A frase título é do samba enredo da Imperatriz Leopoldinense do ano 2000, de autoria de: Amaurizão, Choppinho, Guga, Marcos Lessa e Toninho Professor, faz parte de uma safra de sambas que buscavam falar da História do Brasil na época que era comemorado os 500 anos do tal “tal descobrimento”, dali a dois meses… Bem no meio da quaresma ou quase lá.

O que era em 1500 não vem ao desenrolo: páscoa, semana santa, dia de santo … afinal caravelas passadas não movem moinhos, comércio e nem palpite de bicho – jogo tradicional por essas bandas, mas lá quando as caravelas por aqui brotaram nem era imaginado.

Sigamos o baile ou fado, tanto faz.

Quem descobriu? Descobriu mermo… à vera, bagulho sério?

Ou tá mais pro cara que chegou no baile de roupa diferente carro estranho e se achou a sensação, aí para formar ele soltou logo um informe que ele era o diferentão do bagulho….

Cabral ou Seu Cabral era mais um no meio da multidão e já apareceu serrotando água e outros negócios, afinal de contas chegar em Calicute era maior rolé.

Mas, antes era o quê?

Nem Brasil, nem Índia. Chama de Pindorama que é o certo.

Que bagulho é esse de Pindorama?

É. Nem Cabral e nem Caramuru: a terra já tinha gente e muita gente!

Gente que nem a gente, que fique bem explicado.

Pindorama “Terra das Palmeiras” tava apinhada de locais, ou seja… Descoberta… Na costa era Tupi pra tudo quanto é lado. Bem organizados e numerosos…. e distribuídos em Nações diversas.

Resumo do negócio: já tinha terra, já tinha morador, já tinha gente plantando e colhendo….

Então o que Seu Cabral descobriu? Diga lá!

descobriu o Brasil perfil Philippe Valentim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *