao longo do ano e fica torcendo para entrar em promoção, mas também há aqueles que sempre mandam um: “Pra quê vou entrar nessa onda doida?” Aqui vão alguns motivos:

Dar um boost na autoestima poética

Você não apenas veste uma roupa, você veste poesia, o estilo daquele autor preferido, mostra pra todo mundo que a paixão por aquele livro faz parte de você. Vai dizer que não é super bacana encontrar alguém na rua que te diz: “Nossa, mas eu também amo Saramago”? De certo para aumentar sua autoestima literária, vale vestir o que você ama.

camisetas literárias com 40% off na black friday literária poeme-se

camisetas árias com 50% off na black friday ária poeme-se

camisetas árias com 60% off na black friday ária poeme-se

Decorar a casa

Ah, o aconchego do lar! Ele reflete nossa alma! Afinal, é nesse lugarzinho onde você aquece seu coração depois de um dia de trabalho cheio ou uma rotina de estudos cansativa, né? De fato em nossa casa recarregamos nossas energias e nada melhor do que olhar em volta e perceber que cada item é um pedaço escolhido com carinho, né? Seu lar também é poético? Então esse é o momento certo para redecorar se já estiver enjoado daquele mesmo cenário.

almofadas com 40% off na black friday ária poeme-se

 bastidor com 30% off na black friday ária poeme-se

 porta-copos com 50% off na black friday ária poeme-se

Começar a escrever

Nada de deixar para segunda-feira, aproveita e tira suas ideias do papel (ou melhor, coloca suas ideias no papel!) É claro que você pode usar qualquer coisa para começar a escrever, mas nada mais justo do que reservar uma caderneta especial, um bloco fofo ou um caderno poético para começar suas escritas. Por que estilo também é algo visual, certo?

Blocos com 10% off na black friday ária poeme-se

Cadernos e cadernetas com até 50% off na black friday ária poeme-se

Já começar a fazer a lista de presentes de Natal

(e aproveitar os descontos para já ficar tranquilo mês que vem. Sabe como é, o tanto de amigo oculto que surge é melhor se prevenir.)

 pedras poéticas 40% off na black friday ária poeme-se

Toy art 40% off na black friday ária poeme-se

canecas com 50% off na black friday ária poeme-se

Renovar seus acessórios de estudo

Nada como a Black Friday para poder renovar nossos acessórios de estudo ou presentear quem ama mochilas, estojos, book bags. Aliás, você também aproveita o fim do ano para já começar a imaginar o próximo?

Fazer um balanço de 2018 e focar no autocuidado

Recomendamos guardar com carinho aqueles itens que te fazem feliz. A saber que autocuidado deve ser a palavra de ordem para esse fim de ano. A propósito, que tal aproveitar e fazer um balanço de 2018 e começar a ter uma vida mais minimalista? Seus itens do dia a dia cabem dentro de sua nécessaire? Afinal, sua nécessaire te representa?

acessórios com 60% off na black friday ária poeme-se

Ofertas poéticas, acessórios literários, temos uma coleção de produtos para você poemar nessa Black Friday. =)

Hanny Saraiva

Qual escritor minion mais combina com você?

Qual escritor minion mais combina com você?

nSerá que esses seres amarelos milenares só nasceram para servir aos maiores vilões do mundo? E se você pudesse desmistificar isso e mostrar que essas criaturas fofas podem espalhar literatura por todos os cantos, transformando-os em escritores minions? Qual deles combinaria mais com você?

 camiseta literária minions escritores

minionJosé Saraminion

Além de adorar brincar com a pontuação, esse escritor minion – e aclamado – é bastante feroz quando se trata de crítica social e política. Porém, ele também tem seu lado fofo despertado quando alguém diz que adora fábula moderna.

 camiseta literária josé saraminion

Carlos Drumminion de Andrade

Irônico e cheio de humor. Esse poeta minion adora temas como infância e metalinguagem, mas pode ser um perigo quando se trata de traços metafísicos. Recomendamos acalmá-lo através de versos livres e brancos.

camiseta literária calos drumminion

Ferminion Pessoa

Amante de mudar de nome, você nunca sabe como ele irá se apresentar no dia, mas é um escritor minion repleto de carisma, apesar de ser ora pessimista, ora otimista. É um poeta filósofo que adora desdobrar “eus”.

 camiseta literária ferminion pessoa

Machinion de Assis

Esse escritor minion é realista, adora jogar verdades na sua cara, então não fique irritado se ele não for linear, capaz de te deixar refletindo por um bom tempo. Às vezes ele pode ser contraditório, mas é só seu jeito peculiar de observar o mundo.

 camiseta literária machinion de assis

Se você tivesse um escritor minion pra chamar de seu – desses que amam espalhar versos por aí –, qual seria? Conta pra gente nos comentários. =D

Hanny Saraiva

Dia de Drummond pelo Brasil

Dia de Drummond pelo Brasil

No dia 31 de outubro de 1902 nascia o poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade. Por isso, nesse mesmo dia em 2011, foi criado o Dia D, pelo Instituto Moreira Salles (IMS), com o objetivo de fazer com que a data do nascimento de nosso poeta querido passasse a integrar o calendário cultural do país. Nesse mesmo dia, em 2015, foi oficializado o Dia Nacional da Poesia – também em sua homenagem conseqüentemente. Você sabe o que acontecerá por aí? Selecionamos um apanhado de eventos que irão homenagear o poeta. Afinal, qual amante da poesia não vai querer dar uma passadinha por algum deles e respirar poesia?

No meio do caminho – arte postal, em Minas Gerais

O Instituto Imersão Latina convida poetas e artistas visuais de qualquer nacionalidade a participar do projeto NO MEIO DO CAMINHO – Exposição Internacional de Arte Postal, na Fundação Carlos Drummond de Andrade, em Itabira (MG), Brasil. A abertura oficial da exposição acontece dia 25 de outubro e o tema NO MEIO DO CAMINHO é portanto uma referência ao poema do grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade, “Tinha uma pedra no meio do caminho”.

► Mais informações: aqui.

camiseta literária drummond-se

Cabaré Modernista para Carlos Drummond de Andrade, no RJ

O “Cabaré Modernista para Carlos Drummond de Andrade” é um espetáculo de música e poesia criado especialmente para o Dia D. Assim sendo, a apresentação ocorre dia 31 de outubro, às 20h, no IMS Rio. Entrada gratuita. Contudo, a distribuição de senhas começa 30 minutos antes.

► Mais informações: aqui.

camiseta literária poema de sete faces

DIA D – Vida e Obra de Carlos Drummond de Andrade no Sebinho, em Brasília

Dia 31/10, na Livraria Sebinho, a vida e obra do poeta Drummond será celebrada com muita poesia, incluindo um concurso de poemas. Em suma, o evento faz parte do calendário cultural da cidade.

► Mais informações: aqui.

camiseta literária drummond

Drummond e a política, em São Paulo

Em São Paulo, o professor Fabio Cesar Alves, da USP, fala sobre as questões que cercam o contraditório engajamento de Carlos Drummond de Andrade com a política.

► Mais informações: aqui.

bastidor e agora jose?

17ª Semana Drummondiana e 2º Festival Drummond, em Minas Gerais

Em 1928, o poema “No Meio do Caminho”, de um ainda jovem e pouco conhecido Carlos Drummond de Andrade, estampava a capa da Revista de Antropofagia. Os versos, repetitivos e intrigantes, mudaram por conseguinte a forma como a poesia era compreendida no Brasil. Uma vez que, neste ano, esse importante trabalho completa 90 anos da sua primeira publicação, ganha atenção especial na programação do 2º Festival Drummond e 17ª Semana Drummondiana, que acontecem entre 24 e 31 de outubro. Com essa temática, os eventos reúnem uma vasta e diversificada programação: oito apresentações musicais, oito oficinas e cursos, sete mesas-redondas e palestras, quatro lançamentos de livros, três teatros e duas exposições – dentre outras atividades.

► Mais informações: aqui.

boton drummond

<< Para conhecer mais sobre o Dia D >> www.diadrummond.com.br

Qual poesia de Drummond não pode faltar nessas homenagens Brasil afora? Conta pra gente nos comentários. =)

Hanny Saraiva

Compositor também é poeta?

Compositor também é poeta?

A música popular brasileira sempre dialogou com os recursos peculiares da poesia. De acordo com José Miguel Wisnik, “uma coisa que tem sido observada já há algum tempo é a importância poética que a música popular no Brasil ganhou. Ela não é palavra cantada que serve para o entretenimento de massas enquanto mercadoria em série, ouvida e descartada na estação seguinte. Na música popular do Brasil, pode-se dizer que existe um conjunto de autores, de poetas-cantores que estão desenvolvendo uma obra que resiste à passagem do tempo, ao contrário dos bens de consumo descartáveis.” A configuração estética das canções nos mostram a importância desse eu lírico do compositor.

Quem é seu artista preferido que transita entre a poesia do livro e a poesia cantada? Aqui vão os nossos favoritos

CARTOLA

O mundo é um moinho
Ouça-me bem, amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos, tão mesquinho
Vai reduzir as ilusões a pó.

CHICO BUARQUE

Construção
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público.

ZÉ KETI

Acender as velas
Já é profissão
Quando não tem samba
Tem desilusão
É mais um coração

CHICO SANTANA

Adeus, eu vou partir
Por não poder
Mais resistir, tamanha dor
Sinto em deixar
Meu doce lar
Por não poder
Compreender este amor.

NOEL ROSA

O orvalho vem caindo
Meu cortinado é um vasto céu de anil
E o meu despertador é o guarda civil
(Que o salário ainda não viu!)
O orvalho vem caindo, vai molhar o meu chapéu
e também vão sumindo, as estrelas lá do céu.

VINICIUS DE MORAES

Samba da bênção
É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração
Mas pra fazer um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza.

CANDEIA

Preciso me encontrar
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Sorrir pra não chorar.

ANAVITÓRIA

Trevo
Tu é trevo de quatro folhas
É manhã de domingo à toa
Conversa rara e boa
Pedaço de sonho que faz meu querer acordar
Pra vida.

SALVE O COMPOSITOR POPULAR

A todos os poetas das letras, o nosso salve.

Para você, compositor também é poeta? Quem você nos indicaria? Conta para gente nos comentários. =)

Hanny Saraiva

7 dicas para criar uma criança leitora

Todos sabemos que promover a leitura não só estimula a criatividade e a imaginação como ajuda em novas aprendizagens, contribuindo  para aumento de vocabulário, cultura, desenvolvimento de capacidade crítica. Mas crianças leitoras têm uma visão de mundo diferente das que não gostam de ler. Elas resolvem melhor seus problemas, refletem sobre outras possibilidades e muitas das vezes são nas histórias que entendem as dificuldades e os prazeres de se crescer. Todo pai quer que seu filho viva de forma plena e feliz e criar uma criança leitora é o sonho de muitos que acreditam que amar livros é um dos caminhos para se produzir um mundo mais justo e democrático. Separamos 7 dicas para criar uma criança leitora, já testadas por pais que afirmam que deu certo.

1. Incentive a imaginação

Mesmo que a criança não saiba ler os códigos, é fundamental que a criança se sinta parte do processo de construção das histórias. Incentive seu pequeno a criar novos fins, novos começos, a pensar sobre outras possibilidades, a ter vínculos com os personagens, a deixar a imaginação solta.

2. Leve seu pequeno para Bienal do Livro

Toda a família deve frequentar espaços de leitura, livrarias, bibliotecas, Bienal do Livro. Na Bienal do Livro de São Paulo esse ano, por exemplo, haverá uma Praça de Histórias com diversas atividades incríveis e o espaço infantil terá a Tenda das Mil Fábulas com fábulas, lendas, histórias, contos e mitos, destacando na programação a diversidade cultural brasileira e a diversidade humana de 03 a 12 de agosto. Além disso, você poder passar em nosso estande e checar nossas novidades para arrasar com aquele #LookLiterário encantador para o pequeno.

3. Conte uma história todo dia

E se divirta também. Leitura é prazer. Todos sabemos que é importante que pais leiam para os filhos, pois dentre as inúmeras vantagens os vínculos afetivos e o gosto são criados a partir desses momentos. Mas nunca leia com pressa ou estressado. Seu filho irá sentir isso e o que deveria ser um momento partilhado, será visto como uma obrigação e ninguém sente prazer sendo obrigado, né? O que importa não é quantidade e sim qualidade. Velha máxima que deve ser respeitada à risca. O ideal é que pais possam contar uma história por dia, mas não é uma regra fixa, você pode estipular uma vez por semana, três vezes. O que importa é sua presença. De corpo e alma.

4. Deixe a criança se encontrar pela livraria

E isso quer dizer deixá-la explorar o espaço. Nada de você colocando o livro na mão dela, deixe-a escolher. Deixe-a tocar nos livros, passar a mão na capa, ver o que mais lhe agrada. Relaxe e vá você ler um livro. Isso vale também para outros espaços de leitura. Não tenha pressa.

5. Dê o exemplo, leia

Esse é a dica essencial. Se você não sente prazer lendo, seu filho seguirá seu exemplo e não irá gostar de ler. Se você é um apaixonado, no mínimo ele ficará curioso sobre essa paixão. Se empolgue com a leitura, divida com seu pequeno essa alegria. Para pais com bebês: não pare de ler porque está com um bebê. Pode até ser que você diminua um pouco a quantidade de leitura, mas não abra mão. Livros e histórias devem fazer parte do dia a dia da família, como comer e tomar banho.

6. Vá além dos livros

Ler vai além dos livros. A leitura está em sinais de trânsito, em rótulos, receitas, gestos, imagens, canções, o mundo. Temos que entender que aprender os códigos e estudar as letras não faz uma pessoa leitora. Traga outros elementos à vida de seu pequeno para que ele se sinta confiante e se apaixone pelo mundo dos que leem com amor e prazer. Não menospreze outros símbolos que ele pode chamar de leitura.

7. Vista literatura

Se crianças que gostam de super-heróis amam camisetas com seus personagens preferidos, por que crianças que gostam de livros não adorariam camisetas com seus personagens preferidos? Dê presentes que os lembrem da literatura, vista poesia.

Seu filho é um leitor nato? Conta pra gente o que você acrescentaria nos comentários. =)

Hanny Saraiva

Que poema de Quintana te representa?

Já dizia o poeta, “Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente… e não a gente a ele! Para homenagear o mestre da simplicidade (que ironicamente não gostava de homenagens), separamos cinco poemas que adoramos e te desafiamos a escolher um. Que poema de Mário Quintana te representa?

1. Amor é síntese

Por favor não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu
Se ninguém resiste a uma análise profunda
Quanto mais eu
Ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor
Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva todo em seus braços
E eu serei perfeito amor.

2. Esperança

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E – ó delicioso voo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
– Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
– O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

3. Olho as minhas mãos

Olho as minhas mãos: elas só não são estranhas
Porque são minhas. Mas é tão esquisito distendê-las
Assim, lentamente, como essas anêmonas do fundo do mar…
Fechá-las, de repente,
Os dedos como pétalas carnívoras!
Só apanho, porém, com elas, esse alimento impalpável do tempo,
Que me sustenta, e mata, e que vai secretando o pensamento
Como tecem as teias as aranhas.
A que mundo
Pertenço?
No mundo há pedras, baobás, panteras,
Águas cantarolantes, o vento ventando
E no alto as nuvens improvisando sem cessar.
Mas nada, disso tudo, diz: “existo”.
Porque apenas existem…
Enquanto isto,
O tempo engendra a morte, e a morte gera os deuses
E, cheios de esperança e medo,
Oficiamos rituais, inventamos
Palavras mágicas,
Fazemos
Poemas, pobres poemas
Que o vento
Mistura, confunde e dispersa no ar…
Nem na estrela do céu nem na estrela do mar
Foi este o fim da Criação!
Mas, então,
Quem urde eternamente a trama de tão velhos sonhos?
Quem faz – em mim – esta interrogação?

4. Alma errada

Há coisas que a minha alma, já mortificada não admite:
assistir novelas de TV
ouvir música Pop
um filme apenas de corridas de automóvel
uma corrida de automóvel num filme
um livro de páginas ligadas
porque, sendo bom, a gente abre sofregamente a dedo:
espátulas não há… e quem é que hoje faz questão de virgindades…
E quando minha alma estraçalhada a todo instante pelos telefones
fugir desesperada
me deixará aqui,
ouvindo o que todos ouvem, bebendo o que todos bebem,
comendo o que todos comem.
A estes, a falta de alma não incomoda. (Desconfio até
que minha pobre alma fora destinada ao habitante de outro mundo).
E ligarei o rádio a todo o volume,
gritarei como um possesso nas partidas de futebol,
seguirei, irresistivelmente, o desfilar das grandes paradas do Exército.
E apenas sentirei, uma vez que outra,
a vaga nostalgia de não sei que mundo perdido…

5. Poeminha do contra

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

Sabedoria literária, compreensão sobre a vida – o imaginário de Quintana vai além de seu tempo e nos toca com o sublime e singelo sopro da existência. Que poema te representa? Já deu uma olhada em nossas camisetas literárias? Clique aqui.