Olá! Aqui é o Rafael, um dos BARBARDOS da Poeme-se. Muito possivelmente você já me viu em foto ou vídeo tanto no feed quanto nos stories do Instagram @vista_poemese. Mas deixa eu dizer uma coisa: trabalho com literatura na Internet e não posso deixar de me emocionar com a proposta incrível das estampas da coleção Poesia 2.0!

Essa coleção é um movimento da Poeme-se para construir uma coleção de estampas com escritores contemporâneos e pessoas relevantes no cenário da literatura. Ela tem como objetivo amplificar a voz dessas pessoas e mostrar que tem sempre algo novo acontecendo no cenário literário.

Com isso em mente, vamos lembrar que a literatura não existe apenas no objeto livro. Ela continua para muito depois de a pessoa que o leu fechar suas páginas. A literatura está viva quando falamos sobre ela e quando a expomos em nossas paredes, nossa voz, nosso corpo e nossas roupas. Além disso, a literatura não é apenas composta por livros antigos e empoeirados: ela está viva e acontecendo agora mesmo, em algum ponto da sua cidade e bairro.

Coleção de camisetas Aline bei

Ver coleçãoAline Bei

É um prazer grandioso, portanto, participar, mesmo que indiretamente, da coleção Poesia 2.0. Após a entrevista do Barbardo Mario com o escritor Jessé Andarilho sobre o que o impulsionou a escrever, agora eu venho com uma curta, mas impactante entrevista com a autora Aline Bei. Ela publicou O Peso do Pássaro Morto em 2017 e ganhou o Prêmio São Paulo 2018 com ele. Esse é seu primeiro romance — e eu espero que venham vários outros romances pelo futuro breve! Esse livro foi justamente a inspiração para a estampa: sua arte se conecta com a arte da capa do livro, enquanto a frase possui um significado todo especial para quem já leu e se emocionou com essa obra…

Ah, sim: a Aline Bei já apareceu neste blog antes! No post “Sou eu um escritor? ”, ela foi uma das seis pessoas para quem fiz a difícil pergunta “Quando você se descobriu escritora? ”. Leia esse post daqui a pouco, você vai curtir, com certeza. Fiquem, agora, com a entrevista:

Rafael Ottati: Você já me disse outras vezes que é uma apaixonada pela leitura e pelo livro. Quando e de que maneira você entrou para esse mundo?

Aline Bei: Eu sempre gostei de ler, desde pequena. Acho que o livro me faz um tipo de companhia que tem muito de silêncio e imaginação.

Rafael Ottati: Sem dúvidas. Isso tudo auxilia bastante o leitor a entrar em um estado de concentração, né? Bom, e qual foi aquele gatilho que te deu o último empurrão para mergulhar de cabeça nessa vida de escritora?

Aline Bei: Foi na faculdade de letras, quando eu conheci pessoas da minha geração que estavam escrevendo.

Rafael Ottati: Que bacana! E há quem acredite que escrever é um ato puramente solitário! Bom, e falando dessa sua camisa, você já tinha imaginado seu livro ou seus escritos como uma camiseta?

Aline Bei: Não, quem viu uma camisa na minha frase foi o pessoal da Poeme-se…

Rafael Ottati: Risos. Legal isso! E o que você achou do resultado final?

Aline Bei: Adorei aquela lágrima no ponto de interrogação.

Caneca aline bei

Ver canecaAline Bei

Convido você, leitor, a olhar a estampa novamente e reparar no ponto de interrogação. Ele, de fato, possui uma lágrima… como eu disse antes, quem leu o livro com certeza vai se identificar!

Ah, a Poesia 2.0 não para por aqui! Temos estampas de parceiros como Raphael Montes, Frini Georgakopoulos, Geovani Martins, Jéssica Balbino, Mel Duarte e Carla Neto. É um projeto que só cresce e dá voz, asas e representatividade para nossos autores e fomentadores da literatura nacional.

Coleção Poesia 2.0 Poeme-se

Ver coleçãoPoesia 2.0


Leia também:

A SOLIDÃO E A LEITURA: UMA ENTREVISTA COM ALINE BEI Mini bio Rafael Ottati

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *