Poesia para rir e chorar – Clown Poético Poeme-se

No próximo sábado, dia 2 de março, a Poeme-se estará mais uma vez levando poesia para a Feira da Rua do Lavradio, distribuindo pílulas de poesia e colocando-a em movimento com estampas 100% algodão e poesia.

E, como forma de inovação, a Poeme-se trará uma novidade ainda mais divertida para a feira. O artista Nélio Fernando encarnará um Clown Poético para espalhar versos aos 4 cantos da feira.

A palavra Palhaço deriva do italiano paglia, que quer dizer palha, que era o material usado no revestimento de colchões. O nome começou a ser usado porque a primitiva roupa desse cômico era feita do mesmo pano e revestimento dos colchões: um tecido grosso e listrado, e afofada nas partes mais salientes do corpo com palha, fazendo de quem a vestia um verdadeiro “colchão” ambulante. Esse revestimento de palha os protegia das constantes quedas e estripulias. Já a palavra Clown é de origem inglesa e tem origem no sec. XVI. Deriva-se cloyne, cloine, clowne. Etimologicamente vem declod, que em inglês significa “camponês” e ao seu meio rústico, a terra (estúpido, cabeça-dura, bronco).

E é assim que a poesia deve ser. Deve cair sem medo de se machucar, fazer estripulias para que se riam, drama para que chorem, tudo isso de forma rústica, primitiva, pois só assim ela vem sinceramente de dentro.

Com a Poeme-se, a poesia que vem de dentro pode estampar o peito do lado de fora, gritando sua mensagem para todos que têm olhos para sinti-la.

Venha vestir poesia na Feira da Rua do Lavradio! Para mais informações acesse o link: https://migre.me/dqIoI

Coloque a poesia em movimento!
www.poemese.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *