Um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos, Machado de Assis é figura central de uma polêmica envolvendo sua representação na história. Afinal, Machado de Assis era negro? A Poeme-se quer levantar essa discussão com o lançamento da camiseta literária Machado Black Power, para refletir sobre o “branqueamento” que o escritor teria sofrido ao longo das décadas através de suas diversas representações.

machado de assis mulato
machado de assis era negro

Tal polêmica envolvendo o nome do Bruxo do Cosme Velho acentuou-se após uma propaganda da Caixa Econômica Federal, na qual um ator de feições europeias foi o escolhido para representá-lo (veja aqui). De sua biografia extraímos que além de mulato, era bisneto de escravos e nascido no Morro do Livramento.

Na ocasião alguns movimentos iniciaram a discussão e até mesmo o escritor Haroldo Costa se pronunciou:  “É lamentável que uma instituição do governo deixe passar esse erro histórico. E o pior é que não foi a primeira vez que tal equívoco aconteceu. Muitas publicações já ‘branquearam’ o escritor de tal forma que, em algumas fotografias, ele pareceu quase loiro”. Com a repercussão negativa, após alguns dias, o comercial foi retirado do ar.

machado de assis era negro ou branco

Mas por que trazer essa questão do “embraquecimento” de um dos grandes ícones literários do país? Entendemos que como uma marca que se alimenta de poesia e literatura, é importante resgatar as raízes culturais e históricas de Machado e levantar uma discussão da representação negra do escritor. Acreditamos que na maioria dos casos, ainda na escola, quando muitos têm o primeiro contato com as obras e a história de Machado, sua representação seja a de um homem branco.

Se formos analisar sua história sob a ótica de seu trabalho, vemos um artista extraordinário ascendendo à elite intelectual do país que ainda vivia em um regime de escravidão. Sua carreira teve grandes marcos, não só pela produção literária, mas também por Machado de Assis consagrar-se como o fundador e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras. Também acumulou reconhecimentos valiosos: foi indicado por D. Pedro II como diretor-assistente do Diário Oficial, e pouco depois como assistente de diretor. Anos depois, em 1888 ainda recebeu das mãos do Imperador uma condecoração oficial da Ordem da Rosa.

Ao analisar sua obra vemos também que em sua primeira fase, Machado não aborda a questão do preconceito racial no país. Porém mais tarde, já consagrado e em uma posição confortável, identificamos em diversas obras sua crítica social retratada. Um exemplo é o conto “Pai Contra Mãe”, no qual há diversas ironias na história da captura de escravos. Também no livro “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, no capítulo  “O Vergalho”, há o trecho em que Brás Cubas encontra um antigo escravo, já alforriado, castigando outro escravo.

Agora é com você! Conte para a gente nos comentários o que achou dessa discussão:

  • Já tinha lido algo sobre o “embranquecimento” de Machado de Assis?
  • O que apontaria sobre a pouca divulgação de escritores negros no Brasil?
  • Mostre a sua opinião!

Poeme-se com a nova camiseta Machado Black Power para celebrar o resgate de raízes culturais de um de nossos maiores ícones da literatura nacional:

machado-de-assis-branco-ou-negro

Leia também:

Principais obras de Machado de Assis

Quem foi Machado de Assis

Links consultados: 
Machado de Assis “branqueado”, A questão negra em Machado de AssisA negritude de Machado de AssisMachado de Assis e o racismo no Brasil

36 Replies to “Discussão: Machado de Assis era negro?

  1. Acho interessante esse resgate as raizes em contraponto com o embranquecimento que realizaram no passado, contudo, se o Machado de Assis tentasse vaga como cotista em concurso público, mesmo sendo pardo, seria desclassificado pela banca. Pardos só são considerados negros quando convém a agenda da militância negra.

    1. Essa é uma pauta profunda. É importante que esteja debate para evoluirmos para um mundo mais justo. A estrada é longa…

  2. Realmente, Machado sempre me pareceu ser Mestiço. Não possui traços para ser enquadrado de fato como negro. É visível. Mas é aquilo né, aqui no Bostil se você não for caucasiano(e ainda há aqueles que dizem que não existem brancos no Brazil, só porque vivem exportando teorias e classificações que nunca são aplicáveis ao país ) você é automaticamente negro, ainda mais com o agrupamento do IBGE de colocar pretos(ué) e pardos (Mestiços, não são brancos nem pretos) junto do pacote negros. Sim, hoje em 2021, o país que já foi chamado de mais miscigenado do mundo se tornou biracial. Faz parte do grande projeto de enegrecimento do mundo, enquanto outras etnias/raças são esquecidas em prol da agenda. De qualquer forma, não me importo com nada disso, não mudou nada na minha vida, crianças vão continuar achando a literatura chata, acadêmicos vão contínuar se masturbando em seus artigos e opiniões de bolha, movimentos ganham novos ícones, judeus enriquecem mais, e eu continuo desempregado e querendo me matar. Não sei nem o vim fazer neste site. Ah, sim, é o tédio da pandemia.

  3. Parabéns pelas palavras sinceras e talvez duras para alguns que queiram passar pano para os racistas. Faz diferença sim nesse país onde a “carne preta” é a mais barata e as que morrem nas mãos das polícias.

  4. E daí se Machado de Assis era branco, negro ou meio termo? Naquela novela da Globo, colocaram um mulato para fazer o papel do português caucasiano D. Pedro I, que era ruivo, e ninguém reclamou.

  5. Boa tarde,
    Grato pelo texto, Na minha opinião, isso não deveria ser colocado na forma de discussão. Pra mim, o título mais apropriado seria: “Machado de Assis era negro!”
    Dorival Caymmi é outro negro que não sei por que milagre (macabro) aparece no imaginário das pessoas como branco.
    E o que dizer de Jesus loiro?

  6. Resposta curta e simples “não, ele não era.”

    Já li em muitos lugares que o próprio pai dele era mestiço e a mãe dele era branca (portuguesa). O que se for verdade, faria o Machado de Assis ter 25% de genes africanos.

    Nenhum dos pais dele era 100% negro, então porque ele deveria ser considerado como tal?

    Atualmente está na moda entre alguns militantes e outros brasileiros seguirem a
    regrinha (racista e ultrapassada) dos americanos chamada “one drop rule” ( regra de uma gota de sangue) que dizia que qualquer pessoa com ascendência africana (negra) também é considerada negra, que pra mim, além de racista, não tem o menor fundamento científico.

    Pode até ser verdade o fato do Machado de Assis ter uma pele mais escura
    ou algum traço africano, mas isso não faz dele uma pessoa “negra”, e sim, um mestiço, como a maioria do povo brasileiro.

    1. Nicolas, obviamente você não entende o que significa ser negro e confunde com ser africano,
      Primeiramente, a África é um continente e não uma etnia, nem sequer um país, de forma que já é equivocado se referir às pessoas que lá nascem de “africanos”- isso também é meio racista né.
      Em todos os países deste belo continente chamado África há pessoas de pele branca, pessoas de pele preta e de todos os tons entre esses supostos extremos.
      Todas as pessoas do planeta são mestiças, pois a consanguinidade não é favorável à descendência.
      Sugiro algumas leituras, como Lélia Gonzales, Franz Fanon.
      Machado de Assis era indiscutívelmente negro e você parece que é bastante racista. O estudo ajuda bastante a superar essa condição. Faça uso.
      Abraço

    2. kkkk branco, criar a historia como quer, para se favorecer. Se machado nao fosse machado nem se quer lebrariam dele. O pai dele é ex escravo retinto, primo de meu tataravó. vcs sao desonestos por natureza

    3. Se a ancestralidade recente do pai de Machado realmente for 50/50, isso não faria de todos os seus filhos 1/4 africanos. Os filhos herdam metade dos genes do pai e da mãe, uma metade dos genes do pai de Machado podem carregar 46% de ancestralidade africana e os outros 54% europeia, do mesmo jeito que uma metade poderia ser 23% africana e 77% europeia.

  7. O resgate das origens sobre etnia, local do nascimento, cor da pele e outros traços, no caso do Brasil deve sim ter local de destaque, como pressuposto da valorização da raça negra, uma vez que a partir de uma cultura imperialista e escravocrata que durou muitos anos de nossa terra, faz necessária essa desconstrução de padrões nos quais o negro só aparece em serviços braçais, sub empregos e posição de muito menosprezo. Não que o sub emprego seja algo ruim, É emprego e sendo lícito deve ser respeitado. Mas, passou da hora de valorizarmos nossa origem africana, como cidadão de direitos e deveres como outro qualquer, até que possamos não mais tocar no assunto. Mas, para isso, é necessário percorrer esse caminho de valorização de nossas personalidades negras, que contribuiram e muito para que nossa Nação exista. Por isso, trazer a tona que Machado de Assis era negro é importante sim, como referência para as crianças, jovens e população em geral.

    1. Olá, Cláudio. Tudo bem com você?
      Obrigada pela sua contribuição. Representatividade importa.

      Atenciosamente,
      A Poeta – Daiane.

  8. Já li muito Machado de Assis, na minha adolescência e depois como professora de Letras, li tbém a sua biografia e sabemos que, na verdade ele só conseguiu uma boa posição na sociedade devido ao casamento com sua esposa que era branca e de renome, por ele ser mestiço, sofreu preconceito e sua esposa o ajudou muito nesta questão. Só não entendo porque demoraram tanto para trazer isso à tona. O fato é que, depois desta “reparação”, não podemos deixar de lado o que é mais importante, o incentivo à leitura, das obras deste, que é considerado o escritor mais importante e mais completo da nossa literatura. Que a cor da pele não se torne empecilho para que a sua obra continue a brilhar!

  9. Vários comentários tipo…a cor da pele não faz diferença, desculpem, mas na minha opinião faz sim!
    Faltam referências negras e quando temos um grande escritor, cineasta, artista, enfim qualquer intelectual negro, precisamos exaltar sim a cor de sua pele!

    Meus filhos precisam conhecer nossa história e possuir referências de que o negro pode realizar também grandes feitos, visto que hoje a mídia que impõem nossos padrões (infelizmente).

    1. Você tem razão, Wellington. Representatividade importa.

      Atenciosamente,
      A Poeta – Daiane.

    2. Concordo que faltem referências negras, porém da mesma forma que é ridículo embranquecer o Machado, também é ridículo querer torna-lo negro. No que tange raça, o autor na sua realidade de mestiço e sujeito pobre, vindo do Morro da Providência, marca o povo brasileiro como um todo, que é amplamente miscigenado, com uma maioria de pessoas pardas e considerados de classe média baixa ou pobres, exatamente a situação do nosso grande escritor. O Machado de Assis real, não esse pintado ou desbotado, diz muito mais para a identidade brasileira do que esta briga de raças que artificialmente vem sendo inflada nos tempos atuais.
      E antes que venham os néscios, é bom deixar claro o óbvio, que existe racismo no Brasil, que historicamente o negro foi marginalizado, porém isso não diz respeito a cor da pele do Machado de Assis, justamente por ele ser fruto do povo brasileiro, que já tomava a forma miscigenada em seu tempo.

    3. Parabéns pelas palavras sinceras e talvez duras para alguns que queiram passar pano para os racistas. Faz diferença sim nesse país onde a “carne preta” é a mais barata e as que morrem nas mãos das polícias.

    4. Enquanto exaltarmos ou rebaixarmos pessoas pelo seu tom de pele, haverá o racismo. Por que é tão difícil de entender isso? Ensine as crianças a admirarem as pessoas pelos seus feitos, e não pela cor de suas peles. Por fazerem isso é que os pais da antiguidade criaram uma sociedade racista, e estamos caminhando no mesmo caminho, só que dessa vez impondo que seja exaltada a outra cor. Ensine seu filho ou filha que eles podem fazer a algo bom pela sociedade e serem pessoas de sucesso, independente do que aconteceu a mais de 100 anos atrás. Afirmar que Machado de Assis era negro é importante, o que não é importante é dizer para uma criança negra que Machado de Assis só foi o que foi porque ele era negro. Fazer isso é colocar uma etnia acima de outra. E chamem isso do que quiser.

    5. Machado de Assis foi uma pessoa a frente do seu tempo por isso se tornou imortal. Sobre as crianças, sem dúvidas não nascem racistas.

  10. De fato a cor de pele pra nós ( tempo modernos)não faz a menor diferença,porém podemos entender que pra uma pessoa naquela época ser negro pode ter gerado a ele muitos desafios que somente sua genialidade permitiu ultrapassa-los.

    1. Obrigada pela sua contribuição, Giselle. Volte sempre.

      Atenciosamente,
      A Poeta – Daiane

    1. Obrigada pela sua participação e volte sempre. 🙂

      Atenciosamente,
      A Poeta – Daiane

  11. Tanto faz a mim ele ser branco ou negro !
    Suas obras não tem cor, raça, ideologias !
    Isso é mais um golpe para separar a nação brasileira em castas .O cérebro de Machado de Assis tem a COR do meu e seu coração também!
    RuthRossini

    1. Ruth, maravilhoso seu comentário. Concordo com você…e penso se Machado estivesse vivo isso estaria sendo debatido dessa forma. A literatura dele critica qualquer tipo de hipocrisia. Não há muitos indicios na obra dele dele ser “militante” na questão racial. Ele criticava os escravos que escravizavam eles mesmos, e não somente a escravisão de negros, mas tambem de estrangeiros (como por exemplo em “Quincas Borba” em que há um espanhol no papel de servente).
      E afinal, Machado de Assis era mestiço. E de negro, europeu e mestiço, temos todos nós.

    2. Olá, Marluce. Obrigada pela sua interação em nosso blog.
      É muito bacana ver e compartilhar os diversos pontos de vista. Volte sempre!

      Atenciosamente,
      A Poeta – Daiane.

    1. Resposta curta e simples “não, ele não era.”

      Já li em muitos lugares que o próprio pai dele era mestiço e a mãe dele era branca (portuguesa). O que se for verdade, faria o Machado de Assis ter 25% de genes africanos.

      Nenhum dos pais dele era 100% negro, então porque ele deveria ser considerado como tal?

      Atualmente está na moda entre alguns militantes e outros brasileiros seguirem a
      regrinha (racista e ultrapassada) dos americanos chamada “one drop rule” ( regra de uma gota de sangue) que dizia que qualquer pessoa com ascendência africana (negra) também é considerada negra, que pra mim, além de racista, não tem o menor fundamento científico.

      Pode até ser verdade o fato do Machado de Assis ter uma pele mais escura
      ou algum traço africano, mas isso não faz dele uma pessoa “negra”, e sim, um mestiço, como a maioria do povo brasileiro.

    2. Obrigada pela participação em nosso post, Nicolas.

      Atenciosamente,
      A Poeta – Daiane.

    1. Olá, Ricardo!

      Que bom que gostou da nossa matéria. Seu feedback é muito importante para continuarmos produzindo conteúdos como esse para vocês.

      Um grande abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *