Vivenciamos neste último sábado, dia 07 de março de 2020, um inesperado questionamento por parte das responsáveis pelo Clube de Leitura Leia Mulheres. A celeuma se deu por conta da camiseta Leia mulheres, que faz parte da coleção com o mesmo nome: Leia mulheres. veja imagem aqui:

carta aberta poeme-se Camiseta Leia mulheres Poeme-se poemese camiseta literária leia mulheres leia mulheres

A Poeme-se foi acusada de ter copiado, plagiado, usado de forma indevida o nome “Leia Mulheres”. Segundo o que foi escrito no post (que foi retirado do ar após denúncia do mesmo grupo), o CLUBE de leitura Leia Mulheres detêm os direitos autorais do termo.  Foram dezenas de comentários em nosso instagram com discursos inflamados e ataques diretos.

Sabendo quem SOMOS e o que já realizamos nessa caminhada, fizemos questão de responder a todos os comentários no Instagram, mesmo os de ataque. Nossa ideia era entender o que estava ocorrendo para, na sequência, nos posicionarmos. É exatamente o que essa carta aberta significa: Um posicionamento público sobre nossa coleção.

A camiseta Leia Mulheres

Sabemos que o machismo estrutural permitiu que muitos homens se colocassem em lugar de destaque na literatura enquanto mulheres fantásticas passaram ao largo da história. Essa diferença ainda se reflete em nossa coleção de camisetas. Diante dessa constatação, o feminismo literário se tornou mais relevante dentro do processo de curadoria da Poeme-se e foi através dessa tomada de consciência que nasceu a Coleção de Camisetas Leia Mulheres – Coleção essa construída através de intensa pesquisa e diálogo. Sendo aberto uma chamada pública onde mais de 50 mulheres participaram da escolha das frases que comporiam a coleção. Como apresentado, ela é fruto de muita reflexão interna e um desejo de equidade em nosso catálogo.

Leia mulheres é uma bandeira mundial que ganhou força em 2014 quando a escritora Joanna Walsh propôs o projeto #readwomen2014 ou, em português, #leiamulheres, nas redes sociais. Esse movimento consistia basicamente em fomentar a leitura de mais escritoras. Em suma, Walsh buscava dar visibilidade ao tema e a desigualdade entre os gêneros.

Mas o Clube de Leituras Tem INPI da MARCA

De fato, o CLUBE de leitura Leia mulheres deu entrada no Instituto nacional de propriedade intelectual no dia 08/01/2018 e está com registro da marca em vigor, na Classe de Nice NCL(11) 16 ou seja, detêm direito de uso da marca Leia Mulheres. Esse fato por si só não gera nenhum conflito de interesses com o lançamento de nossa estampa. Legalmente o Clube de Leitura e a Poeme-se não atuam no mesmo setor e por isso não são concorrentes. Portanto, a marca do Leia Mulheres protegida pelo INPI está circunscrita dentro de sua área de atuação, ao menos foi isso que percebemos ao verificar a classe nice do cadastro no INPI. Teríamos um problema, segundo a lei, se a Poeme-se se transformasse em Leia Mulheres e vendesse produtos ou serviços correlatos aos do CLUBE, o que de fato não ocorre.

Segundo registro do INPI, A marca resguarda na Classe Nice cadastrada no documento a produção de: “Papel, papelão; material impresso; artigos para encadernação; fotografias; artigos de papelaria e materiais de escritório, exceto móveis; adesivos para papelaria ou uso doméstico; materiais para artistas e para desenho; pincéis; materiais didáticos e de instrução; folhas, filmes e bolsas plásticas para embrulhar e embalar; caracteres de imprensa; clichês.”

Mas vocês não sabiam que existia um grupo que usava a frase?

Não só sabíamos, como adoramos o trabalho do CLUBE de leitura Leia Mulheres. Cada uma das integrantes são fundamentais, imprescindíveis. Curtimos tanto o trabalho do clube de leitura que em 2017 nosso fundador entrou em contato para buscar uma parceria (e-mail guardados em arquivo). Como já foi dito, nossa militância com a pauta do feminismo literário não é por oportunidade, buscamos construir sempre com aliadas que estão no mesmo campo de atuação. Nosso foco é fortalecer e dar visibilidade às pautas que acreditamos. Mas nem sempre é possível. Algumas vezes os interesses não são semelhantes.

Contudo, nunca imaginaríamos que o clube de leitura Leia Mulheres reivindicaria o direito autoral da Hashtag cunhada em 2014 pela Joanna Walsh. A frase virou bandeira feminista usada mundialmente e está acima de qualquer empresa ou movimento. Ele é da sociedade e já foi usada por outras pessoas, marcas ou grupos.

E justamente por seu caráter coletivo e força que representa que lançamos mão dele para batizar nossa coleção e virar estampa na marca Poeme-se. Nosso desejo é que não só a Poeme-se, mas todas as outras marcas lancem esse grito, façam estampas para difundirem a pauta. Isso agrega valor aos coletivos que têm essa bandeira, ao clube do livro que fomenta escritoras com sua prática recorrente e por consequência fortalece a sociedade.

 Mas o que a Poeme-se vai fazer?

Então, mesmo sabendo que não há nenhuma ilicitude ou apropriação intelectual indevida nesse caso, a Poeme-se, em conselho com todos os seus colaboradores, decidiu retirar a estampa do ar definitivamente. 

Dessa forma, entendendo que deveríamos estar do mesmo lado, do lado da construção de uma sociedade igual em direitos, abrimos mão do embate desnecessário em prol da construção do diálogo.     

7 Replies to “Carta aberta

  1. Por isso que eu tenho a empresa estampada em minha loja e indico as roupas aos clientes.
    O mercado editorial precisa amadurecer e com isso ajudar a amadurecer a sociedade. Não leva a nada um tipo de embate desse , acho que é melhor assim se estou te atrapalhando retiro minhas coisas e vou continuar olhando pro mercado de um nova forma . Parabéns pela carta e vida longa a empresa.

  2. Achei muito humana a atitude da Poeme-se. Não concordo nem um pouco em taxar de plágio uma marca que está lutando pela mesma causa que a sua. Nesses momentos devemos nos unir e juntar as forças para alcançar mais e mais, e não ficar opinando quem tem o direito de usar uma “marca” que é usada por tanta gente.

  3. É por essa e outras que a Poeme-se me representa!
    Ao meu ver, esse era um questionamento desnecessário, afinal nossa luta pela representacao feminina não é a mesma?
    Parabéns equipe, pela transparência e respeito aos clientes!

  4. Grata pelos esclarecimentos, não esperava menos dessa empresa tão séria. Obrigada por divulgar a literatura, e ainda mais a literatura feminina, dessa foram tão linda e acessível. Concordo com a posição de vcs e parabéns pela coleção Leia Mulheres, ela está incrível!

  5. Ótimo posicionamento…realmente, quem entende de INPI vê que os ramos sao distintos. Mas, vcs, mesmo tendo razão, abriram mão da estampa em prol do diálogo. Achei digno!

  6. Primeiramente gostaria de parabenizar a Poeme-se por colocar a mulher em destaque.
    e pelos esclarecimentos do fato ocorrido, não esperava menos , de uma empresa que me representa.
    A coleção Leia Mulheres esta incrível,
    novamente parabéns ela transparência

  7. Vocês foram ímpar, maravilhosos e esclarecedores. Infelizmente, as vezes os conflitos de interesses não são os mesmo. Infelizmente alguns visam somente o lucro, ao invés da militância e da força feminina Literaria.
    Continuo me sentindo representada pela Poeme-se, gratidão por pensarem em uma coleção voltada para o emponderamento feminino, para a igualdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *