Slider

O Ano Novo vem chegando! O que seria apenas uma virada de um dia para outro acabou se tornando, na nossa sociedade, uma mudança profunda de ciclos, quase um renascimento. Todos levamos isso bastante a sério. Chegamos a estabelecer regras, como pular ondas, beber espumante e vestir roupas de cores específicas na vontade de que o próximo ciclo de 12 meses seja melhor do que o que está chegando ao fim. O foco é a busca por mais otimismo e esperança. Então, nós da Poeme-se separamos para você uma bela seleção de escritores que se expressaram (muito melhor do que eu jamais conseguirei) acerca de réveillon, vida nova, renascimento e mudanças. 

“Ano novo, vida velha. A vida é mais do que calendários, fusos ou órbita gravitacional.” Carlos Heitor Cony

***

“Não pedi coisas demais para não confundir Deus que à meia-noite de ano novo está tão ocupado.” Clarice Lispector

***

“Renova-te.
Renasce em ti mesmo.
Multiplica os teus olhos, para verem mais.
Multiplica-se os teus braços para semeares tudo.
Destrói os olhos que tiverem visto.
Cria outros, para as visões novas.
Destrói os braços que tiverem semeado,
Para se esquecerem de colher.
Sê sempre o mesmo.
Sempre outro. Mas sempre alto.
Sempre longe.
E dentro de tudo.”
Cecília Meireles

***

“ano novo
anos buscando
um animo novo”
Paulo Leminski

Frases de Ano Novo Coleção Paulo Leminski

Ver coleção – Paulo Leminski

***

O último dia do ano
Não é o último dia do tempo.
Outros dias virão
E novas coxas e ventres te comunicarão o calor da vida.
Beijarás bocas, rasgarás papéis,
Farás viagens e tantas celebrações
De aniversário, formatura, promoção, glória, doce morte com sinfonia
E coral,
Que o tempo ficará repleto e não ouvirás o clamor,
Os irreparáveis uivos
Do lobo, na solidão.
O último dia do tempo
Não é o último dia de tudo.
Fica sempre uma franja de vida
Onde se sentam dois homens.
Um homem e seu contrário,
Uma mulher e seu pé,
Um corpo e sua memória,
Um olho e seu brilho,
Uma voz e seu eco.
E quem sabe até se Deus…
Recebe com simplicidade este presente do acaso.
Mereceste viver mais um ano.
Desejarias viver sempre e esgotar a borra dos séculos.
Teu pai morreu, teu avô também.
Em ti mesmo muita coisa, já se expirou, outras espreitam a morte,
Mas estás vivo. Ainda uma vez estás vivo,
E de copo na mão
Esperas amanhecer.
O recurso de se embriagar.
O recurso da dança e do grito,
O recurso da bola colorida,
O recurso de Kant e da poesia,
Todos eles… e nenhum resolve.
Surge a manhã de um novo ano.
As coisas estão limpas, ordenadas.
O corpo gasto renova-se em espuma.
Todos os sentidos alerta funcionam.
A boca está comendo vida.
A boca está entupida de vida.
A vida escorre da boca,
Lambuza as mãos, a calçada.
A vida é gorda, oleosa, mortal, sub-reptícia.”
Carlos Drummond de Andrade

Frases de Ano Novo Coleção Carlos Drummond de Andrade

Ver coleçãoDrummond

***
“Ensinou a amar a vida, não desistir de lutar, renascer da derrota, renunciar às palavras e pensamentos negativos.
Acreditar nos valores humanos e a ser otimista.
Aprendi que mais vale tentar do que recuar…
Antes acreditar que duvidar, o que vale na vida não é o ponto de partida e sim a nossa caminhada.”
Cora Coralina

***

“Um dia hei de renascer numa grande cidade de outro sistema planetário, no passado ou no futuro, onde uma única montanha de 5 quilômetros de altitude se recorta no céu azul – com toda a compaixão que sinto dentro de mim, a única coisa que vou precisar é da sabedoria da terra.”

Jack Kerouac

***

“Um homem precisa se queimar em suas próprias chamas pra poder renascer das cinzas!” Friedrich Nietzsche

***

RECEITA DE ANO NOVO
“Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)
Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.”

“Lá bem no alto do décimo segundo andar do ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas buzinas
Todos os tambores
Todos os reco-recos tocarem:
– Ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada – outra vez criança
E em torno dela indagará o povo:
– Como é o teu nome, meninazinha dos olhos verdes?
E ela lhes dirá
( É preciso dizer-lhes tudo de novo )
Ela lhes dirá bem alto, para que não se esqueçam:
– O meu nome é ES – PE – RAN – ÇA …”
Mário Quintana

***

“Que as palavras do ano passado pertençam à linguagem do ano passado. E que o novo ano nos aguarde com uma nova voz.”

T.S. Eliot

E o nosso poeta bêbado e amargurado preferido, o Bukowski, não poderia ficar de fora desta lista. Vamos ao seu xingamento, quer dizer, sua frase motivacional: “O Reveillon sempre me aterroriza. A vida não sabe nada sobre anos. Agora as buzinas pararam e os fogos e o trovão… tudo acaba em cinco minutos… tudo que eu ouço é o som das palmeiras, e eu acho, eu nunca vou entender o ser humano, mas eu vivi essa vida.”

E o nosso poeta bêbado e amargurado preferido, o Bukowski, não poderia ficar de fora desta lista. Vamos ao seu xingamento, quer dizer, sua frase motivacional:

“O Reveillon sempre me aterroriza. A vida não sabe nada sobre anos. Agora as buzinas pararam e os fogos e o trovão… tudo acaba em cinco minutos… tudo que eu ouço é o som das palmeiras, e eu acho, eu nunca vou entender o ser humano, mas eu vivi essa vida.”

Frases de Ano Novo Coleção Charles Bukowski

Ver coleção – Charles Bukowski

Bukowski é gente como a gente. Ele sente medo do novo, do futuro, do desconhecido. Nós da Poeme-se, para além do balanço do ano, abraçamos a ideia de que o Ano Novo nos desperta ainda mais a busca pela renovação. Novas ideias, novos projetos e novas inspirações.

Que seu 2020 seja pleno de realizações!


Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *